Cosme Rímoli 'Sacanagem! VAR na mão de incompetente, não serve', diz Daniel Alves

'Sacanagem! VAR na mão de incompetente, não serve', diz Daniel Alves

A revolta injustificada do lateral na expulsão de Rodrigo Nestor, ontem, no empate contra a Chapecoense. A Fifa recomenda expulsão por jogo brusco grave. A raiva vem do São Paulo perder dez pontos em 12 que disputou

  • Cosme Rímoli | Do R7

A expulsão que provocou a revolta injustificada de Daniel Alves, Casares e Crespo

A expulsão que provocou a revolta injustificada de Daniel Alves, Casares e Crespo

Reprodução/TNT

São Paulo, Brasil

"Tá de sacangem isso…

"Como diferenciar acidente de trabalho com agressão caraiii?

"Toca na bola primeiro, a intenção é de jogar a bola.

"O VAR teria que ser uma solução.

"Mas na mão de incompetentes não serve!!"

Daniel Alves não mediu palavras, nas suas redes sociais para criticar a expulsão de Rodrigo Nestor, depois de acertar com as travas da chuteira a cabeça de Leo Gomes da Chapecoense, aos 41 minutos do primeiro tempo, ontem no Morumbi.

"Não sou de falar de arbitragem, mas hoje não poderia ser diferente. O VAR agiu muito mal à falta de critério ao chamar o árbitro para um lance em que o amarelo estava de bom tom.

"Você tirar um jogador no primeiro tempo é desequilibrar tecnicamente a partida, não é desculpa. Lamentamos, protestamos e esperamos que isso mude e que tenha um critério único em cada jogo."

Presidente do São Paulo, Julio Casares, sobre a expulsão.

"Acho que em todas as profissões existem as categorias: atletas, treinadores e árbitros. Mas acredito que não posso vir ao São Paulo fazer experiência. Eu percorri um longo caminho para chegar aqui. Eu desejo respeito (coloca a mão no símbolo do São Paulo) de quem venha ao Morumbi.

"Desejo que as pessoas tenham experiência para estar aqui. Acredito que nessa noite não aconteceu.

"A ideia era uma escalação que, até a expulsão, foi perfeita. Chegamos em um terreno hipotético, a diferença técnica e de estratégia era para ter uma diferença de dois a três gols de diferença de um time para outro e não aconteceu por conta da expulsão, que a expulsão condicionou tudo."

Hernán Crespo, desabafando sobre a expulsão de Rodrigo Nestor.

As críticas de Daniel Alves, Julio Casares e Hernán Crespo não se justificam.

O jogador do São Paulo não foi expulso por agressão, como colocou o veterano lateral direito da Seleção Brasileira.

Igor Junio Benevenuto de Oliveira, da Federação Mineira, comandava o VAR na partida. Não errou ao chamar o árbitro Dyorgines José Padovani de Andrade, da Federação do Espírito Santo, que havia mostrado apenas o cartão amarelo. Igor recomendou e Dyorgines aceitou a sugestão do cartão vermelho.

A Fifa recomenda que o jogo bruto grave seja punido com cartão vermelho.

"As entradas ou disputas de bola que coloquem em perigo a integridade física de um adversário ou em que o jogador use força excessiva ou brutalidade deverão ser sancionadas como “jogo brusco grave”
Todo jogador que arremeta contra um adversário na disputa da bola de frente, pelo lado ou por trás, utilizando uma ou ambas as pernas com força excessiva ou colocando em perigo a integridade física do adversário, estará jogando com excessiva dureza."

O jogador, o presidente e o técnico do São Paulo deveriam saber.

Rodrigo Nestor, após tocar a bola no alto, segue com o movimento, não recolhe a perna. E atinge em cheio o jogador Leo Gomes. Travas da chuteira na cabeça do adversário. Cartão vermelho.

A reclamação exagerada tem explicação na péssima campanha do Brasileiro.

De quatro partidas, de 12 pontos disputados, o São Paulo ganhou apenas dois, com doisempates e duas derrotas. Fez apenas um gol e tomou quatro.

O empate em 1 a 1 contra a Chapecoense, no Morumbi, foi um péssimo resultado.

O time estava jogando bem, mas depois da expulsão, não conseguiu segurar a vitória. E mostrou tensão, afobação, nervosismo.

Os dez pontos desperdiçados logo nos quatro primeiros jogos do Brasileiro pesam.

Daí a fúria contra a arbitragem, o VAR.

Mas o grande problema está no São Paulo.

O time mostra que a conquista do Paulista não fez bem.

Ao contrário, a equipe segue tensa, irritadiça.

Como se esperasse que o Brasileiro fosse como o Estadual.

O nível técnico é muito diferente....

'Terror da Coca-Cola', CR7 já se declarou contra álcool e cigarro

Últimas