Santos desperdiça seu melhor zagueiro. Palmeiras já comemora

Gustavo Henrique implorou para renovar. O Santos não quis. Quando o clube cedeu, não aceitou e sairá de graça. Europa ou Palmeiras será seu destino

Gustavo Henrique implorou para renovar. E agora sairá de graça do Santos

Gustavo Henrique implorou para renovar. E agora sairá de graça do Santos

Santos

São Paulo, Brasil

Um 'presente'.

Esta teria sido a reação do presidente Mauricio Galiotte ao saber da situação de Gustavo Henrique.

O jogador de 1m96, 26 anos, melhor zagueiro do Santos, estará livre, a partir de 31 de janeiro.

Ele procurou os dirigentes santistas pelo menos três vezes para tentar renovar seu contrato no final do ano passado. Foi desprezado. Estava fora dos planos de Jorge Sampaoli.

Na realidade, o treinador não o conhecia.

Só que o zagueiro conseguiu se impor de maneira incrível.

Se tornou o jogador de maior confiança do treinador argentino no sistema defensivo santista.

Só assim, o presidente José Carlos Peres resolveu renovar com o zagueiro. Aí foi ele quem não quis.

Porque a direção do Palmeiras soube dessa possibilidade há muito tempo. O criticado Alexandre Mattos tem funcionários monitorando os contratos dos jogadores dos principais clubes brasileiros.

E o departamento de futebol soube que o vínculo de Gustavo Henrique com o Santos terminará em janeiro de 2020.

Os contatos com o empresário Fernando César estão mais do que adiantados. Só há uma possibilidade de ele não jogar no Palmeiras. Surgir um clube médio ou grande da Europa.

O Flamengo também se interessou.

Mas chegou atrasado.

No Santos, ele não fica.

O zagueiro não se esquece como não foi levado em consideração.

Ele desabafou com todas as letras.

"No final do ano passado eu estava querendo renovar e não obtive respostas. Comecei o ano na incerteza sobre ficar."

Zagueiro nas seleções de base

Zagueiro nas seleções de base

CBF

"Muitos sabem que eu não estava nos planos do Sampaoli, mas coloquei na cabeça que tinha condição de jogar aqui e com Sampaoli."

"Trabalhei duro, fizemos um Campeonato Paulista bom, fui um dos melhores zagueiros. Esperava a procura pela renovação do contrato, faltavam sete meses e não fui chamado."

"Continuei trabalhando, nosso treinador é muito bom, aumentou o nível de todo mundo."

"Creio que estou fazendo um bom ano, talvez o melhor da minha vida. Esperava o reconhecimento de me chamarem antes, fui chamado faltando dois meses para poder assinar um pré-contrato", aí foi a vez dele dizer 'não'.

Havia na diretoria a ideia de afastar o zagueiro, já que ele não ficará.

Foi quando o superintendente do Santos, o ex-treinador Paulo Autuori, mostrou toda sua dignidade. E inteligência. Sabe que seria pior para o time que ainda luta pelo mais que improvável título ou pelo menos por uma vaga na fase de grupos da Libertadores de 2020.

"Se (Gustavo Henrique) não tiver continuidade foi por erro de planejamento do clube. Se querem afastar o Gustavo, me afastem primeiro. Enquanto estiver aqui, ele joga", diz, sem medo de retaliações.

A diretoria do Santos sabe que o Palmeiras já tem um contrato longo esperando pelo zagueiro, se ele não for para a Europa.

Mas José Carlos Peres não vai brigar com Galiotte ou Alexandre Mattos.

Sabe que o erro absurdo de avaliação é todo do Santos.

Jorge Sampaoli revoltado. Mas ele tem sua parcela de culpa no desperdício

Jorge Sampaoli revoltado. Mas ele tem sua parcela de culpa no desperdício

Santos

E até com a participação de Sampaoli.

Ele não apostava no zagueiro ao chegar na Vila Belmiro.

Mas se assustou com seu bom futebol.

E ficou revoltado ao saber que poderia sair em janeiro de 2020, e de graça.

"Foi um erro gravíssimo não renovar até o último momento com jogador tão importante. Tem crescimento enorme. Não decido, mas a história do Santos será diferente quando houver planejamento."

Seu desabafo chegou tarde.

O seu melhor zagueiro está de malas prontas.

Para o Palmeiras ou para o futebol europeu...

Tóquio 2020! Veja jovens do Brasil que podem brilhar nas Olimpíadas