Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Carrasco! Boca tem ampla vantagem em mata-mata contra brasileiros

'Xeneizes' só foram derrotados em três dos 18 confrontos contra brasileiros. Relembre como foram todos os embates na Copa Libertadores

Futebol|Do R7

Mais uma vez o Boca Juniors avançou de fase na Libertadores jogando diante de uma equipe brasileira. No total, são 18 confrontos, 15 classificações - dez delas no Brasil e apenas três eliminações. Confira a seguir os todos jogos...
(Foto: AFP)
Mais uma vez o Boca Juniors avançou de fase na Libertadores jogando diante de uma equipe brasileira. No total, são 18 confrontos, 15 classificações - dez delas no Brasil e apenas três eliminações. Confira a seguir os todos jogos... (Foto: AFP) Mais uma vez o Boca Juniors avançou de fase na Libertadores jogando diante de uma equipe brasileira. No total, são 18 confrontos, 15 classificações - dez delas no Brasil e apenas três eliminações. Confira a seguir os todos jogos... (Foto: AFP)
Em 1963, deu Santos na final contra o Boca Juniors. A equipe de Pelé & Cia. venceu a equipe argentina por 3 a 2 na Vila Belmiro e por 2 a 1 fora de casa.
(Foto: Reprodução)
Em 1963, deu Santos na final contra o Boca Juniors. A equipe de Pelé & Cia. venceu a equipe argentina por 3 a 2 na Vila Belmiro e por 2 a 1 fora de casa. (Foto: Reprodução) Em 1963, deu Santos na final contra o Boca Juniors. A equipe de Pelé & Cia. venceu a equipe argentina por 3 a 2 na Vila Belmiro e por 2 a 1 fora de casa. (Foto: Reprodução)
Já em 1977, foi a vez do Boca Juniors levar a melhor sobre um adversário brasileiro na decisão. A equipe xeneize fez 1 a 0 sobre o Cruzeiro na primeira partida. No segundo jogo, deu Cruzeiro, por 1 a 0. No jogo-desempate, em Montevidéu, houve um 0 a 0 no tempo normal. Mas, nos pênaltis, o Boca triunfou por 5 a 4.
(Foto: Conmebol)
Já em 1977, foi a vez do Boca Juniors levar a melhor sobre um adversário brasileiro na decisão. A equipe xeneize fez 1 a 0 sobre o Cruzeiro na primeira partida. No segundo jogo, deu Cruzeiro, por 1 a 0. No jogo-desempate, em Montevidéu, houve um 0 a 0 ... Já em 1977, foi a vez do Boca Juniors levar a melhor sobre um adversário brasileiro na decisão. A equipe xeneize fez 1 a 0 sobre o Cruzeiro na primeira partida. No segundo jogo, deu Cruzeiro, por 1 a 0. No jogo-desempate, em Montevidéu, houve um 0 a 0 no tempo normal. Mas, nos pênaltis, o Boca triunfou por 5 a 4. (Foto: Conmebol)
Passados 14 anos, foi a vez do Boca Juniors encontrar nova equipe brasileira: o Corinthians. Após abrir um 3 a 1 no jogo de ida, a equipe argentina se garantiu com um empate em 1 a 1 no ano de 1991.
(Foto: Reprodução)
Passados 14 anos, foi a vez do Boca Juniors encontrar nova equipe brasileira: o Corinthians. Após abrir um 3 a 1 no jogo de ida, a equipe argentina se garantiu com um empate em 1 a 1 no ano de 1991. (Foto: Reprodução) Passados 14 anos, foi a vez do Boca Juniors encontrar nova equipe brasileira: o Corinthians. Após abrir um 3 a 1 no jogo de ida, a equipe argentina se garantiu com um empate em 1 a 1 no ano de 1991. (Foto: Reprodução)
O Boca Juniors ainda encontrou outro brasileiro na mesma edição de 91. O Flamengo chegou a vencer a primeira partida, por 2 a 1 no Maracanã. Mas, na Bombonera, os xeneizes consolidaram sua força: 3 a 0.
(Foto: LANCE!)
