Planalto, Ferj e Globo. Pressão sobre Flamengo contra 'jogo fantasma'

Landim é pressionado para que acerte a transmissão do jogo de amanhã, contra o Bangu. Para que  a volta do futebol no país não seja 'fantasma'

A roda girou. Landim, que tanto pressionou pela volta do futebol, é pressionado

A roda girou. Landim, que tanto pressionou pela volta do futebol, é pressionado

Flamengo

São Paulo, Brasil

O Flamengo pressionou.

E agora está pressionado.

Até o presidente Jair Bolsonaro deu a sua colaboração, para que o futebol voltasse amanhã, como a direção do Flamengo precisava.

Para atrair o patrocinador master, já que o banco virtual B2S abandonará o clube ao final do mês. Incentivar os sócios-torcedores a ficarem. Colocar seus jogadores na  vitrine, porque negociações milionárias com a Europa não estão descartadas, na janela de verão, por lá.

O presidente Rolando Landim teve como parceiro mais próximo desta empreitada, o presidente da Ferj, Rubens Lopes.

Pois bem, em pleno pico da pandemia, o futebol voltará, amanhã.

Na partida entre o próprio Flamengo e o Bangu, em Moça Bonita.

Só que há enorme decepção no Planalto Central como na Ferj.

Por conta do Flamengo não ter aceitado a proposta da Globo.

Tanto Bolsonaro quanto Rubens Lopes não imaginavam o retorno do futebol, depois de três meses, com uma partida fantasma.

Ou seja, sem que ninguém possa acompanhá-la na tevê.

Veja mais: Serasa, marmitas, luz, processos. Nunca o Corinthians deveu tanto

Mas o Flamengo está irredutível.

Quer R$ 10 milhões pela transmissão de cada jogo que restar do Carioca. A começar pelo de amanhã.

E mais o direito de mostrar a partida na Internet, por seu canal no youtube, o Fla TV.

O jogo já não terá público. Sem tevê, presidente estaria em um 'jogo fantasma'

O jogo já não terá público. Sem tevê, presidente estaria em um 'jogo fantasma'

Divulgação

Como o blog noticiou, Globo e Flamengo negociam desde o início da pandemia.

Mas a emissora carioca vive uma grave crise financeira. 

E não quer correr o risco de uma briga judicial com Botafogo, Fluminense e Vasco, que aceitaram R$ 18 milhões, como equipes grandes, para terem seus jogos mostrados no Estadual.

O ideal, para a Globo, seria o Flamengo aceitar o mesmo que foi pago ao trio, de forma proporcional.

E sem a Fla TV.

Algo que Landim não aceita.

Mesmo sabendo que os jogos finais do Carioca deverão ser disputados sem público.

O resultado da transmissão de Flamengo e Portuguesa na Fla TV chegou a um milhão de pessoas. Enquanto o jogo mostrado pelo globoesporte.com, não passou de 200 mil.

O clube carioca quer assumir de vez a transmissão de seus jogos no youtube no futuro.

Mas hoje, a pressão sob a diretoria do Flamengo é enorme.

Da Globo, da Ferj e até do Palácio do Planalto.

A prometida ida de Bolsonaro à partida amanhã corre risco. 

Já não haverá torcedores no estádio.

 Globo quer travar a Fla TV. Um dos obstáculos para a transmissão do jogo de amanhã

Globo quer travar a Fla TV. Um dos obstáculos para a transmissão do jogo de amanhã

FlaTV

O presidente não teria os holofotes da televisão.

A vitória da resiliência contra a pandemia seria esvaziada.

Landim quer mais dinheiro da Globo.

E luta pela Fla TV.

A emissora carioca não desistiu.

Vai lutar até o último minuto para mostrar o jogo.

E Bolsonaro repensa.

Sem tevê, o presidente pode não ir até Moça Bonita.

Rubens Lopes está irritado.

Veja mais: Encurralada, Ferj propõe solução salomônica para volta do Carioca

Quer o jogo transmitido para o Brasil.

Para mostrar a superação do futebol carioca.

Landim tem três aliados tensos.

Ele, que tanto pressionou, está encurralado.

Ninguém quer fantasma, o jogo da volta do futebol....

(A Ferj decidiu mudar o local de Flamengo e Bangu.

Em vez de Moça Bonita, será no Maracanã.

Pela importância da 'retomada'...)

Injustiças, azar... Veja craques que não foram campeões pelo seu time