Valentino Rossi quer seguir na MotoGP em 2021: 'Espero continuar correndo'

Um dos maiores pilotos da MotoGP de todos os tempos, o italiano Valentino Rossi está perto da aposentadoria. Mas, mesmo aos 41 anos, o heptacampeão mundial garantiu que neste momento não pensa em deixar a categoria e lembrou que pretende continuar a competir em 2021. Ainda confinado na Itália por conta da pandemia do novo coronavírus, admitiu que tomará a sua decisão antes mesmo do início desta temporada.

"Estou numa situação difícil porque, como eu disse, a minha primeira opção é tentar continuar. Tenho motivação o bastante e quero continuar. Mas é muito importante entender o nível da competição, pois, especialmente na segunda parte do ano passado, nós sofremos muito, eu fui lento muitas vezes e tive de lutar fora do Top 5", disse Rossi em uma entrevista online divulgada pela Yamaha. "Na minha cabeça, tinha mais um ano com o time de fábrica e precisava de tempo para decidir. Preciso de cinco ou seis corridas, com um novo mecânico-chefe, e algumas modificações no time para entender se posso ser forte".

"O problema é que não tem corrida. Com o vírus, não podemos correr. Então tenho de decidir antes de correr porque a situação mais otimista é que possamos correr na segunda metade da temporada, então por volta de agosto ou setembro, esperamos, se tudo estiver bem", comentou. "Mas tenho de tomar minha decisão antes. Mas, de qualquer forma, eu quero continuar, mas tenho de tomar essa decisão sem nenhuma corrida", afirmou.

A temporada de 2020 seria a última de Rossi na Yamaha, já que a equipe japonesa anunciou em janeiro que o espanhol Fabio Quartararo será o companheiro do compatriota Maverick Viñales a partir da edição de 2021 da categoria.

No entanto, a MotoGP ainda não começou por causa da pandemia do novo coronavírus. Conforme o calendário, a primeira prova da temporada de 2020 da categoria está marcada para o dia 21 de junho em Sachnring, na Alemanha.

"Disputar apenas seis ou oito corridas não seria a melhor maneira de terminar a minha carreia. Para além disso não sabemos se vamos correr este ano. Por isso penso que será mais justo realizar mais uma temporada e depois parar. Espero continuar correndo em 2021", concluiu.

O italiano tem a opção de ir para a Petronas, ex-equipe de Quartararo, ou de se aposentar. Em 2019, Rossi terminou a temporada na sétima colocação, somando 174 pontos. No total, disputou 14 temporadas pela Yamaha e conquistou quatro de seus sete títulos da MotoGP com a equipe japonesa.