Esportes Abel minimiza revés na Libertadores e diz sentir 'orgulho tremendo' do elenco

Abel minimiza revés na Libertadores e diz sentir 'orgulho tremendo' do elenco

O técnico Abel Ferreira preferiu olhar para as virtudes do Palmeiras no revés por 4 a 3 para o Defensa y Justicia, sofrido com um gol no último lance da partida. Em uma noite repleta de erros individuais e defensivos, o treinador português se mostrou muito orgulhoso dos jogadores e enalteceu a qualidade ofensiva da equipe na primeira derrota na Libertadores.

"Em todas as competições que essa equipe está, chegamos nas finais. Umas ganhou, outras perdeu. Faz parte do futebol. Tenho um orgulho tremendo dos meus jogadores. Trocamos toda a equipe e fizemos três gols, com possibilidade de fazer quatro", destacou Abel na entrevista coletiva após o confronto no Allianz Parque, onde a equipe nunca havia levado quatro gols.

"A gente aprende todos os dias. Jogo de futebol é um jogo. E o jogo tem fator sorte. Competência também. Nós hoje fizemos um jogo de qualidade. Qualidade ofensiva. Agora, quando olhamos para a densidade competitiva de uma equipe e outra, não tem nada a ver", complementou o treinador. Ele voltou a dar entrevista coletiva após uma semana. As duas últimas, ambas após compromissos pelo Campeonato Paulista, foram concedidas pelo auxiliar João Martins por opção do clube.

Ele, mais uma vez, fez questão de exaltar o jogo coletivo de seus comandados. Para o treiandor, não há estrelas no elenco. "Estrelas estão no céu e mesmo no céu estão juntas. Como jogador não gostei de trabalhar para um, não é minha filosofia. Quando cheguei falei que todos somos um. Fico contente quando alguém de fora vê de fato a força da equipe na sua qualidade coletiva, onde o jogador se sobressai dentro da dinâmica coletiva da equipe. Para mim futebol é jogo coletivo, dependemos uns dos outros".

Abel reforçou que sente um "orgulho tremendo" da equipe e considerou que o Defensa y Justicia teve "muita felicidade" na partida. Em casa, o Palmeiras buscou o empate três vezes, mas levou um gol dos argentinos logo antes do apito final e sofreu a primeira derrota na Libertadores.

A situação, mesmo com o resultado negativo, é confortável, visto que a equipe alviverde já garantiu vaga no mata-mata e, com 12 pontos, avança como líder do Grupo A, uma vez que não pode mais ser alcançada pelo Defensa ou outro rival da chave. O treinador português insistiu que está satisfeito com o elenco e valorizou a trajetória do time desde que foi contratado, em outubro do ano passado, chegando em todas as finais que disputou - exceto a do Mundial de Clubes.

"Eu, quando cheguei, não prometi títulos. Disse que teria trabalho de qualidade. Jogar com qualidade e lutar por títulos. Se vamos ganhar? Não sei. Me enche de orgulho chegar nas finais. E temos que valorizar o processo até chegar nas finais. Orgulho tremendo", ressaltou.

Envolvido em uma extenuante maratona de partidas, o Palmeiras dá uma pausa na Libertadores e se concentra nas finais do Campeonato Paulista. Quinta, às 22h, recebe o São Paulo no Allianz Parque no primeiro duelo. O jogo que definirá o campeão estadual está marcado para o domingo, às 16h, no Morumbi.

Últimas