Cosme Rímoli Vexame contra o Botafogo. Medo do São Paulo: depender do Palmeiras

Vexame contra o Botafogo. Medo do São Paulo: depender do Palmeiras

O milionário elenco são paulino precisava vencer para assegurar a fase de grupos na Libertadores. Perdeu para o lanterna, rebaixado Botafogo

  • Cosme Rímoli | Do R7

Rebaixado. Lanterna. O Botafogo não vencia há dez jogos. São Paulo, de novo, sem fibra

Rebaixado. Lanterna. O Botafogo não vencia há dez jogos. São Paulo, de novo, sem fibra

Vitor Silva/Botafogo

São Paulo, Brasil

Hernán Crespo teve o choque de realidade que precisava.

O técnico argentino viu o descompromisso, a falta de personalidade, a apatia que contamina o São Paulo em jogos importantes nos últimos anos.

Tudo o que faz, como melhor exemplo, o clube de líder do Brasileiro, com sete pontos de vantagem, à ameaça de ter de disputar a pré-Libertadores.

 A equipe precisava vencer o Botafogo, último colocado no Brasileiro, para se garantir na fase de grupos da Libertadores.

Luciano cobrou de forma displicente e facilitou a defesa de Diego Loureiro

Luciano cobrou de forma displicente e facilitou a defesa de Diego Loureiro

Vítor Silva/Botafogo

Com cerca de um bilhão de reais em dívidas, o clube carioca tem o pior elenco do Campeonato Nacional. Que se mostrou fraquíssimo, sem receber salários em dia, pressionado, com treinadores sem rumo, a não ser tentar montar retrancas.

O Botafogo estava sem vencer há dez jogos.

Mas mesmo assim, o São Paulo conseguiu perder por 1 a 0.

Nem com a ajuda da arbitragem, que marcou pênalti inexistente em Galeano, o clube conseguiu sequer empatar. Displicente, Luciano facilitou a defesa de Diego Loureiro.

E agora tem de derrotar o Flamengo, na quinta-feira, para obter a vaga na fase de grupos da Libertadores.

Só que enfrentará o líder, precisando também dos três pontos.

Mas para um objetivo muito mais nobre: ganhar o bicampeonato nacional.

Não bastasse a derrota, o time de Vizzoli ainda perdeu dois laterais esquerdos.

Reinaldo foi expulso aos 28 minutos primeiro tempo.

Ele deu um dos seus tradicionais carrinhos em Warley, que escapava com a bola.

Acertou o jogador.

Mereceu o vermelho.

Léo Pelé tomou o terceiro amarelo.

Asssustador foi o que se viu em campo.

A equipe lenta, sem velocidade nenhuma de transição da defesa para o ataque. Do meio para a frente, falta de gana, movimentação, acomodada.

De nada adiantaram os pedidos de Vizolli, faltava motivação, correria para tentar marcar sob pressão uma equipe inferior.

Mesmo com um jogador a menos, o potencial dos atletas do São Paulo era muito maior.

O que não tinha justificativa era o básico, a falta de competitividade.

Com isso, o Botafogo foi se animando.

E adiantando a marcação, conseguiu seu gol de vitória.

Aos 12 minutos do segundo tempo.

Warlei cruzou da direita e Matheus Babi se infiltrou e se antecipou a Arboleda.

Havia tempo mais do que suficiente para o São Paulo buscar escapar da vitória.

Tirando o pênalti criado por Bráulio da Silva Machado, o Botafogo não correu riscos.

O time do interino Lúcio Flávio não teve o menor problema para vencer.

Time sem rumo, sem atitude. São Paulo mereceu a derrota contra o rebaixado Botafogo

Time sem rumo, sem atitude. São Paulo mereceu a derrota contra o rebaixado Botafogo

Alexandre Durão/Estadão Conteúdo - 22/2/2021

Se Hernán Crespo cumprir sua palavra e montar uma equipe vibrante, competitiva, que lutará em todas as partidas que estiver em campo, muitos jogadores deixarão o Morumbi.

Agora, o time tem a obrigação de vencer o Flamengo, para garantir participar da fase de grupos da Libertadores, que começará na segunda quinzena de abril.

Dar a Crespo tempo para preparar o time para a competição mais importante do ano.

Se não conseguir, entrará na pré-Libertadores, que começará no início de março.

Com pressão precoce e desnecessária pela classificação.

Que já poderia ter sido evitada ontem.

Mas o time perdeu para o lanterna Botafogo.

E agora tem a obrigação de vencer o líder Flamengo.

Se perder ou empatar, poderá ser ultrapassado pelo Fluminense, se o clube carioca vencer o Ceará, no Maracanã.

No pior cenário, há uma última possibilidade.

O Palmeiras ser campeão da Copa do Brasil.

Aí, o quinto colocado no Brasileiro também entraria na fase de grupos.

A humilhação seria maior.

Torcer para um rival ser campeão.

Por conta da incompetência de vencer o rebaixado, o lanterna Botafogo.

Hernán já sabe o que o espera...

Últimas