Seleção brasileira

Cosme Rímoli Pia fez Tite ter coragem. E falar contra Copa América e assédio

Pia fez Tite ter coragem. E falar contra Copa América e assédio

Até que enfim, o treinador da Seleção Brasileira, Tite, decidiu falar. E se mostrou contra a Copa América no Brasil e se mostrou contra o assédio sexual, que o presidente da CBF é acusado

  • Cosme Rímoli | Do R7

Foi preciso que a sueca Pia se posicionasse contra o assédio para que Tite criasse coragem

Foi preciso que a sueca Pia se posicionasse contra o assédio para que Tite criasse coragem

CBF

São Paulo, Brasil

Foi preciso a Seleção Feminina e a treinadora sueca Pia Sundhage mostrarem a Tite a importância dos holofotes, do microfone, para o técnico da Seleção Brasileira Masculina deixar a omissão

Finalmente, o técnico esqueceu o medo.

Percebeu o quanto foi ridícula sua entrevista após a partida contra o Paraguai, fugindo das perguntas dos jornalistas, postura constrangedora para quem comanda o projeto para tentar fazer o Brasil hexacampeão mundial.

E falou o que pensa da Copa América. E até da denúncia de assédio sexual do presidente da CBF, Rogério Caboclo.

"Somos contrários à realização da Copa América e não vai ter desculpa agora. Não tem bengala, muleta. Vai jogar. Vamos nos cuidar da melhor maneira possível e vamos jogar com a exigência.

"Nós pedimos ao presidente (Caboclo), eu pedi, o (coordenador) Juninho pediu, os atletas pediram, paara, antes dela ser definida no Brasil, nós pedimos para ser consultados antes. Nós fomos leais e pedimos isso antes. Antes mesmo de ser levado ao presidente da República, antes de levar ao país. E nós colocamos essa situação de que não gostaríamos (que a Copa América fosse no Brasil), pelo que estava envolvido, a questão sentimental (pelos mais de 480 mil mortos pela Covid-19)."

Os jornalistas ficaram espantados. Esperavam que Tite outra vez se esquivasse, para não entrar em linha de choque com Caboclo. E não colocar seu cargo em risco.

"Ficamos à mercê, pediram tempo para nós, aí a situação ficou definida e ficamos expostos. Esse é o real, o que acompanhei em relação a essa situação toda. Então decidimos nos manifestar de forma conjunta, mas já que ela foi definida, temos orgulho do nosso país, de representar a seleção, eu tenho orgulho de ser técnico da Seleção."

Quanto à denúncia de assédio sexual e moral do presidente da CBF contra uma funcionária da CBF, a quem teria oferecido biscoito canino, chamado de 'cadelinha' e perguntado se ela 'se masturbava', Tite decidiu falar.

"Eu tenho uma opinião e vou repetir: o fato é gravíssimo.

"Assédio não!

"Eu tenho respeito à coragem da funcionária (que acusou Caboclo) por ser um assunto tão difícil de ser exposto. E torço para que a Justiça de todos os envolvidos venha de forma clara e justa."

Tite repetiu a frase na placa com que a Seleção Feminina entrou ontem, na partida contra a Rússia.

Em momento algum, o técnico defendeu Rogério Caboclo.

Seleção Feminina se posicionou ontem, enquanto a masculina e Tite se calavam

Seleção Feminina se posicionou ontem, enquanto a masculina e Tite se calavam

Reprodução/Sportv

Graças a Pia e à Seleção Feminina de Futebol, Tite acordou.

E percebeu a importância que o técnico da Seleção tem neste país.

Vai além de colocar jogadores em campo.

É a representação maior de liderança esportiva desta nação.

Até que enfim, Tite deixou a omissão...

Últimas