O Boca Juniors ainda encontrou outro brasileiro na mesma edição de 91. O Flamengo chegou a vencer a primeira partida, por 2 a 1 no Maracanã. Mas, na Bombonera, os xeneizes consolidaram sua força: 3 a 0. (Foto: LANCE!) O Boca Juniors ainda encontrou outro brasileiro na mesma edição de 91. O Flamengo chegou a vencer a primeira partida, por 2 a 1 no Maracanã. Mas, na Bombonera, os xeneizes consolidaram sua força: 3 a 0. (Foto: LANCE!)
O Boca Juniors voltou a ficar no caminho de um brasileiro justamente em uma decisão. Na Libertadores de 2000, a equipe duelou com o então campeão Palmeiras. Após um 2 a 2 na Bombonera e um 0 a 0 no tempo normal no Parque Antarctica, a festa foi argentina nos pênaltis: vitória por 5 a 4.
(Foto: ANTONIO SCORZA / AFP)
O Boca Juniors voltou a ficar no caminho de um brasileiro justamente em uma decisão. Na Libertadores de 2000, a equipe duelou com o então campeão Palmeiras. Após um 2 a 2 na Bombonera e um 0 a 0 no tempo normal no Parque Antarctica, a festa foi argenti... O Boca Juniors voltou a ficar no caminho de um brasileiro justamente em uma decisão. Na Libertadores de 2000, a equipe duelou com o então campeão Palmeiras. Após um 2 a 2 na Bombonera e um 0 a 0 no tempo normal no Parque Antarctica, a festa foi argentina nos pênaltis: vitória por 5 a 4. (Foto: ANTONIO SCORZA / AFP)
O Vasco vinha com 100% de aproveitamento na Copa Libertadores de 2001. Mas a equipe de Riquelme & Cia. soube parar o time de Romário, Euller e Juninho Paulista em grande estilo. Vitória por 1 a 0 em São Januário e 3 a 0 na Bombonera, nas quartas de final.
(Foto: Reprodução)
O Vasco vinha com 100% de aproveitamento na Copa Libertadores de 2001. Mas a equipe de Riquelme & Cia. soube parar o time de Romário, Euller e Juninho Paulista em grande estilo. Vitória por 1 a 0 em São Januário e 3 a 0 na Bombonera, nas quartas de fin... O Vasco vinha com 100% de aproveitamento na Copa Libertadores de 2001. Mas a equipe de Riquelme & Cia. soube parar o time de Romário, Euller e Juninho Paulista em grande estilo. Vitória por 1 a 0 em São Januário e 3 a 0 na Bombonera, nas quartas de final. (Foto: Reprodução)
Boca Juniors e Palmeiras voltaram a medir forças na Libertadores já em 2001. As duas equipes se encontraram nas semifinais, mas com um enredo semelhante. Dois empates em 2 a 2 levaram a decisão para os pênaltis em território brasileiro. E, de novo, deu Boca, por 3 a 2.
(Foto: Reprodução)
Boca Juniors e Palmeiras voltaram a medir forças na Libertadores já em 2001. As duas equipes se encontraram nas semifinais, mas com um enredo semelhante. Dois empates em 2 a 2 levaram a decisão para os pênaltis em território brasileiro. E, de novo, deu... Boca Juniors e Palmeiras voltaram a medir forças na Libertadores já em 2001. As duas equipes se encontraram nas semifinais, mas com um enredo semelhante. Dois empates em 2 a 2 levaram a decisão para os pênaltis em território brasileiro. E, de novo, deu Boca, por 3 a 2. (Foto: Reprodução)
Na Libertadores de 2003, o Paysandu chegou a fazer história, garantindo um triunfo por 1 a 0 em plena Bombonera. No entanto, o sonho da Libertadores foi parado já pelo Boca Juniors nas quartas de final: no Mangueirão lotado, deu Boca Juniors, com um 4 a 2.
