Neymar repete Pelé. Papel insignificante diante do coronavírus

Pelé sempre fugiu de questões sociais relevantes. Ditadura, racismo... Neymar segue o mesmo frustrante caminho. Omisso, desperdiça o espaço que tem

Neymar repete Pelé. Omissão nas questões sociais. ídolos egocêntricos

Neymar repete Pelé. Omissão nas questões sociais. ídolos egocêntricos

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

"Onde fica Neymar?

"Até que ponto você se preocupa ou parece sensibilizado quando acaba de divulgar uma mensagem pedindo à população que siga as recomendações e aparece em um vídeo aplaudindo os médicos?

"Parece pouco.

"Não se sabe se ele fez alguma doação financeira nesta crise de saúde. Sabe-se que ele foi ao Brasil para passar esse período de confinamento em casa.

"As últimas notícias de seu país são que ele foi visto do lado de fora de suas luxuosas mansões.

"(...) “Você sabe quanto Neymar cobra por dia? O brasileiro, com um salário fixo de 30 milhões de euros líquidos  (R$ 170 milhões) e outras receitas mais suculentas em variáveis, ganha diariamente um total de 82.191 euros (R$ 466 mil)."

A crítica feita pelo colunista Ulises Sánchez-Flor, do jornal espanhol El Confidencial, se espalhou pelo mundo.

Nas redes sociais ganharam eco.

Principalmente diante da postura de Messi e Cristiano Ronaldo, os únicos jogadores de futebol na face da Terra que ganham mais do que ele.

O argentino deu um milhão de euros, R$ 5,5 milhões, para ser dividido entre dois  hospitais. Um em Barcelona e outro em Buenos  Aires.

O português deu cinco respiradores pulmonares, do modelo mais moderno, a hospitais na Ilha da Madeira.

Valor gasto: pelo menos 250 mil dólares, cerca de R$ 1,2 milhão.

Mbappé já se notabilizou por doar os 500 mil dólares, cerca de R$ 2,4 milhões, que recebeu pela conquista da Copa do  Mundo de  2018 à institução Premiers de Cordée, que cuida de crianças com deficiência.

Agora, outra vez, o parceiro de Neymar no PSG, decidiu ajudar financeiramente, nesta crise por conta da pandemia do coronavírus. Ele doou 'uma grande quantia' à Fundação Abbé Pierre, que assiste pessoas que moram nas ruas.

A imprensa europeia especula que ele teria dado 500 mil euros, cerca de R$ 2,8 milhões.

Neymar já tem um patrimônio acumulado de mais de R$ 800 milhões.

De acordo com a respeitada revista Forbes, ele acumulou, só em 2019, 105 milhões de dólares, R$ 595 milhões. Entre salários e publicidade.

Ele já mantém o Instituto Neymar, desde 2013, que assiste 2.500 crianças desfavorecida. Em uma área de 8 mil metros quadrados, cedida pela prefeitura da Praia Grande, o jogador oferece cursos profissionalizantes e esporte, além de assistência social. O que é um belo e sério trabalho.

Messi foi fundamental na construção do maior hospital infantil contra o câncer na Argentina. Doou 2,3 milhões de libras esterlinas, cerca de R$ 14,5 milhões.

Pelé adorava e cultivava a imagem de 'rei do futebol'. Silêncio sobre a Ditadura

Pelé adorava e cultivava a imagem de 'rei do futebol'. Silêncio sobre a Ditadura

Reprodução/Twitter

Cristiano Ronaldo foi além. Pagou construção de escolas na Palestina, doou milhões em campanha contra a fome na África. Seu dinheiro ergueu hospitais na Síria.

Mas Neymar, mesmo com a assessoria de mais de 30 pessoas, em inúmeras áreas, tem um grave problema em reagir às causas que atingem toda a sociedade.

Ele é massacrado por aparentar alienação e até descaso.

Como está sendo o caso da pandemia.

Primeiro, apareceu com uma máscara 'fashion', ainda em Paris, com a 'brilhante' legenda, "Corona Out". Corona, fora, em bom português.

