Cosme Rímoli Volpi outra vez sabota o São Paulo. 2 a 2 contra o Fortaleza

Volpi outra vez sabota o São Paulo. 2 a 2 contra o Fortaleza

O time de Hernán Crespo conseguiu abrir 2 a 0, com dois gols de Rigoni. Mas Volpi falhou feio e ofereceu o primeiro gol ao Fortaleza, que renasceu no jogo. E empatou primeiro jogo das quartas da Copa do Brasil

  • Cosme Rímoli | Do R7

Tiago Volpi falhou infantilmente. E fez o Fortaleza renascer. E empatar o jogo

Tiago Volpi falhou infantilmente. E fez o Fortaleza renascer. E empatar o jogo

Reprodução/Premiere

São Paulo, Brasil

Depois da eliminação traumática da Libertadores, o São Paulo voltou, em oito dias, a encarar um mata-mata. E, com enorme responsabilidade. Como favorito, no Morumbi. Contra o Fortaleza, na partida de ida das quartas da Copa do Brasil.

E o time de Hernán Crespo estava instável, tenso. Alternava bons e maus momentos.

Até que o argentino Emiliano Rigoni mostrou porque é a melhor contratação do São Paulo em 2021.

Misturando oportunismo, frieza e técnica, o atacante decidiu o jogo em dois lances.

Aos 23 minutos do segundo tempo, Reinaldo serviu Rigoni na direita. A zaga nordestina deu espaço. E o argentino cortou da direita para o chute de perna esquerda. A bola passava no meio das pernas de Jussa, e ainda raspou na direita, deslocando o ótimo goleiro Marcelo Boeck.

1 a 0.

O Fortaleza se adiantou, buscando o empate. Mas de forma exagerada, sem consciência. E Liziero conseguiu travar a bola no meio de campo. E fez excelente lançamento para Rigoni. O argentino não titubeou. Ganhou na corrida de Titi e tocou, na saída de Boeck. 2 a 0, aos 33 minutos.

Rigoni havia desequilibrado o jogo para o São Paulo. Dois gols de artilheiro

Rigoni havia desequilibrado o jogo para o São Paulo. Dois gols de artilheiro

Rubens Chiri/São Paulo

Se Rigoni era celebrado, chegou a vez de Volpi se expor a críticas.

Depois de falhas nos jogos contra o Palmeiras, pela Libertadores, outra falha do goleiro fez o Fortaleza renascer. Robson lançou Pikachu. O ala entrou nas costas de Reinaldo. A bola se ofereceu para o goleiro são paulino. Mas, de forma infantil, ele não pulou reto, em direção da bola e de Pikachu. Ele tentou evitar o choque, pulando na diagonal. 

Resultado, a bola sobrou para Pikachu. Ele só tocou a bola para o fundo do gol. 2 a 1.

O Fortaleza ficou ensandecido com esta chance oferecida por Volpi.

O time cearense partiu para o ataque, sentindo o medo, a falta de confiança, de personalidade do São Paulo. E aos 47 minutos, o justo castigo.

Henríquez cruzou com perfeição e Romarinho cabeceou para as redes.

2 a 2.

Outra desilusão do São Paulo.

"A verdade é que tínhamos a partida resolvida num momento e não soubemos controlar de uma forma inteligente. Terminamos empatando uma partida que nos daria tranquilidade, mas bem, agora é seguir, corrigir os erros e jogar a volta com mais inteligência.

"(Faltou) um pouco de concentração, de agressividade, jogar até o final com a mesma intensidade. São erros que vamos ter que melhorar, trabalhar para não cometer outra vez", disse Rigoni, que foi responsável pela falsa impressão que o São Paulo conseguiria uma vitória fundamental. 

Rigoni falou em falta de concentração de agressividade, mas desta vez um erro individual proporcionou a reviravolta inesperada no jogo.

Até então, Crespo e Juan Vojvoda faziam um duelo argentino muito interessante. Com o Fortaleza mostrando futebol compacto, competitivo, moderno. Mesmo com jogadores com muito menos técnica que o rival paulista. Atuando no 4-4-2, que se modificava para 4-3-3, e até no 4-2-3-1. Time versátil, com excelente preparo físico.

Romarinho marcou o gol de empate do Fortaleza. Erro de Volpi mudou a partida

Romarinho marcou o gol de empate do Fortaleza. Erro de Volpi mudou a partida

Leonardo Moreira/Fortaleza

O São Paulo, no seu tradicional 3-5-2, buscava vencer explorando as laterais, ponto fraco do time cearense. Daniel Alves, que fez outra péssima partida, e Reinaldo bem no ataque e falho na marcação, atuaram abertos e espaçavam o sistema defensivo nordestino.

Miranda se destacava na defesa porque Nestor e Luan atuaram muito espaçados, dando chance para os atacantes do Fortaleza jogarem às costas dos volantes.

A partida seguia muito brigada, literalmente, com faltas em excesso, permitidas pelo árbitro Wilton Pereira Sampaio, muito permissivo.

O jogo alternava lances emocionantes dos dois ataques com pontapés em excesso.

Até que Rigoni marcou os dois gols.

Volpi falhou.

O Fortaleza ganhou toda a confiança que o São Paulo perdeu.

E empatou o jogo.

Levou o ótimo resultado para a partida de volta, no Ceará.

Crespo precisa repensar seu time.

E, principalmente, seu goleiro...

Jogador do City é afastado após múltiplas acusações de estupro

Últimas