(Foto: Reprodução)
Na Libertadores de 2003, o Paysandu chegou a fazer história, garantindo um triunfo por 1 a 0 em plena Bombonera. No entanto, o sonho da Libertadores foi parado já pelo Boca Juniors nas quartas de final: no Mangueirão lotado, deu Boca Juniors, com um 4 ... Na Libertadores de 2003, o Paysandu chegou a fazer história, garantindo um triunfo por 1 a 0 em plena Bombonera. No entanto, o sonho da Libertadores foi parado já pelo Boca Juniors nas quartas de final: no Mangueirão lotado, deu Boca Juniors, com um 4 a 2. (Foto: Reprodução)
Após 40 anos, Boca Juniors e Santos se reencontram em uma final de Libertadores. Mas, desta vez, o Boca levou a melhor. Triunfos por 2 a 0 e por 3 a 1, além da volta olímpica em 2003.
(Foto: Arquivo Lancepress!)
Após 40 anos, Boca Juniors e Santos se reencontram em uma final de Libertadores. Mas, desta vez, o Boca levou a melhor. Triunfos por 2 a 0 e por 3 a 1, além da volta olímpica em 2003. (Foto: Arquivo Lancepress!) Após 40 anos, Boca Juniors e Santos se reencontram em uma final de Libertadores. Mas, desta vez, o Boca levou a melhor. Triunfos por 2 a 0 e por 3 a 1, além da volta olímpica em 2003. (Foto: Arquivo Lancepress!)
Sensação da Libertadores, o São Caetano também parou no caminho do Boca Juniors. Após empates em 0 a 0 e 1 a 1, os xeneizes fizeram 4 a 3 nos pênaltis, nas quartas de final de 2004.
(Foto: Reprodução)
Sensação da Libertadores, o São Caetano também parou no caminho do Boca Juniors. Após empates em 0 a 0 e 1 a 1, os xeneizes fizeram 4 a 3 nos pênaltis, nas quartas de final de 2004. (Foto: Reprodução) Sensação da Libertadores, o São Caetano também parou no caminho do Boca Juniors. Após empates em 0 a 0 e 1 a 1, os xeneizes fizeram 4 a 3 nos pênaltis, nas quartas de final de 2004. (Foto: Reprodução)
O Boca Juniors acabou com o sonho de título de um brasileiro na Copa Libertadores de 2007. O Grêmio foi goleado por 3 a 0 na Bombonera. E, no Olímpico, novamente deu Boca, por 2 a 0. E olha que Palermo ainda perdeu pênalti...
(Foto: Marcos Brindicci / Arquivo Lance!)
O Boca Juniors acabou com o sonho de título de um brasileiro na Copa Libertadores de 2007. O Grêmio foi goleado por 3 a 0 na Bombonera. E, no Olímpico, novamente deu Boca, por 2 a 0. E olha que Palermo ainda perdeu pênalti... (Foto: Marcos Brindicci / ... O Boca Juniors acabou com o sonho de título de um brasileiro na Copa Libertadores de 2007. O Grêmio foi goleado por 3 a 0 na Bombonera. E, no Olímpico, novamente deu Boca, por 2 a 0. E olha que Palermo ainda perdeu pênalti... (Foto: Marcos Brindicci / Arquivo Lance!)
Nas oitavas de final da Libertadores de 2008, o Boca Juniors despachou o Cruzeiro com duas vitórias por 2 a 1 . Uma na Bombonera e outra no Mineirão.
(Foto: Gil Leonardi/LANCE!Press)
Nas oitavas de final da Libertadores de 2008, o Boca Juniors despachou o Cruzeiro com duas vitórias por 2 a 1 . Uma na Bombonera e outra no Mineirão. (Foto: Gil Leonardi/LANCE!Press) Nas oitavas de final da Libertadores de 2008, o Boca Juniors despachou o Cruzeiro com duas vitórias por 2 a 1 . Uma na Bombonera e outra no Mineirão. (Foto: Gil Leonardi/LANCE!Press)
Porém, na semifinal de 2008, o Fluminense consolidou a qualidade do seu time diante do Boca Juniors. Após derrota por 1 a 0 na ida, a equipe que trazia Thiago Neves, Conca, Fred e Washington decretou um 3 a 1 no Maracanã.
