Cosme Rímoli Santos vence explorando erros, que Diniz deixou na zaga do São Paulo

Santos vence explorando erros, que Diniz deixou na zaga do São Paulo

Fernando Diniz apostou nas falhas que deixou na sua passagem pelo Morumbi. E o Santos venceu o clássico por 2 a 0. O São Paulo no Brasileiro é uma imensa decepção

  • Cosme Rímoli | Do R7

Marinho marcou o primeiro gol. Presidente do Santos confirmou que ele pediu para ser vendido

Marinho marcou o primeiro gol. Presidente do Santos confirmou que ele pediu para ser vendido

Santos

São Paulo, Brasil

Fernando Diniz soube se aproveitar de sua passagem pelo São Paulo. Ele acompanhou de perto esses seis meses que Hernán Crespo está no Morumbi. Estudou que o sistema defensivo tem três zagueiros, mas Diniz deixou como herança dois defeitos crônicos.

A zaga adiantada e a forçada saída de bola trocando passes, como se fosse o Barcelona de 2008, de Pep Guardiola.

E o Santos se deleitou na Vila Belmiro.

Bastou Camacho acertar um lançamento excelente, aos 26 minutos do primeiro tempo. A bola chegou a Jean Mota, encobrindo a zaga adiantada do São Paulo. O passe foi espetacular para Marinho, que fuzilou Tiago Volpi. 1 a 0.

E o segundo gol do Santos foi patético.

Liziero decidiu sair jogando, como fazia com Diniz. Sem olhar, ele tentou recuar para Volpi, mas não percebeu Kaio Jorge. A bola foi parar no atacante santista que cortou e a bola sobrou para Pirani marcar 2 a 0, sem goleiro. 

Fora esses lances decisivos, Marinho acertou o travessão em uma cobrança de falta, aos 16 minutos do segundo tempo.

Esses foram as jogadas mais agudas de um clássico brigado, disputado.

Marinho se aproveitou de passe espetacular de Jean Mota. Fuzilou Volpi

Marinho se aproveitou de passe espetacular de Jean Mota. Fuzilou Volpi

ANDERSON LIRA/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO - 20.6.2021

E com péssima arbitragem de Savio Pereira Sampaio.

O juiz do Distrito Federal fez tudo para não expulsar nenhum atleta. E permitu que a partida fosse truncada, com faltas violentas, e muita paralisações desnecessárias.

Com atletas rolando no gramado, fingindo como atores. E Savio sem tomar atitude alguma.

Só houve 43 minutos de bola rolando, um absurdo!

A Comissão de Arbitragem da CBF precisa tomar providência. Cobrar o juiz.

O clássico terminou de maneira surreal. Com o goleiro John jogando os últimos sete minutos da partida contundido, depois de um choque com Wellington. O Santos não poderia fazer nenhuma outra substituição. O inaceitável é que os jogadores são paulinos não conseguiram chutar qualquer bola a gol por sete minutos. Mesmo sabendo o goleiro não conseguia firmar o pé direito no campo.

Erros primários de posicionamento do São Paulo. Derrota merecida na Vila Belmiro

Erros primários de posicionamento do São Paulo. Derrota merecida na Vila Belmiro

São Paulo

Do lado do São Paulo, Hernán Crespo errou taticamente ao atuar com time improvisado totalmente aberto, sem intensidade. Os desfalques, Miranda (estiramento na coxa esquerda), Luan (edema no músculo da coxa), Daniel Alves (entorse no joelho), Arboleda (convocado pela seleção do Equador) e Rodrigo Nestor (suspenso), foram fatores importantíssimos. Mas a estratégia de Crespo facilitou para que o humilde e esforçado Santos ganhasse o clássico.

O Santos jogou de forma compacta, marcando intensamente, no primeiro tempo, a saída de bola do rival. Diniz sabia o que havia orientado. As falhas que deixou no Morumbi não foram corrigidas.

Dos 15 pontos que o São Paulo disputou até agora no Brasileiro, só ganhou dois. Só tem dois empates e três derrotas. Não conseguiu sequer uma vitória.

Para piorar, Luciano deixou a partida chorando, com uma distensão na coxa esquerda. Pela sua reação, a contusão é grave.

O Santos chegou a sete pontos em cinco jogos, com duas vitórias, um empate e duas derrotas, campanha até boa, diante da fragilidade de seu elenco.

"Não era o começo que desejávamos. Sabemos que o São Paulo sempre exige mais, temos que ficar tranquilos porque quarta temos mais um jogo (Cuiabá no Morumbi). Temos que fazer uma autocrítica do grupo, fechados, seguir trabalhando porque sabemos que temos um bom time.

"O jogo estava equilibrado, eles encontraram o primeiro gol. Temos que buscar a vitória para trazer a confiança de volta. É focar no que vem, trabalhar e seguir confiando", disse o argentino Benítez.

"Clássico é isso, em casa, tem que ganhar, fomos mercedores. Nunca deixei de trabalhar, escutamos muitas coisas, o torcedor verdadeiro, que gosta de mim, sabe que eu me dedico o tempo todo. Sei que às vezes as coisas não acontecem, mas eu coloco a camisa do Santos e é um privilégio.

"Diniz tem passado confiança, dado tranquilidade, espero que esse jogo tenha sido para voltar a confiança. Sei quem eu sou, independente se falam que sou jogador de momento, eu sei que sou muito bom. Todo mundo que confia, acredita, quem não acredita, paciência", desabafou Marinho, após o jogo.

O presidente do Santos, Andrés Rueda, confirmou essa semana, que Marinho tem interesse em ser vendido nesta janela de meio de ano...

Chris Smalling, zagueiro da Roma, afirma ter visto ETs durante viagem

Últimas