Cosme Rímoli São Paulo erra. Anuncia Rui Costa. Deprime Raí. Apavora Diniz

São Paulo erra. Anuncia Rui Costa. Deprime Raí. Apavora Diniz

 Presidente Julio Casares quis desviar o foco. E vazou novo executivo. Faltando seis jogos para o Brasileiro acabar. Precipitação

  • Cosme Rímoli | Do R7

Fernando Diniz ficará sem a proteção de Raí. Demitido antecipadamente. Precipitação

Fernando Diniz ficará sem a proteção de Raí. Demitido antecipadamente. Precipitação

Rubens Chiri/São Paulo

São Paulo, Brasil

A intenção da diretoria do São Paulo era desviar o foco da decadência do time.

Do atentado que o ônibus do time sofreu, antes da partida contra o Coritiba, no Morumbi.

Cerca de 30 vândalos, armados com rojões, pedras, pedaços de cano, atacaram o veículo.

14 foram presos no sábado.

Nove foram libertados.

Os jogadores seguem assustados, preocupados com seus trajetos até o CT da Barra Funda.

A diretoria aumentou, de maneira discreta, a segurança do time e da Comissão Técnica.

De líder absoluto do Brasileiro, com sete pontos de vantagem, o clube já é o segundo, com quatro pontos a menos que o Internacional.

Para mudar o foco, o presidente Julio Casares decidiu vazar a contratação de Rui Costa como novo executivo do clube, a partir do fim do Brasileiro.

Mas sua manobra foi desastrosa.

Trouxe tristeza para o ídolo do clube, Raí.

O executivo tinha esperança que, se o São Paulo fosse campeão, seguiria no Morumbi.

E também insegurança a Fernando Diniz.

Ele também desejava que Raí, homem que mais o bancou no clube, permanecesse trabalhando depois do Brasileiro.

A chegada de Rui Costa coloca em risco a permanência de Fernando Diniz

A chegada de Rui Costa coloca em risco a permanência de Fernando Diniz

Atlético Mineiro

Com a chegada de Rui Costa, está claro que, se o São Paulo perder o Brasileiro, Fernando Diniz pode arrumar as malas.

E deverá ser demitido.

Ou seja, o foco da violência dos vândalos mudou.

Assim como o da decadência do time na tabela do Brasileiro.

Agora a hora é falar da demisão sumária e antecipada de Raí.

E do fim do mínimo de segurança que Fernando Diniz tinha.

90% dos conselheiros que garantem o poder de Casares querem outro técnico após o Brasileiro.

Rogério Ceni segue sendo o mais cobiçado.

Mas há sonhos como Gallardo, do River Plate.

Fora os defensores eternos de Diego Aguirre.

Conselheiros experientes lamentam a ação de Casares.

Consideraram pura precipitação...

Atlético sobe para 9% de chance de título: as contas do Brasileirão

Últimas