Cosme Rímoli Promessa do Corinthians. Não jogar a final se ônibus for apedrejado

Promessa do Corinthians. Não jogar a final se ônibus for apedrejado

Andrés Sanchez jura que o clube não entrará em campo se o ônibus for apedrejado, como aconteceu em 2018. MP, FPF e São Paulo foram avisados

Corinthians, São Paulo, não entrar em campo, ônibus apedrejado

Em 2018, a Polícia Militar não conseguiu evitar as pedradas no ônibus corintiano

Em 2018, a Polícia Militar não conseguiu evitar as pedradas no ônibus corintiano

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

Xeque-mate do Corinthians.

Andrés Sanchez decidiu agir.

Ele não se esqueceu que no Brasileiro de 2018, o ônibus do clube foi apedrejado indo para o Morumbi, disputar o clássico.

Foram atirados pedaços de madeira, latas de cerveja e muitas pedras.

Torcedores são-paulinos fizeram a tocaia na Praça Roberto Gomes Pedrosa, em frente ao estádio. 

Seja qual for o trajeto que o veículo faça, é impossível não passar pela praça.

Diante do que aconteceu com o ônibus do Palmeiras ontem, o dirigente resolveu se antecipar.

Mandou um ofício ao promotor Paulo Castilho, ao São Paulo e à Federação Paulista de Futebol.

Se a situação se repetir no domingo, o Corinthians não entrará em campo.

O ofício corintiano foi protocolado.

A Federação Paulista de Futebol já iria pedir reforço para o Batalhão de Choque para proteger a delegação corintiana, no confronto de torcida única, só do São Paulo.

A inspiração de Andrés veio, evidente, na postura do Boca Juniors, na final da Libertadores de 2018.

O presidente corintiano se antecipou.

Ele esperava ambiente hostil no Morumbi.

Veja mais: Luiz Flávio de Oliveira apita 1ª final do Paulista; Raphael Claus será juiz da 2ª

O São Paulo está desde 2012 sem qualquer conquista.

Andrés até ironizou o inseguro presidente do São Paulo, Leco.

"Faz tempo que você não põe a mão na taça."

A piada foi mal digerida entre torcedores são-paulinos nas redes sociais.

Já prevendo o ataque ao ônibus, Andrés já avisou.

Não haverá jogo no domingo se seu time for atacado por vândalos.

O presidente corintiano deu a palavra a membros da diretoria.

A final não acontecerá.

Como avisou antecipadamente, não há medo de WO.

E o São Paulo ser declarado o vencedor do jogo por 3 a 0, como manda a lei, quando uma equipe não comparece para a partida.

Veja mais: 'Xingou o Cássio': Andrés brinca e diz que Timão não teme perder Clayson

O artigo 46 do Campeonato Paulista é vago, mas pode ser utilizado pelo TJD da FPF, caso o Corinthians não jogue no domingo, seja considerado derrotado por WO. E não se submeta a atuar no Itaquerão, tendo de reverter o placar de 3 a 0.

"O Clube que desistir de disputar a competição após a publicação de sua tabela e
REC, abandonar ou for punido com a pena de eliminação ou exclusão da mesma pela JD, será punido com rebaixamento e disputará a Divisão inferior no ano seguinte, além de multa administrativa no valor de até R$200.000,00 (duzentos mil reais)."

Seria o caos.

Conselheiros do São Paulo acreditam ser um blefe do presidente corintiano.

Desta vez, Andrés agiu com correção.

Ele exige o mínimo.

Segurança para que o clube dispute a final do Paulista.

São Paulo é a cidade mais desenvolvida da América Latina.

Se não puder oferecer segurança para que o ônibus de um clube de futebol não seja apedrejado, não pode realizar competições esportivas.

Xeque-mate corintiano...

Pelé internado: Rei do Futebol convive com problemas de saúde