Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Gyori, de Bruna de Paula, está na final da Champions League

Time da brasileira Bruna de Paula derrotou o Team Ebsjerg, da Dinamarca, por 24 a 23 e disputa o título da Champions League neste domingo...

Olimpíada Todo Dia

Olimpíada Todo Dia|Do R7

O Gyori, de Bruna de Paula, está na final da Champions League de handebol feminino. A equipe da brasileira derrotou o Team Ebsjerg, da Dinamarca, por 24 a 23 e garantiu a presença na decisão numa partida marcada pelo equilíbrio e pela emoção.

TWITTER

Bruna de Paula entrou bem no jogo sempre que foi acionada e marcou um gol no final do primeiro tempo. A francesa Estelle Nze Minko foi a artilheira do Gyori com seis gols, mesmo número marcado pela norueguesa Nora Mork pelo Team Ebsjerg.

O Gyori vai enfrentar neste domingo, na final da Champions League de handebol feminino, o vencedor do confronto entre o Biettigheim, da goleira brasileira Gabi Moreschi, e o Metz, da França, ex-equipe de Bruna de Paula. Quem perder, disputa o terceiro lugar com o Team Ebsjerg.

Publicidade

Lei do ex no começo!

O jogo começou difícil para a equipe de Bruna de Paula. A formação dinamarquesa, com uma defesa muito forte, abriu 3 a 0 nos primeiros quatro minutos com dois gols de Nora Mork, norueguesa que defendeu por muito tempo o Gyori.

Publicidade

A lei do ex estava mesmo a funcionar. Com cinco minutos de jogo, o placar era de 4 a 1 com três de Nora Mork. Aos pouco, entretanto, o Gyori foi reagindo até chegar ao empate em 5 a 5 com um gol de Nze Minko. Foram todo cinco gols seguidos contra nenhum do adversário, o que fez a equipe húngara colocar 7 a 5 no placar em mais um gol de Nze Minko.

Só que a partir daí foram dez minutos de seca por parte do Gyori. Dos 13 minutos do primeiro até os 23, a equipe não conseguiu marcar nenhum gol e o Team Ebsjerg virou o placar para 8 a 7. A sorte é que o time dinamarquês não conseguiu fazer muitos gols no período. Assim, com um gol de Szollosi-Schatl, que acabou com o jejum, o jogo estava empatado novamente.

Publicidade

Gol da Bruna de Paula

Bruna de Paula teve a chance de colocar o Gyori na frente, tentou uma rosca, mas a bola passou rente à trave. Quando a vantagem já era de 9 a 7 para a equipe húngara, a brasileira enfim conseguiu balançar a rede, abrindo três gols de vantagem.

Foi a vez do Team Ebsjerg viver um período de seca. Foram oito minutos sem marcar. Aos 29min30s, Reistad marcou o nono gol da equipe no jogo. Mas ainda houve tempo para Szollosi-Schatl marcar mais um para garantir uma vantagem de quatro gols para o Gyori no intervalo: 13 a 9.

Gyori abre seis gols

No segundo tempo, Bruna de Paula começou no banco de reservas e viu o Gyori chegar a seis gols de diferença aos nove minutos: 18 a 12. O adversário reagiu e reduziu a diferença para 19 a 16, quando a brasileira entrou aos 14 minutos.

Bruna de Paula foi jogar como armadora central e só atuava nos momentos em que a equipe atacava e descansava na hora de defesa. Em um de seus primeiros lances, chegou a marcar um gol, mas a arbitragem havia marcado uma falta sobre ela um pouco antes da bola entrar. Pouco depois, a camisa 10 deu uma linda assistência para Dale marcar 20 a 16.

Reação do Team Ebsjerg

Mas o jogo estava longe de estar resolvido. O Team Ebsberg voltou a reagir e a diferença caiu para dois pontos. Gros, do Gyori, chegou a perder um sete metros quando o placar era de 21 a 19. Pouco depois, Reistad marcou para o lado dinamarquês, que ficou a apenas um gol do rival.

A partir daí, os dois times trocaram gols por um bom tempo. O Gyori abria dois gols e, na sequência, o Team Ebsjerg diminuía para um. Aos 27 minutos, a equipe dinamarquesa teve a chance do empate, mas, sem goleira, Breistol arremessou do meio da quadra e acertou o travessão.

Defesa salvadora

O jogo entrou no minuto final com o placar em 23 a 22 para o Gyori e Dale teve a chance no pivô e não desperdiçou, abrindo dois gols de vantagem para a equipe de Hungria. Faltando 30 segundos, Solberg-Isaksen voltou a fazer a diferença cair para para um gol: 24 a 23.

A posse de bola era do Gyori, mas Ryu perdeu a bola e no último segundo o Team Ebsjerg teve a chance do empate. Solberg-Isaksen ficou cara a cara com Sandra Toft, mas a goleira fez uma defesa espetacular e garantiu a presença da equipe de Bruna de Paula na final da Champions League de handebol feminino.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.