Cosme Rímoli Vitória da personalidade. São Paulo goleia e é semifinalista

Vitória da personalidade. São Paulo goleia e é semifinalista

Time de Hernán Crespo se impôs diante da competitiva Ferroviária. 4 a 2, no Morumbi. E vai decidir vaga para a final contra o Mirassol

  • Cosme Rímoli | Do R7

São Paulo se impôs, mostrou caráter. Semifinalista para acabar com o jejum de nove anos

São Paulo se impôs, mostrou caráter. Semifinalista para acabar com o jejum de nove anos

ALEX SILVA/ESTADÃO CONTEÚDO 14.05.21

São Paulo, Brasil

O São Paulo de Hernán Crespo se impôs.

Foi exatamente como a diretoria e a torcida cobravam do time, nos jogos eliminatórios.

Guerreiro, com personalidade, técnica e sem dar chance para a Ferroviária ser a surpresa do Campeonato Paulista.

Com excelente atuação de Benítez, o cérebro da equipe, o São Paulo venceu o time de Araraquara por 4 a 2, no Morumbi, e duelará com o Mirassol para chegar à final do Paulista.

E ter a chance de acabar com o jejum de nove anos sem conquistar um título. Do outro lado, Corinthians e Palmeiras, na semifinal. 

O segredo do São Paulo foi marcar muito forte, sob pressão, a saída de bola do time interiorano. E também forçar pelo lado direito. Igor Vinícius foi muito bem no lugar do contundido Daniel Alves. Triangulando, cruzando, infiltrando. Foi um ala desequilibrante.

O plano tático de Elano era muito simples. Resistir à previsível pressão do São Paulo e buscar contragolpes, principalmente pelo setor esquerdo, já que Reinaldo costuma atacar até de forma exagerada, não marcando tão bem.

Só que o São Paulo está bem demais fisicamente. Entrou com vibração assustadora, querendo decidir a partida logo no início. O 3-5-3 virou imediatamente 3-2-5. A troca de passes era objetiva, letal, com os jogadores descendo em bloco. Complicando de forma irremediável a marcação do time de Araraquara.

O goleiro Saulo conseguiu fazer defesas impressionantes, até que Igor Vinícius descobriu Gabriel Sara livre na grande área. 1 a 0, São Paulo.

O ritmo não diminuiu, com Crespo cobrando o time para mais gols. Léo Pelé decidiu dar um pouco de emoção ao jogo, ao errar um passe infantil e Bruno Mezenga ficou com a sobra, invadiu a grande área do São Paulo e chutou para fora.

O gol espetacular de Renato Cajá, na cobrança de falta. No ângulo, sem defesa para Volpi

O gol espetacular de Renato Cajá, na cobrança de falta. No ângulo, sem defesa para Volpi

Reprodução/Twitter Paulistão

O castigo viria com Liziero. Benítez serviu Igor Vinícius. O cruzamento foi desviado por Sara e Liziero completou, com a bola passando por baixo de Saulo. 2 a 0.

E o São Paulo seguiu buscando mais gols.

Reinaldo obrigou Saulo a fazer outra grande defesa.

Quando a goleada parecia desenhada, Renato Cajá cobrou uma falta com maestria. Forte, no ângulo que Tiago Volpi não conseguiu nem pensar em defender. 2 a 1, aos 42 minutos.

No segundo tempo, a Ferroviária tentou buscar o empate. E se abriu. O São Paulo se aproveitou. Principalmente Benítez, cerebral, que atuava livre. Ele foi o responsável direto por dois gols. Serviu primeiro Igor Vinícius, aos seis minutos. 3 a 1.

E depois o argentino deu um passe magistral, virando o corpo, surpreendendo a zaga da Ferroviária. A bola chegou aos pés de Pablo, livre. 4 a 1, aos 19 minutos.

Pablo comemora o quarto gol do São Paulo. Benítez teve atuação desequilibrante

Pablo comemora o quarto gol do São Paulo. Benítez teve atuação desequilibrante

São Paulo

O São Paulo diminuiu o ritmo, se poupando para a semifinal. Foi quando o artilheiro do Paulista, Bruno Mezenga, se desmarcou, recebeu a bola nas costas de Miranda. E deslocou Volpi, aos 37 minutos. 4 a 2.

O jogo estava decidido.

A Ferroviária fez boa campanha.

E o São Paulo está na semifinal.

Contra o Mirassol.

Com a melhor campanha no Paulista.

Desesperado para acabar com o jejum de nove anos...

Bugatti, Ferrari e até Rolls-Royce: conheça a coleção de carros de CR7

Últimas