Cosme Rímoli Timão compra, não usa e empresta. Desperdiça R$ 68 milhões

Timão compra, não usa e empresta. Desperdiça R$ 68 milhões

A herança maldita da antiga diretoria é a dívida de mais de R$ 1 bilhão. A maior parte é com o estádio. Mas com jogadores também, muito dinheiro foi desperdiçado

  • Cosme Rímoli | Do R7

Bruno Méndez. Apresentado com entusiasmo. Era jogador da Seleção Uruguaia de base

Bruno Méndez. Apresentado com entusiasmo. Era jogador da Seleção Uruguaia de base

Corinthians

São Paulo, Brasil

Não é por acaso que o presidente Duilio Monteiro Alves está ansioso.

Participa de toda reunião que possa render dinheiro ao Corinthians.

Mesmo as menores.

Recentemente, ele esteve em uma seguradora tentando fechar acordo envolvendo planos de seguros para cachorros e gatos, animais de estimação de torcedores corintianos.

Para cada contrato, o clube teria uma pequena participação. A campanha seria estrelada pelos animais de estimação dos jogadores.

A negociação continua.

O dirigente segue investindo em todas as áreas. Fechou contrato com uma empresa de investimento em bitcoins, criptomoeda.

Há inúmeros outros projetos de marketing em busca de dinheiro.

Adilson Monteiro Alves sabe: a dívida corintiana é a herança maldita deixada pelo ex-presidente Andrés Sanchez, cerca de R$ 1 bilhão. A esmagadora maioria é por conta do estádio.

Mas houve erros graves em relação ao futebol.

Principalmente nas contratações. Jô é o grande exemplo. Atleta veterano, 34 anos, envolvido em um problema legal com o Nagoya. E que já condenou o Corinthians a pagar R$ 18 milhões ao clube japonês, por ter trazido o atleta que ainda estaria com contrato em vigência.

E acertado contrato com o atacante até 2023. Com salários e luvas em torno de R$ 700 mil mensais. Sem conseguir render, ele se tornou reserva de luxo. E para dispensá-lo, o clube teria de pagar uma multa de mais de R$ 21 milhões.

O portal especializado no clube, Meu Timão, traz uma relação de atletas que a diretoria comprou, de forma precipitada, não adaptaram ao Corinthians. E tiveram de ser emprestado.

A lista é uma prova cristalina de incompetência, de desperdício de dinheiro.

Michel Macedo, lateral, ao Juventude, valor pago pelo Corinthians, R$ 1,2 milhão.

Bruno Méndez, zagueiro, ao Internacional, R$ 21,9 milhões.

Ederson, volante, ao Fortaleza, R$ 2,6 milhões.

Richard, volante, ao Athetico Paranaense, R$ 10,4 milhões.

Matheus José, volante, ao Juventude, R$ 7 milhões.

Sornoza, meia, Tijuana, R$ 11,5 milhões.

Fessin, meia, Ponte Preta, R$ 2 milhões.

Madson, atacante, Santa Cruz, R$ 2,4 milhões.

Everaldo, atacante, Sport, R$ 3,5 milhões.

André Luis, atacante, Atlético Goianiense, R$ 3,5 milhões.

Janderson, atacante, Atlético Goianiense, R$ 700 mil.

Davó, atacante, Guarani, R$ 2 milhões.

O total desperdiçado é de R$ 68,6 milhões.

Richard, comprado por R$ 10,5 milhões do Fluminense. Fracassou. Foi emprestado ao Athletico

Richard, comprado por R$ 10,5 milhões do Fluminense. Fracassou. Foi emprestado ao Athletico

Athetico Paranaense

O detalhe é que Duilio Monteiro Alves ainda não contratou nenhum jogador, desde que assumiu, em janeiro.

Tantas são as dívidas...

Barcelona gastaria quase R$ 800 milhões para juntar Messi e CR7

Últimas