Cosme Rímoli Muito mal, com ajuda do bandeira, São Paulo vence o lanterna

Muito mal, com ajuda do bandeira, São Paulo vence o lanterna

O São Paulo, de Diniz, fez uma partida péssima. No Morumbi, virou para cima do Goiás, 2 a 1. Com um gol muito discutível. Chega a terceiro no Brasileiro

  • Cosme Rímoli | Do R7

Brenner comemora o gol mais do que duvidoso. Mas o bandeira confirmou

Brenner comemora o gol mais do que duvidoso. Mas o bandeira confirmou

Levi Bianco/Brazil Photo Press/Agencia O Globo 07.11.20

São Paulo, Brasilo

Foi um sofrimento.

Com direito a um gol que despertou muita desconfiança.

Mas o São Paulo venceu o lanterna do Brasileiro, o Goiás, por 2 a 1, no Morumbi.

De virada.

Gols de Brenner e Igor Gomes.

Fernandão marcou para o Goiás.

"Acho que toda vitória é importante, jogando bem ou mal. Fizemos nosso papel nesse torneio, que é sempre buscar os três pontos."

"Mais importante foi ganhar."

"Não sei se foi nossa melhor partida, mas buscamos o gol a todo momento e fizemos jus a jogarmos em casa", disse Igor Gomes, confirmando a péssima partida que seu time fez.

De forma prática, os três pontos fizeram a equipe chegar à terceira colocação.

E alcançar a marca de dez jogos sem perder no Brasileirão.

Enquanto o Goiás tem dez partidas sem saber o que é uma vitória.

O São Paulo tinha a obrigação de vencer.

O clube, com oito anos de jejum de títulos, que fracassou em 2020, no Paulista, Libertadores, Copa Sul-Americana, tinha a chance de terminar, ao menos, o primeiro turno do Brasileiro na liderança.

Enfrentava o lanterna do Brasileiro.

O Goiás, com inúmeros problemas financeiros, só pode montar um elenco fraquíssimo. 

Comandado por Enderson Moreira, sua estratégia só poderia ser a de sempre. Montar duas linhas de marcação, a partir da sua intermediária e na defesa.

Em vez de contragolpes rápidos, preferiram alguns explorando a força física de Fernandão, atacante de referência, para fazer o pivô, segurar os zagueiros são-paulinos.

O São Paulo, sem Daniel Alves, suspenso. Igor Gomes atuava no seu lugar.

E outra vez pecava pela falta de criatividade. Gabriel Sara seguia muito distante da área. Luciano e Brenner tentavam se movimentar, se oferecer para tabelas, infiltraçoes.

Igor Gomes marcou gol da virada. Mas deixou claro o quanto São Paulo jogou mal

Igor Gomes marcou gol da virada. Mas deixou claro o quanto São Paulo jogou mal

São Paulo

Enderson Moreira tinha atenção especial em Reinaldo, pela esquerda. Já na direita, Juanfran mesmo se marcava, com sua tradicional falta de qualidade ofensiva.

A saída, pela falta de articulação, coordenação, personalidade para atacar, fazia o São Paulo apelar para a pobreza dos exagerados 'chuveirinhos', cruzamentos para a área. O que facilitava para a zaga goiana, que conta com o ótimo goleiro Tadeu.

Não tinha criatividade alguma.

O Goiás, atacando muito esporadicamente, conseguiu sair na frente.

Fernandão tabelou com Vinicius e não teve dificuldade em estufar as redes de Volpi. O São Paulo reclamou da dividida pelo alto que Fernandão ganhou com o pé direito de Diego Costa, que foi com a cabeça. Mas foi o zagueiro que se encolheu.

O gol, aos 18 minutos, foi legal.

1 a 0 Goiás.

Mas o São Paulo conseguiu empatar logo sete minutos depois.

Em um lance mais do que discutível.

Juanfran cruzou e a zaga do Goiás bobeou.

E Brenner conseguiu dar uma cabeçada fortíssima.

Tadeu conseguiu espalmar entre a trave e a linha.

Lance que a transmissão de TV não soube definir se entrou ou não.

Mas o bandeira Ricardo Bezerra Chianca confirmou o gol.

Mesmo estando a 50 metros da jogada.

Empate, 1 a 1.

No desfigurado twitter oficial do Goiás. Sem entrar totalmente, não existe gol

No desfigurado twitter oficial do Goiás. Sem entrar totalmente, não existe gol

Goiás

O São Paulo seguiu tentando virar a fórceps, sem calma, estratégia. Apenas ataques em bloco, com cruzamentos infantis.

O segundo tempo veio e o time de Fernando Diniz sem coordenação, apenas com vontade.

O Goiás defendia como podia. 

Os jogadores se cansavam.

Diniz, desesperado, tirou Diego, colocou no seu lugar o atacante Pablo.

Recuou Luan para a zaga.

E quase perde o jogo.

Fernandão, com 1m92, teve duas chances claras de marcar 2 a 1.

Mas errou.

O São Paulo seguiu buscando vencer, forçando pelo meio.

Em uma falha da zaga goiana, ao tentar afastar, a bola sobrou para Igor Gomes.

O clute de fora da área desviou na zaga.

E enganou Tadeu.

2 a 1 São Paulo, aos 33 minutos do segundo tempo. 

O Goiás cansado, fraco, foi para o ataque.

Pressionou o time de Fernando Diniz.

Mas o São Paulo conseguiu segurar a vitória.

Só que voltou a jogar muito mal.

Teve 17 chutes a gol.

70% de posse de bola.

Mas nenhuma imaginação.

Sem coordenação tática.

Fernando Diniz: mais palavrões do que orientações. São Paulo sem organização

Fernando Diniz: mais palavrões do que orientações. São Paulo sem organização

São Paulo

Para ganhar do lanterna, suou sangue.

Segue um time que não merece confiança.

Principalmente pela insegurança de Diniz...

Messi e Cavani brilham; Bayern confirma 'freguesia' do Dortmund

Últimas