Seleção brasileira

Cosme Rímoli Mau gosto de Neymar no reveillon é o de menos. Problema é Coutinho

Mau gosto de Neymar no reveillon é o de menos. Problema é Coutinho

Tite começa 2021 preocupado. Não com as farras de Neymar, que conhece e aprova. Mas com Coutinho. Operado, meia não deve enfrentar Colômbia e Argentina

  • Cosme Rímoli | Do R7

São Paulo, Brasil

O Ministério Público do Rio de Janeiro e os patrocinadores conseguiram barrar a esbórnia que Neymar planejava para o reveillon.

Não tiveram, no entanto, a sorte de impedir a exdrúxula roupa de cowboy metalizado que o jogador usou na passagem do ano, com seus familiares, parças e convidados, todos sem máscara.

Tite, seguindo sua campanha aflitiva de tentar resgatar a abalada imagem da Seleção Brasileira, depois de série de entrevistas no final do ano passado, apagadas pelas retas finais da Libertadores, Campeonato Nacional e Copa do Brasil, foi além.

Posou com a família no Natal, com selfie caprichada do seu filho Matheus, seu auxiliar técnico na Seleção, caso inédito na história centenária do futebol neste país.

Mas muito além da superficialidade das festas do final de 2020, algo grave aconteceu com a Seleção Brasileira.

E que afetará, no mínimo, o desempenho nas Eliminatórias na Copa da Rússia.

E atingiu o segundo jogador que Tite tem mais confiança e mais protege no time que deseja levar para o Catar, em 2022.

Philippe Coutinho.

Desde 2014, logo após o fracasso vergonhoso do Brasil na Copa do Mundo, com direito à goleada por 7 a 1 para a Alemanha, Coutinho se tornou presença indispensável na Seleção.

Dunga e Tite esperavam que ele se tornasse o companheiro ideal para Neymar, desabrochasse seu futebol de alta técnica, dribles curtos, chutes mortais, infiltrações surpreendentes, articulações mágicas, capazes de desmontar as linhas de marcações de times que enfrentam o Brasil.

Mas Coutinho vive de espasmos. Não consegue ser um atleta regular. Emocionalmente instável, inúmeras vezes 'desaparece' em campo, apesar de talento indiscutível.

Foi assim que iludiu e decepcionou o Barcelona, capaz de investir 100 milhões de euros fixos, exatos R$ 634 milhões. Variáveis poderiam chegar a 160 milhões de euros, cerca de R$ 1 bilhão.

O dinheiro gasto em junho de 2018 provocou críticas. O arrependimento foi enorme.

Por um motivo simples.

No último jogo de 2020, rompimento do menisco. Recuperação levará três meses

No último jogo de 2020, rompimento do menisco. Recuperação levará três meses

Alejandro García/EFE/29-12-20

Coutinho rende exatamente na faixa de campo que atua Messi, da esquerda para o meio. Não conseguiu jogar do meio para a direita, como foi tantas vezes escalado. Lógico que Messi é intocável na Catalunha.

Foi emprestado para o Bayern já em 2019 e ficou até 2020. O clube alemão não quis comprá-lo, já que seu rendimento foi decepcionante.

Voltou ao Barcelona, que já procurava equipes para repassá-lo, na janela do início deste ano que, na Espanha, abre na segunda-feira, dia 4 de janeiro e se encerra no dia primeiro de fevereiro. A janela de 'inverno'.

Só que o destino foi cruel.

Na última partida do time espanhol, em 2020, contra o Eibar, o brasileiro saiu do banco de reservas, entrou no segundo tempo, no lugar do bósnio Pjanic.

E sofreu o rompimento do menisco do joelho esquerdo.

Ele terá se sofrer uma operação, provavelmente, nesta próxima semana.

A previsão otimista é que, em três meses, ele deverá estar apto a jogar futebol.

Aos 28 anos, o Barcelona tem todo o cuidado para que a operação e a recuperação sejam feitas da melhor maneira. Para assegurar uma negociação na janela do verão, no meio deste ano.

Assim, a alegria que Tite demonstrava no Natal, diminiu e muito.

O clube espanhol não deverá liberar Coutinho para dois jogos importantíssimos da Seleção nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo.

O Brasil enfrentará a Colômbia, dia 25 de março, em Bogotá.

E a Argentina, dia 30 de março, em Pernambuco.

Duas partidas de alta competitividade, de muito contato físico, para um jogador caríssimo, que o Barcelona pretende vender, em recuperação de uma cirurgia no joelho.

Tite sabe que tem um problema enorme nas mãos.

Ele pretende usar as Eliminatórias Sul-Americanas para resgatar a credibilidade da Seleção, fortemente abalada desde a fracassada participação do Brasil no Mundial da Rússia.

E Coutinho é fundamental, nesta geração carente de jogadores diferenciados. Situação que Neymar se aproveita para fazer o que quer.

Ou seja, 2021 já começa com problemas para o treinador.

E vão bem além da festança cancelada de Neymar.

Ou suas franjas metalizadas e seus convidados sem máscara, em Mangaratiba.

O mais importante no final de 2020 aconteceu na Espanha.

Em mais uma cirurgia de Coutinho.

Em maio do ano passado, ele operou o tornozelo direito.

O meia-atacante precisa da explosão muscular para render.

De velocidade.

A cúpula do Barcelona sabe muito bem disso.

Assim como Tite.

A festa familiar de Tite. Depois da alegria, a preocupação. Coutinho operado

A festa familiar de Tite. Depois da alegria, a preocupação. Coutinho operado

Reprodução/Instagram

O treinador tem de pensar nas opções que possam substituir Coutinho nos dois próximos jogos das Eliminatórias.

Justo na rodada mais difícil.

Contra colombianos com novo treinador, Reinaldo Rueda.

E os argentinos, com Messi, em busca de redenção, após a morte de Maradona.

Mais uma farra de Neymar é o de menos para Tite...

Teve festão? Veja fotos de como foi a virada de ano de Neymar

Últimas