Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Em confronto maquiado pelas ausências no Cruzeiro, Vasco tem 'melhora' no Brasileirão

Cruz-Maltino tem números ruins nos setores de ataque e de defesa no Brasileirão

Lance

Lance|Do R7


Imagem da notícia

Em mais uma oportunidade, o Vasco decepcionou, tropeçou em São Januário e segue próximo da zona de rebaixamento. Com um quarto do Brasileirão, a equipe soma apenas sete pontos.

➡ Clique para assinar o Premiere por 30 dias grátis!

A Raposa não contou com o talento de seus principais jogadores na 9ª rodada, como Matheus Pereira, Dinenno, Arthur Gomes e Cifuentes, peças essenciais para a criação de jogadas da equipe mineira. Com isso, o Cruz-Maltino sofreu apenas oito finalizações.

Em tese, esse número representa uma expressiva melhora em relação aos dois últimos jogos sob comando do técnico Álvaro Pacheco, uma vez que o Vasco sofreu 58 finalizações nas últimas semanas. Mas isso passa por uma melhora do time ou foi uma situação ocasional pelos desfalques do rival?

Publicidade

Ofensivamente, o Cruz-Maltino apresentou mais uma atuação pobre e com poucas chances claras de gols. Zé Gabriel teve a melhor chance do confronto aproveitando um desvio de Vegetti após cobrança de bola parada e desviando para defesa do goleiro Anderson.

Com isso, o Vasco chegou ao segundo jogo consecutivo sem balançar as redes do adversário. Além de ter a piro defesa do Brasileirão (19 gols sofridos), o clube tem o 4º pior ataque (7 gols marcados), mas com partidas a mais em relação a Grêmio, Fortaleza e Internacional, que possuem apenas seis gols.

Publicidade

Próximo de completas um mês à frente do Vasco, Álvaro Pacheco pouco apresentou melhorias reais, o que justifica as críticas e cobranças das arquibancadas. E no meio de semana, o português encontrará o Juventude no Alfredo Jaconi, que costuma ser um mandante difícil de ser batido.

Nesse momento, o português segue pressionado no cargo do Cruz-Maltino, uma vez que não vence e também não convence. Sem semanas cheias de trabalho, o comandante precisará dar uma resposta para sobreviver no cargo.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.