(Foto: AFP)
Porém, na semifinal de 2008, o Fluminense consolidou a qualidade do seu time diante do Boca Juniors. Após derrota por 1 a 0 na ida, a equipe que trazia Thiago Neves, Conca, Fred e Washington decretou um 3 a 1 no Maracanã. (Foto: AFP) Porém, na semifinal de 2008, o Fluminense consolidou a qualidade do seu time diante do Boca Juniors. Após derrota por 1 a 0 na ida, a equipe que trazia Thiago Neves, Conca, Fred e Washington decretou um 3 a 1 no Maracanã. (Foto: AFP)
Quatro anos depois, Boca Juniors e Fluminense se reencontraram, mas nas quartas da Libertadores. E, desta vez, os xeneizes não deram espaço. Venceram por 1 a 0 na ida e arrancaram o 1 a 1 no Nilton Santos
(Foto: AFP)
Quatro anos depois, Boca Juniors e Fluminense se reencontraram, mas nas quartas da Libertadores. E, desta vez, os xeneizes não deram espaço. Venceram por 1 a 0 na ida e arrancaram o 1 a 1 no Nilton Santos (Foto: AFP) Quatro anos depois, Boca Juniors e Fluminense se reencontraram, mas nas quartas da Libertadores. E, desta vez, os xeneizes não deram espaço. Venceram por 1 a 0 na ida e arrancaram o 1 a 1 no Nilton Santos (Foto: AFP)
Mas, na final da Libertadores de 2012, o sorriso foi corintiano. Após arrancar um empate em 1 a 1 na Bombonera, o Timão sagrou-se campeão garantindo um triunfo por 2 a 0
(Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)
Mas, na final da Libertadores de 2012, o sorriso foi corintiano. Após arrancar um empate em 1 a 1 na Bombonera, o Timão sagrou-se campeão garantindo um triunfo por 2 a 0 (Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians) Mas, na final da Libertadores de 2012, o sorriso foi corintiano. Após arrancar um empate em 1 a 1 na Bombonera, o Timão sagrou-se campeão garantindo um triunfo por 2 a 0 (Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)
No ano seguinte, Boca Juniors e Corinthians se reencontraram, mas nas oitavas de final. E, desta vez, quem falou mais alto foi a equipe argentina: vitória por 1 a 0 e empate em 1 a 1
(Foto: Tom Dib/Lancepress!)
No ano seguinte, Boca Juniors e Corinthians se reencontraram, mas nas oitavas de final. E, desta vez, quem falou mais alto foi a equipe argentina: vitória por 1 a 0 e empate em 1 a 1 (Foto: Tom Dib/Lancepress!) No ano seguinte, Boca Juniors e Corinthians se reencontraram, mas nas oitavas de final. E, desta vez, quem falou mais alto foi a equipe argentina: vitória por 1 a 0 e empate em 1 a 1 (Foto: Tom Dib/Lancepress!)
Na edição de 2018, o Boca Juniors já despachou um clube brasileiro: o Cruzeiro. Após garantir um 2 a 0 na Bombonera, arrancou o empate em 1 a 1 no Mineirão nas quartas de final
(Foto: AFP)
Na edição de 2018, o Boca Juniors já despachou um clube brasileiro: o Cruzeiro. Após garantir um 2 a 0 na Bombonera, arrancou o empate em 1 a 1 no Mineirão nas quartas de final (Foto: AFP) Na edição de 2018, o Boca Juniors já despachou um clube brasileiro: o Cruzeiro. Após garantir um 2 a 0 na Bombonera, arrancou o empate em 1 a 1 no Mineirão nas quartas de final (Foto: AFP)
Na semifinal da Libertadores de 2018, o Boca surpreendeu a forte equipe do Palmeiras e venceu os brasileiros por 2 a 0 na La Bombonera. Já no Allianz Parque, o empate por 2 a 2 garantiu os argentinos na final da competição.
(Foto: AFP)
Na semifinal da Libertadores de 2018, o Boca surpreendeu a forte equipe do Palmeiras e venceu os brasileiros por 2 a 0 na La Bombonera. Já no Allianz Parque, o empate por 2 a 2 garantiu os argentinos na final da competição. (Foto: AFP) Na semifinal da Libertadores de 2018, o Boca surpreendeu a forte equipe do Palmeiras e venceu os brasileiros por 2 a 0 na La Bombonera. Já no Allianz Parque, o empate por 2 a 2 garantiu os argentinos na final da competição. (Foto: AFP)

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.