Silvio Lancellotti Já finalista, neste sábado a China cumpre tabela na Copa do Xadrez

Já finalista, neste sábado a China cumpre tabela na Copa do Xadrez

A única invicta na competição online, a equipe do Oriente espera para saber se, na decisão de domingo, pegara os Estados Unidos ou a Europa 

Detalhe do painel da competição, cada enxadrista em seu canto

Detalhe do painel da competição, cada enxadrista em seu canto

@FIDE_chess

Aconteceram nesta sexta-feira, dia 8 de Maio de 2020, as rodadas de número 7 e número 8 da I Copa das Nações de Xadrez Online. Restam apenas mais duas, agora, dia 9, sábado, para terminar a sua fase de qualificação. De todo modo, matematicamente, a equipe da China assegurou a sua passagem ao duelo extra que, já no domingo, dia 10, apontará o campeão da inédita e pioneira competição. Dá uma idéia da qualidade do elenco do Oriente o fato de Yu Yangyi, 25 de idade, Grande Mestre desde os 14 anos, 11 meses e 23 dias, entrar na Copa como reserva e até agora saborear quatro sucessos e três empates em sete partidas. Uma performance sensacional.

Yu Yangji

Yu Yangji

@FIDE_chess

A China, que tinha 11 pontos em 12 possíveis, acumulou mais 4, em prélios contra a Europa (2 1/2 X 1 1/2) e a Rússia (2 1/2 X 1 1/2), e ficou absolutamente inatingível no alto da tabela. Brigam pela outra vaga os times dos Estados Unidos (11) e da Europa (10), que nesta data desafiaram, respectivamente, a Rússia (2 1/2 X 1 1/2) e o Resto do Mundo (3 X 1), e a Índia (2 X 2). Sábado, a China ainda pegará Índia e EUA. À Europa caberão os EUA e o Resto do Mundo. Uma tabela aparentemente ingrata para os norte-americanos. De todo modo, os dois choques diretos deixam a qualificação em suas mãos.

O time da Europa

O time da Europa

@FIDE_chess

Cada uma das seis seleções da Copa ostenta um elenco de quatro homens e duas mulheres. Como titulares, três dos homens e uma das mulheres. Aliás, no caso da Europa e do Resto do Mundo, se trata, realmente de seleções. Pela Europa atuam, por ordem de ranking: Maxime Vachier-Lagrave (França), Levon Aronian (Armênia), Anish Giri (Países Baixos), Jan-Kryzysztof  Duda (Polônia), Anna Muzychuck (Ucrânia) e Nana Dzagnidze (Geórgia). Pelo esquadrão do Resto do Mundo, disputam: Teimour Boris Radjabov (Azerbaidjão), Alireza Firouzja (Irã), Bassem Amim (Egito), Jorge Cori (Peru), Mariya Muzychuk (Ucrânia) e Dinara Saduakassova (Cazaquistão).

O time do Resto do Mundo

O time do Resto do Mundo

@FIDE_chess

A competição acontece em dez jornadas de time contra time. Cada duelo, ou um “match”, tem quatro partidas. Em cada “match”, uma vitória vale um ponto e o empate vale meio. Daí, para se estabelecer a classificação geral, o time que ganha um “match” leva dois pontos e aqueles que se igualam compartilham um e um. No fim das contas, no desfecho do segundo turno, as seleções com mais pontos brigarão, num prélio extra, no dia 10, pela taça da competição pioneira e por um prêmio equivalente a R$ 1 mi, ótimo no Xadrez.

Kasparov, Anand, e o ex-campeão Anatoly Karpov

Kasparov, Anand, e o ex-campeão Anatoly Karpov

viatovitch chess

Um capitão, o correspondente, digamos, a um treinador, escala os quatro enxadristas que disputam cada “match” de quatro partidas. É o antológico Garry Kasparov, do Azerbaidjão, quem exerce essa função no time do Resto do Mundo. Na Índia, Viswanathan Anand, derrotado por Kasparov, 7 1/2 X 10 1/2 na briga pelo Mundial de 1995, divide as tarefas de capitão e jogador. A responsabilidade do capitão se multiplica porque esta Copa segue o estilo do Jogo Relâmpago, as pelejas em ritmo rápido, o tempo básico de 25’ e um incremento de 10” por movimento a partir do lance de abertura. E nem sempre quem fulgura no Xadrez, digamos, clássico, pensado, com até mais de duas horas de empenho, brilha no duelo de velocidade.

Ding Liren, da China

Ding Liren, da China

@FIDE_chess

Para que você entenda melhor, basta saber que, na média dos “ratings”, ou as pontuações de cada enxadrista na sua carreira recente, em pugnas no estilo “Blitz”, a China é a dianteira com 2.718. Daí, vêm a Europa (2.687), a Rússia (2.662), os EUA (2.654), a Índia (2.611) e, por último, o Resto do Mundo (2.598). Nos “ratings” individuais, está no topo o ítalo-americano Fabiano Caruana, 2.835. Mas, no Relâmpago, reduzido a 2.773, ele fica atrás do patrício Hikaru Nakamura, 2.829. No normal, Nakamura se limita a 2.736. Os dois destaques no Relâmpago, o chinês Ding Liren (2.836), e o francês Vachier-Lagrave (2.860), que defende a Europa, no estilo normal têm 2.791 e 2.778.

Vachier-Lagrave, da Europa

Vachier-Lagrave, da Europa

@FIDE_chess

Prometido e cumprido, desde a época, Março, do Torneio de Candidatos, acompanho, integralmente, o passo-a-passo da Copa das Nações de Xadrez e, sempre que viável, aqui faço as indispensáveis atualizações. Aqueles, porém, que desejarem a velocidade online e, melhor, os pertinentes comentários de dois GMs brasileiros, Rafael Leitão e Krikor Mekhitarian, eis o endereço:

www.twitch.tv/chesscompt


Gostou? Clique em “Compartilhar”, em “Twittar”, ou deixe a sua opinião em “Comentários”. Obrigado. Fique em casa, que eu fico a dever um abração!

Últimas