Esportes Problemas nas costas persistem e Rafael Nadal desiste do ATP 500 de Roterdã

Problemas nas costas persistem e Rafael Nadal desiste do ATP 500 de Roterdã

Um velho problema está atrapalhando o começo de temporada de Rafael Nadal. Nesta quinta-feira, o tenista espanhol anunciou que desistiu de disputar o ATP 500 de Roterdã, na Holanda, na próxima semana, por causa das dores nas costas que persistem em incomodar desde o começo deste ano. O atual número 2 do mundo era o principal cabeça de chave da competição em quadras rápidas.

"Estou muito triste em ter que desistir de Roterdã. Como muitos dos meus fãs sabem, sofri com problemas nas costas na Austrália, que começaram em Adelaide e continuaram em Melbourne (no Aberto da Austrália). Achamos uma solução temporária para que eu pudesse jogar sem dor na segunda semana do torneio", escreveu Nadal em suas redes sociais.

"Uma vez de volta à Espanha, visitei meu médico e junto com meu time decidimos que não jogaria na próxima semana. Estava ansioso por voltar a Roterdã, onde não jogo faz muito tempo. Espero estar de volta em breve e desejo o melhor para o torneio", complementou o tenista espanhol.

A desistência de Nadal é a terceira em Roterdã com tenistas do Top 20 do ranking da ATP - os outros dois são o italiano Matteo Berrettini, atual número 10 do mundo, e o canadense Denis Shapovalov, 11.º colocado.

"Infelizmente, Rafael Nadal foi forçado a desistir do ATP de Roterdã. Os problemas nas costas que começaram na Austrália o impedirão de competir na próxima semana. Daniil Medvedev, número 3 do mundo, será agora o principal cabeça de chave no torneio", disse o comunicado da organização da competição.

Com a ausência de Nadal, Medvedev não apenas herda a condição de principal favorito, mas também tem agora grande chance de superá-lo no ranking. Eles estão separados por apena 115 pontos e o russo precisa descontar essa diferença para se tornar o primeiro tenista fora do "Big Four" (Novak Djokovic, Nadal, Roger Federer e Andy Murray) a figurar entre os dois primeiros da ATP desde 2005.

Para deixar o espanhol para trás, o atual número 3 do mundo precisará pelo menos chagar até a final, uma vez que precisará descontar os 90 pontos conquistados com as quartas de final no ATP 500 de Viena, na Áustria, para poder somar a pontuação que será obtida em Roterdã.

Últimas