Corrupção na Fifa
Esportes Saiba quem é J. Hawilla, dono da Traffic

Saiba quem é J. Hawilla, dono da Traffic

Empresário está entre os acusados por Departamento de Justiça norte-americano

Saiba quem é J. Hawilla, dono da Traffic

José Hawilla é um dos acusados em esquema de corrupção na Fifa

José Hawilla é um dos acusados em esquema de corrupção na Fifa

Reprodução/YouTube

Uma operação contra a corrupção na Fifa prendeu, na madrugada desta quarta-feira (27), em Zurique, na Suíça, sete dirigentes da entidade máxima de futebol, incluindo o ex-presidente da CBF, José Maria Marin. Entre os brasileiros acusados pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos está, também, o empresário José Hawilla.

Veja também: José Maria Marin está entre os sete dirigentes presos em operação contra corrupção na Fifa

J. Hawilla, como é conhecido, foi um jornalista de sucesso, mas trocou as redações pelo mundo do empreendedorismo. Em 1980, fundou a Traffic Sports, maior empresa de marketing esportivo do Brasil, e se tornou, então, uma das figuras mais influentes do País. Além da empresa, ele é proprietário, também, de uma TV afiliada à Rede Globo no interior paulista. O empresário morava em Miami, nos Estados Unidos, e deixava o comando de parte de seus negócios sob os cuidados dos filhos, no Brasil.

E mais: Três brasileiros entre os acusados de corrupção da Fifa

A Traffic tem imensa influência no meio futebolístico. Em 1996, intermediou o acordo de materiais esportivos entre a seleção brasileira e a Nike. Anos mais tarde, colaborou com a organização do primeiro Mundial de Clubes da Fifa, em 2000. A empresa comercializa, também, direitos de transmissão de importantes competições da América Latina, além de gerenciar jogadores e clubes.

De acordo com as autoridades norte-americanas, em dezembro de 2014, J. Hawilla, que foi acusado pelos crimes de fraude eletrônica, extorsão, obstrução de justiça e lavagem de dinheiro, foi indiciado e se declarou culpado. Na ocasião, o cartola aceitou devolver cerca de US$ 151 milhões, sendo que, deste valor, US$ 25 milhões foram pagos na hora. Já em 14 de maio de 2015, os indiciados da Traffic Sports International Inc. e Traffic Sports USA, foram considerados culpados sob a acusação de fraude bancária.

Com mais de 24 anos de existência, corrupção da FIFA movimentou quase meio bilhão de reais em propinas

Além de Hawilla, Daryan e Daryll Warner, filhos de Jack Warner, ex-presidente da Fifa, e Charles Blazer, ex-representante dos Estados Unidos no Comitê Executivo da Fifa e ex-secretário-geral da Concacaf, são outros indiciados que se declararam culpados.