Seleção brasileira

Cosme Rímoli Raphinha empolgante. Pode ser o fim da dependência de Neymar. 4 a 1 contra o Uruguai

Raphinha empolgante. Pode ser o fim da dependência de Neymar. 4 a 1 contra o Uruguai

O atacante do Leeds foi o melhor brasileiro em campo. Marcou dois gols na goleada diante do decepcionante time uruguaio. 4 a 1 foi até muito pouco. Tite descobriu que pode atacar

  • Cosme Rímoli | Do R7

Neymar e Raphinha formaram uma dupla empolgante. Destruíram os fracos uruguaios

Neymar e Raphinha formaram uma dupla empolgante. Destruíram os fracos uruguaios

NELSON ALMEIDA/AFP

São Paulo, Brasil

Raphinha roubou a cena em Manaus.

Na melhor apresentação do Brasil nas Eliminatórias, a vitória empolgante por 4 a 1 contra o Uruguai. Tite resolveu testar uma equipe francamente ofensiva, diante da fraca geração que Óscar Tabárez tem nas mãos.  E deu muito certo.

Foram 19 finalizações do Brasil contra 6 do Uruguai.

Tite descobriu que a Seleção pode atacar.

Se não fosse Muslera, a goleada seria histórica.

Não é por acaso que o Uruguai está em quinto nas Eliminatórias.

E pode nem chegar ao Mundial do Catar.

O Brasil pressionou a saída de bola uruguaia. E se aproveitou de todo espaço cedido pelo espaçado time uruguaio.

Raphinha jogou pela primeira vez como titular do Brasil. Dois gols e ótimo futebol

Raphinha jogou pela primeira vez como titular do Brasil. Dois gols e ótimo futebol

NELSON ALMEIDA/AFP - 14.10.2021

Raphinha valorizou o espaço que teve para humilhar, na ponta direita, com o pé esquerdo, o ex-palmeirense Viña. Assim como Neymar não teve dificuldade para vencer Nández. E pelas laterais o Brasil foi triturando cruelmente o decepcionante rival.

Raphinha marcou dois gols, Neymar marcou um e Gabigol outro. Suarez descontou.

Foi uma festa o reencontro da Seleção com a torcida.

Com 31 pontos, em 11 jogos, com dez vitórias e um empate, o Brasil mais do que encaminhou sua classificação para o Mundial de 2022.

"Não tem como explicar a felicidade que estou sentindo hoje. Não poderia ser mais marcante para mim essa partida, com os gols, e a vitória. Estou realizando um sonho de criança, podendo representar toda uma nação, todo um país", disse, empolgado, o atacante do Leeds.

Depois de jogos modorrentos contra a Venezuela e Colômbia, Tite resolveu testar uma equipe mais leve, mas ofensiva. Ele fez cinco trocas no time que empatou, de forma sonolenta, com os colombianos. Ederson teve a chance de substituir Allison. Danilo deu lugar a Emerson na lateral direita. Lucas Veríssimo entrou no lugar de Militão. Thiago Silva no de Marquinhos.

Mas foi tirando Gabigol, que está jogando errado na Seleção, e escalando Raphinha, que o técnico revolucionou, simplificou a maneira de o Brasil atacar.

Neymar foi mais solidários, mais objetivo. Se aproveitou da frouxa marcação uruguaia

Neymar foi mais solidários, mais objetivo. Se aproveitou da frouxa marcação uruguaia

CBF

Com três atacantes, dois abertos pelas pontas, Fabinho na proteção da zaga e Fred liberado para articular do meio para a frente, ao lado de Paquetá, com Emerson muito eficiente na lateral direita e Alex Sandro guardando mais sua posição defensiva, o Brasil parou de trocar passes insignificantes na intermerdiária.

A goleada veio de forma mais do que imprevisível.

Aos nove minutos de jogo, o criticado Fred deixa Neymar livre diante de Muslera. Brasil 1 a 0. A pressão continuou e Raphinha tratou de roubar o protagonismo do atacante do PSG. Com dribles em seguida em Viña, que sempre mostrou fragilidade na marcação no Palmeiras. Seu forte é o apoio.

Mas Raphinha não ficou apenas nos dribles. Na primeira partida como titular do Brasil, aos 17 minutos marcou o segundo gol. Ele pegou o rebote de chute de Neymar que bateu em Godín. 2 a 0.

Os uruguaios pareciam anestesiados. Não esperavam uma postura tão ofensiva e objetiva da Seleção Brasileira. Muslera já começou a mostrar seu repertório, aos 35 anos, fazendo grandes defesas. 

Os uruguaios, além de espaçados, não faziam nem faltas. Nem parecia a Seleção Uruguaia. O que ajudava muito o leve ataque brasileiro.

No segundo tempo, o cenário não mudou. Aos 12 minutos, o Brasil marcou 3 a 0. Em um contragolpe muito bem treinador. E que contou com a parceria ,jogar para o time.

Gabriel Jesus tocou para Neymar que, com um só toque, deixou livre Raphinha. O velocista atacante fez sem nervosimo, diante de Muslera.

A partida estava mais do que decidida. E com o Brasil atuando, finalmente, de maneira convincente, animadora. A disparada na liderança das Eliminatórias tem tudo a ver com a fragilidade dos adversários.

Cavani cobrou falta que desviou na barreira e saiu do alcance de Ederson. 3 a 1, aos 31 minutos.

Só que haveria tempo para Neymar deixar livre Gabigol. Na cabeçada, ele ampliou para o Brasil. 4 a 1, aos 37 minutos do segundo tempo.

O Brasil diminuiu o ritmo e se contentou com o 4 a 1.

Neymar reconheceu o excelente futebol de Raphinha. A dupla se entrosou muito bem

Neymar reconheceu o excelente futebol de Raphinha. A dupla se entrosou muito bem

CB F

Jogo fácil demais, mas que mostrou a Tite.

Ele tem de aproveitar Raphinha e parar de insistir com Roberto Firmino e até com Gabriel Jesus, especialista em perder gols com a Seleção. 

Dar passagem para o atacante do Leeds e também olhar com carinho para Antony.

A chance de renovação chegou.

E, principalmente, tentar fugir da eterna dependência de Neymar...

Brasil vence o Uruguai por 4 a 1 na Arena da Amazônia. Veja fotos

Últimas