Cosme Rímoli Raí está isolado. Só ele quer a renovação de Aguirre no São Paulo

Raí está isolado. Só ele quer a renovação de Aguirre no São Paulo

A decadência do time, que terminou o primeiro turno na liderança, e agora é o quinto no Brasileiro, assusta. A pressão é enorme para a saída no final do ano

Aguirre é o responsável pela decadência. Só Raí quer a renovação de contrato

Aguirre é o responsável pela decadência. Só Raí quer a renovação de contrato

São Paulo FC

São Paulo, Brasil

Raí é o último grande defensor de Diego Aguirre.

Até mesmo o inseguro presidente Leco perdeu o pouco de confiança que tinha.

O time que terminou o primeiro turno como líder do Brasileiro despencou.

E com a vitória do Grêmio contra o Vasco, já é apenas o quinto colocado.

Saiu do G4, grupo de equipes que entrariam direto na fase de grupos da Libertadores.

Após o empate contra o Corinthians, quando o time teve um atleta a mais por todo o segundo tempo, depois da expulsão de Araos, a expectativa era que o São Paulo iria se impor no Itaquerão.

Mas a equipe acabou encurralada, se defendendo, como um se fosse pequena. Parecia que era o time de Jair Ventura que tinha 11 jogadores contra dez, e não o São Paulo.

O time só não perdeu pela desastrosa arbitragem de Rodolpho Toski Marques. O juiz não deu um pênalti e não confirmou gol legítimo do Corinthians.

Conselheiros ligados a Leco não querem mais a renovação.

Seguem mostrando a falta de firmeza do treinador uruguaio.

Similar com o que aconteceu no Atlético Mineiro e no Internacional. Quando comandou essas duas equipes, fracassou, depois de um começo empolgante.

Raí segue resoluto.

Não admite que 'alguns' jogos travem os planos de renovação de Diego Aguirre. 

Mas seu discurso está perdendo força.

Há técnicos possíveis no mercado.

Abel Braga está sem clube.

Renato Gaúcho ainda não renovou com o Grêmio.

Rogério Ceni, segue impossível.

Raí alega que Aguirre tem de ser analisado pela temporada. Não pela decadência

Raí alega que Aguirre tem de ser analisado pela temporada. Não pela decadência

São Paulo FC

Ele não quer mais trabalhar com o inseguro Leco como presidente.

Não perdoa a demissão, depois dos desmanches feito pelo próprio dirigente.

O jogo de quinta-feira, no Morumbi, contra o Grêmio, terá um peso enorme na sequência ou não de Aguirre.

A direção do São Paulo não quer disputar a pré-Libertadores.

Exige a fase de grupos.

Para isso é preciso estar ao menos em quarto lugar.

E o grande rival da quarta vaga é a equipe de Renato Gaúcho.

Diego Aguirre sabe a importância do jogo.

Mas se segue tenso, sem admitir que o São Paulo perdeu o rumo.

Como na coletiva de ontem no Itaquerão.

Seu discurso vazio já cansou gente importante no clube.

Até para preservar Raí, Aguirre precisa vencer na quinta-feira.

O executivo está sendo questionado por querer manter o treinador.

Fala sobre desempenho na temporada.

E não sobre a estranha decadência do time.

Inclusive com inúmeros erros do treinador.

Pouca gente entende.

Mesmo diante da assustadora decadência do São Paulo...