Cosme Rímoli São Paulo pressionado para pagar Benedetto. E desviar o foco da crise

São Paulo pressionado para pagar Benedetto. E desviar o foco da crise

Depois da vergonhosa goleada, por 5 a 1, para o Flamengo, o presidente do São Paulo 'prestigia' Crespo. E decide bancar maior parte do salário de Benedetto, para ter argentino por empréstimo

  • Cosme Rímoli | Do R7

Crespo sentiu a dor e a vergonha da maior goleada comandando o São Paulo

Crespo sentiu a dor e a vergonha da maior goleada comandando o São Paulo

Rubens Chiri/São Paulo

São Paulo, Brasil

Hernán Crespo estava firme na coletiva de imprensa, após a vexatória goleada do São Paulo para o Flamengo. Perder por 5 a 1, na sua primeira partida como treinador no Maracanã, não era algo que esperava.

Longe disso.

Nem o São Paulo estagnado na tabela de classificação do Brasileiro. Com seis derrotas, cinco empates, e apenas duas vitórias. A um ponto da zona de rebaixamento.

Mas nada do que acontece, depois da conquista do Campeonato Paulista, surpreende o argentino. Vivido, ele havia avisado a diretoria do São Paulo, principalmente, o presidente Julio Casares.

O esforço para a conquista do Estadual havia sido grande demais. O perigo que era ceder Daniel Alves para a Olimpíada. E que precisava de reforços importantes. Principalmente de um artilheiro.

O vexame do São Paulo no Maracanã deverá ter um efeito colateral.

Não tão incomum no futebol brasileiro.

Hernán Crespo segue firme no cargo, apesar de Rogério Ceni, ídolo maior do Morumbi, estar desempregado. 

A providência deverá ser outra.

Casares está encurralado. E sabe que precisa demonstrar internamente que possibilitará ao São Paulo reagir. 

Daí o dirigente estar disposto a fazer o que não queria. Bancar a maior parte do salário do atacante Benedetto, que pertence ao Olympique de Marselha. O clube francês não está aproveitando o ex-atacante do Boca Juniors. Mas seu salário é o grande obstáculo.

Ele ganha entre luvas e salários, R$ 2 milhões mensais. Mas só de salário, R$ 1,3 milhão. Dinheiro que o São Paulo tem de assumir, se quiser o atacante.

A sua chegada seria excelente para desviar o foco da campanha vergonhosa no Brasileiro.

E também silenciar conselheiros importantes, que cada vez mais insistem em criticar o erro, apontado como 'amador' em grupos de whatsapp. A dispensa do capitão, do líder do elenco, do maior salário do São Paulo, Daniel Alves, para a Olimpíada. 

Decisão tomada por Julio Casares.

Casares realizou o sonho de Daniel Alves. O liberou para a Olimpíada. Prejudicou o São Paulo

Casares realizou o sonho de Daniel Alves. O liberou para a Olimpíada. Prejudicou o São Paulo

Rubens Chiri/São Paulo

Hernán Crespo não teve direito a dar sua opinião. Foi apenas comunicado.

"É o sonho dele. O São Paulo não tem que vetar nada. Ele quer ir. Vai fazer muita falta, mas a vontade do atleta também pesa muito", disse Casares, na ocasição da convocação. Como se fosse obrigação do presidente do São Paulo realizar sonhos dos seus jogadores fundamentais, liberando para competições que não tem obrigação. E não fazer o melhor para o seu clube.

O dirigente agiu como um fã do jogador, não como presidente do São Paulo.

O desequilíbrio do time, hoje no Maracanã, depois do empate do Flamengo, que terminou em goleada por 5 a 1, talvez não acontecesse se Daniel Alves, 38 anos, estivesse em campo. 

Crespo não fala abertamente da situação. Mas deixou claro toda sua tristeza pela liberação. "É um assunto da diretoria."

Sobre a goleada histórica, maior que o Flamengo já aplicou sobre o São Paulo, o técnico argentino apelou para a 'injustiça'.

"O resultado é maior e não retrata o que foi o jogo. Tem que parabenizar o Flamengo e o Renato. O placar foi muito maior do que foi o jogo. Acredito que melhoramos em alguns aspectos e tivemos a chance de ganhar ou empatar. Aconteceram situações no jogo, como o Bruno Henrique surpreendendo."

Resposta que também demonstra sua culpa.

"Bruno Henrique surpreendendo", disse Crespo. Ele é um dos melhores atacantes do futebol brasileiro há anos. Crespo deveria ter usado qualquer outra palavra, não 'surpreendendo'.

Bruno Henrique não pode ser surpresa para técnico algum. Muito menos para Crespo

Bruno Henrique não pode ser surpresa para técnico algum. Muito menos para Crespo

MARCELO CORTES / FLAMENGO

Mas Crespo segue com crédito. Não só pela quebra do tabu de nove anos sem títulos. Mas pelo trabalho árduo no clube. E tem ainda a incrível demora de recuperação de jogadores com contusões musculares. Não há a certeza se poderá contar com Luan, Eder, Luciano e William para a partida contra o Vasco, quarta-feira, pela Copa do Brasil.

"Já expliquei em outras coletivas que estamos com uma equipe em construção e é difícil repetir os 11 por diversos motivos", desabafou Crespo, sem dizer claramente o quanto não ter Daniel Alves, perder atletas por contusões, além da falta de um artilheiro.

Casares está pressionado.

Precisa dar uma resposta.

Casares está pressionado. Goleada do Flamengo pesa. Benedetto pode desviar o foco da crise

Casares está pressionado. Goleada do Flamengo pesa. Benedetto pode desviar o foco da crise

Reprodução/Instagram

Já fracassou com Calleri, que também serviria para desviar o foco de erros graves no futebol.

Mas os empresários, donos dos direitos do argentino, não aceitaram cedê-lo e receber o dinheiro da compra só em 2022.

O São Paulo deve mais de R$ 600 milhões.

Mas a dívida deverá aumentar.

E o clube contratar, por empréstimo, Benedetto.

Pagando a maior parte do salário de R$ 1,3 milhão.

Como não queria...

Para ficar na história: atletas vibram com vitórias em Tóquio

Últimas