Cosme Rímoli Por Robinho, Santos se cala diante do 'estupro culposo' de Mariana

Por Robinho, Santos se cala diante do 'estupro culposo' de Mariana

O clube decidiu se omitir diante da denúncia de estupro de Mariana Ferrer. Atlético Goianiense por Jean e Bragantino, por Wesley, também se calaram

  • Cosme Rímoli | Do R7

Robinho fez o Santos ir para as páginas policiais. E agora se omitir diante do caso Mariana

Robinho fez o Santos ir para as páginas policiais. E agora se omitir diante do caso Mariana

Santos

São Paulo, Brasil

Robinho segue sabotando a historia do Santos.

Mesmo sem o jogador querer.

O clube passa por novo constrangimento por causa do jogador.

Voluntário, desta vez.

A diretoria resolveu que não seguirá o caminho das grandes equipes do Brasil em relação ao julgamento do empresário André de Camargo Aranha.

Ele foi inocentado da acusação de estupro de Mariana Ferrer.

O caso aconteceu em dezembro de 2018, em Florianópolis.

Ela tinha 21 anos.

E reafirmou que não permitiu a relação sexual.

Alegou ter sido drogada.

A polícia encontrou sêmen e sangue nas suas roupas.

O inquérito policial concluiu que o empresário cometeu 'estupro de vulnerável'.

No julgamento, houve troca de promotor.

Ele afirmou: Aranha não teria entendido que Mariana não queria a relação.

A conclusão foi a divulgação da tese de 'estupro culposo', como ironizou o site Intercept.

Ou seja, estupro sem intenção de estuprar...

Aranha foi inocentado.

O site Intercept Brasil revelou ontem os ataques do advogado de defesa do empresária a Mariana, durante a audiência.

Toda humilhação que ela passou.

Como se fosse a culpada pelo 'estupro culposo'.

Logo houve reação na Internet, com a hastag #JustiçaPorMariFerrer.

Foi quando os clubes brasileiros decidiram se posicionar.

17 da Série A foram firmes a favor de Mariana.

E contra a absurda tese de 'estupro culposo'.

Flamengo, Vasco, Fluminense, Botafogo, Internacional, Grêmio, São Paulo, Corinthians, Palmeiras, Coritiba, Athletico Paranaense, Ceará, Fortaleza, Atlético Mineiro, Sport e Bahia.

Três decidiram se calar.

Os três com motivos nada nobres.

A diretoria santista escolheu a omissão. Justo ela que sempre saiu na frente na briga contra o racismo, contra a violência contra a mulher, contra as injustiças sociais.

Se calou por conta de Robinho.

O presidente Orlando Rollo defende com unhas e garras a contratação de Robinho, mesmo condenado por estupro na Itália.

Jean, no Atlético Goianiense. Socos no rosto da esposa. Diante das filhas

Jean, no Atlético Goianiense. Socos no rosto da esposa. Diante das filhas

Atlético Goianiense

O jogador que chegou a assinar contrato com o clube, mesmo com a condenação, vai recorrer da sentença, dia 10 de dezembro, na Itália. 

A diretoria santista percebeu que seria ridículo, incoerente, apoiar uma mulher no Brasil que denuncia ter sido estuprada, violentada.

O clube não pôde apoiá-la, se dá guarida a Robinho, mesmo condenado.

Essa postura mancha, vai contra o legado, a história do Santos.

A ordem da diretoria é fugir do assunto Mariana Ferrer.

Os outros dois clubes...

O Atlético Goianiense, que tem como goleiro Jean.

Ele assumiu ter esmurrado a esposa em dezembro de 2019, diante das filhas, nos Estados Unidos.

Wesley  cumpre pena,em regime aberto. Por espancar a namorada. Por ciúme

Wesley cumpre pena,em regime aberto. Por espancar a namorada. Por ciúme

Bragantino

E o Red Bull Bragantino que tem Wesley, condenado, em regime aberto, por agredir a namorada, por ciúmes.

Daí a omissão do trio.

Vergonhosa.

Principalmente a do Santos.

Vale lembrar as frases de Robinho em relação à jovem albanesa, que a justiça italiana considerou ter sido vítima de estupro por parte dele e de cinco outros homens.

"Estou rindo porque não estou nem aí.

"A mulher estava completamente bêbada.

"Não sabe nem o que aconteceu..."

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Histórico de internações de Diego Maradona faz fãs cercarem hospital

Últimas