Os reservas sabotam. E o Corinthians é goleado pelo Rangers

4 a 2 foi até pouco para o time escocês. Adeus, Florida Cup

Os reservas do Corinthians foram responsáveis pela goleada para o Rangers
Os reservas do Corinthians foram responsáveis pela goleada para o Rangers Corinthians

É preciso entender a derrota do Corinthians. A situação é muito clara. Com seus titulares, campeões do Brasil, o time de Fábio Carille venceu o escocês Rangers por 2 a 0, com facilidade.

No segundo tempo, os reservas, desentrosados e muito mais fracos tecnicamente, veio a virada, com direito a um festival de gols europeus. A derrota por 4 a 2. Goleada mais do que justa.

Acabou a chance de conquista da Florida Cup.

Ficou outra vez escancarada a diferença entre os titulares e reservas corintianos. Como a prioridade, em 2018, será a Libertadores, a diretoria precisa se articular. E buscar jogadores importantes para compor o grupo. Não há lógica em Roberto de Andrade não querer contratar Henrique Dourado. O jogador já conseguiu que o Fluminense aceitasse negociá-lo. O momento não é Andrade ficar magoado, com a primeira negativa do time carioca. E sim de agir.

"A equipe não conseguiu manter o padrão de jogo. Não conseguimos manter o nível da equipe no primeiro tempo", resumiu, sincero e direto, Lucca, que pediu uma chance de seguir no Corinthians. "Tive uma conversa com o professor Carille. Foi olho no olho. E deixei claro que desejo seguir por aqui. Trabalhar, buscar meu espaço", disse de maneira humilde, muito diferente de 2016, quando se mostrava arrogante e acabou sendo emprestado em 2017 para a Ponte Preta.

Carille pediu a Roberto de Andrade e Lucca deverá ter uma chance para mostrar que realmente mudou.

"Ainda temos de crescer muito. É preciso calma. É só a pré-temporada. Precisamos trabalhar", avisava Cássio, desconfortável com a goleda sofrida pelo time. E tentando amenizar as cobranças dos jornalistas.

Em 2017, um fator ajudou Fábio Carille a conseguir os títulos do Paulista e do Brasileiro, mesmo contando com o grande contraste entre reservas e titulares, o Corinthians estava fora da Libertadores. Teve mais tranquilidade, paz e folga no calendário para que, mesmo com a queda no início do segundo turno, a equipe vencesse o torneio nacional.

O Rangers fez o que quis no segundo tempo. Marcou quatro gols
O Rangers fez o que quis no segundo tempo. Marcou quatro gols Divulgação

Agora, não.

A pressão pela Libertadores já chega ao Parque São Jorge. Seja qual for o candidato eleito em fevereiro, o clube terá de se reforçar  para mais esta competição. E com o calendário espremido por conta da Copa do Mundo. Os jogadores terão ainda menos tempo para descanso.

A Flórida Cup é uma competição de pré-temporada. E que o Corinthians pensa seriamente em abandonar. Não está valendo a pena financeiramente viajar para os Estados Unidos em janeiro. O desgaste fica aquém. O intercâmbio também não tem dado resultados. Pelo contrário. O time segue jogando para públicos cada vez menores. Estádios vazios.

A partida de hoje contra o Rangers foi significativa. No primeiro tempo, mesmo com o disparate físico entre uma equipe vinda das férias e outra em plena atividade, o esquema tático e o entrosamento dos titulares bastaram para vencerem o primeiro tempo por 2 a 0. 

A equipe escocesa não acompanhou o time brasileiro no ano passado. E caiu facilmente na armadilha da compactação corintiana. O Rangers buscou o ataque e deixou campo aberto para contragolpes fatais. Foi assim que Jadson serviu Rodriguinho para marcar 1 a 0, aos 30 minutos. O jogo estava tão bom para os brasileiros, que Kazim marcou o segundo gol, aos 39 minutos.

Duas situações que se mostraram ruins para o Corinthians. Kaziam segue muito fraco, desperdiçando bolas importantes. Está muito abaixo do resto do time. Um artilheiro precisa ser contratado. Jô segue fazendo falta. E Guilherme Romão ainda é bastante inseguro, inexperiente.

Na segunda etapa, nem o 4-1-4-1 de Fábio Carille foi suficiente para evitar a virada. Os reservas corintianos entraram mal demais. Inseguros, tensos. E descompatados. Ofereceram todo o campo para o Rangers não só vencer, golear. Os dois gols de Morelos e os de Halliday e Tavernier fizeram justiça no placar. 

Se os brasileiros fizeram 2 a 0 no primeiro tempo, os escoceses devolveram em dobro, 4 a 0 no segundo.

A derrota por 4 a 2 demonstra aquilo que todos sabem.

Os reservas do Corinthians são muito fracos.

Só que serão bem mais utilizados em 2018.

A diretoria precisa contratar, se quise buscar títulos...

Só os titulares fizeram seu papel. Os reservas de Carille são fracos
Só os titulares fizeram seu papel. Os reservas de Carille são fracos Divulgação