Depois, de um silêncio muito criticado, apareceu batendo 'palmas' para os médicos que trabalham cuidando dos pacientes do coronavírus.

Mais ausência e críticas pela omissão.

Neymar foi além, como bem destacou o jornal catalão Mundo Deportivo, mostrou  sua alienação ao publicar uma foto cercado de parças, após uma partida de futevôlei na sua mansão de Mangaratiba.

Todos pertos, como a Organização Mundial de Saúde implora que não aconteça.

Só aí, ele decidiu participar de uma campanha, com seus célebres amigos de farra: Luciano Huck, Gabriel Medina, o jogador de vôlei, Bruninho, o cantor Thiaguinho e o ator Rafael Zulu.

Sucessor de Pelé para o  Brasil. Talento dentro do campo. Fora, egocentrismo

Sucessor de Pelé para o Brasil. Talento dentro do campo. Fora, egocentrismo

Reprodução/Twitter

Vão doar cestas básicas e produtos de higiene às favelas de São Paulo, informa a assessoria do jogador.

Além disso, de bigodes, e boné número 23 na cabeça, aceitou falar uma frase da campanha. 

"A solidariedade deve ser mais contagiosa que o vírus."

E só.

Os mais antigos lembram que a postura de Neymar diante dos graves problemas da sociedade é idêntica a de Pelé.

O melhor jogador de todos os tempos também fez e faz discretas doações a instituições de caridade.

Mas pouco se envolveu em questões fundamentais.

Como a Ditadura Militar no Brasil.

Racismo, embora tenha tido inúmeras namoradas loiras.

Corrupção no futebol.

Desigualdade social  no país.

Sempre fugiu de temas polêmicos.

Foi omisso diante do poder de sua voz.

Neymar tem 136 milhões de seguidores no Instagram.

São  59 milhões no Facebook.

São 45 milhões no Twitter.

Neymar aproveita acesso direto a 240 milhões de pessoas. Publicidade

Neymar aproveita acesso direto a 240 milhões de pessoas. Publicidade

Reprodução/Twitter

O que pensa chega direto a 240 milhões de pessoas no mundo.

Sua participação nas questões sociais é mínima diante deste potencial.

Omissão imperdoável.

E que muitos fãs já perceberam.

Como no tempo de Pelé, não esperam quase nada edificante, modificador, importante.

A ser poses egocêntricas.

Ou fotos de patrocinadores.

Neymar já caminha para os 29 anos.

Segue preocupado em usufruir o que conquistou.

Assim como Pelé, aos 79 anos.

Sua maior preocupação em relação ao coronavírus é ficar em casa.

Nem ao enterro do irmão Zoca, ele foi, por medo da epidemia.

Pelé tem quatro milhões de seguidores no Instagram.

Tem 5,8 milhões no Facebook.

São 2,5 milhões no Twitter.

Suas mensagens chegam a 12,3 milhões de pessoas.

Não escreveu uma palavra sobre o coronavírus.

Neymar vai no mesmo caminho.

Tem um talento fabuloso.

Mas é um ídolo oco.

Superficial, raso.

Sem conteúdo.

Inesquecível suas frases sobre se havia sofrido racismo.

“Nunca. Nem dentro nem fora de campo. Até porque eu não sou preto, né?"

O pai de Neymar é negro.

Pelé mostrou o caminho a Neymar. Fez  propaganda de tudo que pôde

Pelé mostrou o caminho a Neymar. Fez propaganda de tudo que pôde

Reprodução/Twitter

"Fui covarde.

"Quando jogava, só me preocupava com a evolução da minha carreira", confessou Pelé.

Mas depois, como empresário e garoto-propaganda, seguiu a mesma postura.

Portanto, o Brasil se acostumou.

Teve décadas de treino com Pelé.

O que vier de Neymar é lucro.

Os dois maiores ídolos do futebol deste país sempre dedicaram todo o seu amor, toda preocupação social, seu envolvimento com o que consideram sublime.

O espelho...