Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

Ídolos santistas se dividem sobre aposentadoria da camisa 10 de Pelé

Ex-jogadores do Peixe, ex-presidente Marcelo Teixeira e Soteldo, que usa o número do Rei atualmente, têm opiniões distintas

Futebol|Maria Cunha* e Pietro Otsuka, do R7

Pelé ressignificou a camisa 10 não só no Santos, como no futebol brasileiro e mundial
Pelé ressignificou a camisa 10 não só no Santos, como no futebol brasileiro e mundial Pelé ressignificou a camisa 10 não só no Santos, como no futebol brasileiro e mundial

Depois da morte de Pelé, vítima de um câncer no cólon direitos aos 82 anos, muito se discutiu sobre a aposentadoria da camisa 10 do Santos. O Peixe, por um pedido da família do Rei, estudava atender ao desejo dos parentes de Edson Arantes do Nascimento, mas voltou atrás depois de revista uma entrevista do próprio Pelé, em que afirmava não querer que a numeração fosse aposentada. 

Durante o velório do Rei, o R7 perguntou a ídolos santistas, como Clodoaldo, Lima, Serginho Chulapa, além do ex-presidente do Peixe Marcelo Teixeira, e o atual camisa 10 do time, Yeferson Soteldo, sobre a aposentadoria do histórico número usado pelo Atleta do Século em toda a carreira. 

Em campo ninguém está a altura dele. Não é depreciação%2C não. É que o cara era impressionante

(Lima, ex-jogador e ídolo do Santos)

Clodoaldo, companheiro de Pelé na conquista da Copa do Mundo de 1970, e Lima, que jogou com o Rei no Santos, disseram ser favoráveis a um projeto que busque eternizar a camisa 10 santista, como forma de homenagear o maior jogador de todos os tempos. Para o tricampeão do mundo, a aposentadoria do número, inclusive, já deveria ter acontecido. 

"Não é simplesmente tirar a camisa 10, como se tira do armário, não. É fazer um projeto, algo assim magnífico, a altura do camisa 10 que ele foi", afirmou Clodoaldo, que já sugeriu dentro do próprio Santos projetos como uma camisa bordada a ouro, com apenas 1.281 peças produzidas — em alusão ao total de gols feitos pelo Rei.

Publicidade
O Brasil não consegue preservar a memória dos próprios ídolos e%2C ao tirar a camisa 10%2C acredito que a gente perderia isso ainda mais

(Marcelo Teixeira, ex-presidente do Santos)

Já Lima afirmou ser favorável por considerar que ninguém, mesmo de outros clubes, está a altura do que foi o Rei Pelé.

"Dificilmente alguma equipe vai ter um jogador com o poderio dele. Só ele merece usar a 10, e ele que continue com ela. Que ela seja comercializada, mas em campo ninguém está a altura dele. Então não é depreciação não. É que o cara era impressionante", pontuou.

Publicidade

Narciso, volante que fez parte do time do Santos vice-campeão brasileiro em 1995, foi mais uma voz favorável a aposentadoria da camisa 10, eternizada por Pelé no Peixe. Ele afirma que, assim como é feito nos Estados Unidos, o número precisa ser guardado.

"Os esportes americanos fazem isso com seus ídolos, que são imortalizados. Pelé é o maior de todos. Na minha opinião, tem que ser, sim [aposentada]. Tem que guardá-la e deixá-la na lembrança", defendeu.

Publicidade

Em contrapartida aos colegas, Serginho Chulapa, ídolo do Santos nos 80, afirmou ser favorável a continuidade da numeração.

"Acho que a 10 tem que continuar. Todo mundo vai lembrar, ela não pode ser apagada nunca. Acho que o Rueda (presidente do Santos) parece que já mudou de ideia. Quando você vê a 10, você pensa 'pô, o negão vestiu a 10'", disse.

Quem também esteve no velório do Rei e falou sobre a aposentadoria do icônico número de Pelé foi o ex-presidente santista Marcelo Teixeira. O ex-mandatário, inclusive, revelou já existirem projetos para eternizar a 10 desde sua época.

"Eu ouvi dele mesmo que ele preferia que a camisa continuasse sendo usada. Ele tinha uma preocupação, e eu também, [...] o Brasil não consegue preservar a memória dos próprios ídolos e, ao tirar a camisa 10, acredito que a gente perderia isso ainda mais", disse o ex-presidente.

A responsabilidade da camisa 10

Depois da aposentadoria de Pelé, foram muitos os jogadores a vestir a camisa 10 santista. Atualmente, quem usa a icônica numeração é o venezuelano Yeferson Soteldo. Para ele, depois da morte do Rei, a responsabilidade em vestir a 10 é ainda maior. 

“Tenho muito respeito por esse número, por ele (Pelé) e por tudo que ele foi. Vou seguir representando como eu sempre fiz. E ainda mais agora, para dar alegria a todos os santistas e comemorar por ele”, afirmou.

Sobre a aposentadoria, Soteldo disse estar tranquilo. "Pesa mais agora (vestir a 10 do Santos), falaram em aposentar, mas estava tranquilo. É o Rei. Mas, também estou feliz por ela não ser aposentada, porque gosto da 10 também, mas agora eu vou ter muito mais responsabilidade", concluiu o venezuelano. 

Outros camisas 10

Aposentar ou não a camisa 10 não é uma polêmica recente. Nas aposentadorias de Zico, ídolo do Flamengo, Rivellino, ídolo de Corinthians e de Fluminense, e Ademir da Guia, do Palmeiras, a discussão existiu desde as mesas de debate de programas esportivos até a mesa de bar dos torcedores. A númeração, porém, seguiu sendo usada nesses casos. 

Mais recentemente, os goleiros Marcos, com a 12 no Palmeiras, e Rogério Ceni, com a 01 no São Paulo, também foram centro desta discussão.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Pietro Otsuka

No adeus a Pelé, veja as imagens mais marcantes dos fãs no cortejo do Rei

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.