Cosme Rímoli Torcedores  não aceitarão derrota para o São Paulo. Pressão sobre Jair

Torcedores  não aceitarão derrota para o São Paulo. Pressão sobre Jair

Pacto de organizada com Andrés, para esperar 2019, não suporta a péssima fase do Corinthians. Se perder o clássico, acabará a paz

corinthians

JPaciência da organizada acabou. Não aceitará derrota para o São Paulo

JPaciência da organizada acabou. Não aceitará derrota para o São Paulo

Agência Corinthians

São Paulo, Brasil

Acabou a paciência dos líderes da Gaviões da Fiel.

Apesar deles terem prometido ao presidente Andrés Sanchez paciência, pelo menos até o final do ano, a medíocre campanha corintiana tem sido pior do que eles imaginavam.

O encontro aconteceu na quinta-feira, dia 25 de outubro. 

Após a reunião, na qual Andrés garantiu um time forte em 2019, o Corinthians jogou duas vezes. E mal. A primeira partida foi contra o Bahia, no Itaquerão.

Passou por grande sufoco, porém conseguiu vencer por 2 a 1, dois gols de Danilo, veterano de 39 anos.

No Rio de Janeiro, enfrentou o Botafogo, assumidamente, um dos piores times da Série A. E outra vez, jogando de forma constrangedora, sem a mínima força ofensiva, perdeu por 1 a 0.

A equipe está apenas na 12ª colocação no Brasileiro, apenas a cinco pontos da zona do rebaixamento. A Libertadores de 2019, desejo de Andrés Sanchez, está cada vez mais distante.

No próximo sábado, um jogo que desperta muita rivalidade entre os torcedores corintianos. O clássico contra o São Paulo, em Itaquera. O adversário está lutando pela vaga na fase de grupos da Libertadores.

O desempenho do time com Jair Ventura é assustador. São 13 jogos, com três vitórias, quatro empates e seis derrotas: aproveitamento de 33,3%.

O Corinthians marcou dez gols e sofreu 15.

Em sete partidas não fez gol. 

Veja mais: Jair diz que Corinthians já definiu emprestados que voltarão em 2019

Andrés Sanchez pediu para os torcedores darem um voto de confiança até o próximo ano que, com jogadores melhores, o rendimento da equipe será competitivo.

O presidente, ao contratar Jair, também pediu paciência ao técnico.

A proposta foi a mesma.

Trabalho duro neste final de temporada.

E boas novidades em 2019.

Andrés acredita que no próximo ano terá ao menos um patrocinador master.

O clube virou as costas aos R$ 25 milhões que a Caixa Econômica Federal oferecia, o mesmo que paga ao Flamengo. A direção corintiana ficou até ofendida. Porque eram R$ 5 milhões a menos do que o clube recebia.

Veja mais: Sheik confessa sobre Nicole Bahls e Antônia Fontenelle: 'Pegava as duas'

Resultado, há 19 meses o clube mais popular de São Paulo, o segundo do Brasil, não tem patrocínio na área mais nobre de sua camisa: no peito. Vive à base de acordos temporários. 

Andrés foi claro com os torcedores.

Protestos agora, na fase final do Brasileiro, só atrapalharia o time.

Os torcedores compreenderam e garantiram ter paciência.

Só que o Corinthians está jogando cada vez pior.

Uma derrota contra o São Paulo, em pleno Itaquerão, pode ser o estopim.

Os líderes da principal torcida organizada corintiana exigem uma resposta do time de Jair Ventura.

Andrés já está sabendo da revolta dos torcedores.

Veja mais: Quem volta de empréstimo e reforços: Timão tem planejamento definido

Assim como o diretor Duílio Monteiro Alves e o gerente Alessandro.

Eles vão conversar com Jair e com os jogadores.

Para evitar a crise e o rompimento com a torcida, a vitória é fundamental.

Todos já estão sendo cobrados.

Esse clássico será encarado como uma decisão.

Em caso de derrota acabará a paz.

E os torcedores têm um alvo: Jair Ventura...

Veja quais são os 20 clubes mais endividados do Brasil