Cosme Rímoli Livre dos gritos de Caboclo, time pode aceitar disputar Copa América

Livre dos gritos de Caboclo, time pode aceitar disputar Copa América

Jogadores não se conformavam com o tom autoritário de Caboclo. Era um dos motivos para não disputar a Copa América. Sem ele, tudo pode mudar

  • Cosme Rímoli | Do R7

Tite e seus jogadores. Livres do presidente da CBF, podem até disputar a Copa América

Tite e seus jogadores. Livres do presidente da CBF, podem até disputar a Copa América

Lucas Figueiredo/CBF

São Paulo, Brasil

Infelizmente, o Brasil segue contando seus mortos na pandemia. 

Mais de 470 mil pessoas perderam a vida com a terrível doença.

Novas cepas ameaçam a ciência, as vacinas.

A indiana, mais contagiosa e letal, já chegou no país.

Os jogadores da seleção brasileira seguem na mesma sintonia. Acreditando ser um desrespeito disputar a Copa América no território nacional. Seguem com medo de viajar pelo país e ter contato com atletas que estiveram em países que a cepa indiana se alastra, como a Argentina.

Os atletas que atuam na Europa estão exaustos. Praticamente juntaram duas temporadas, por conta de antecipação de férias. Não gostariam de disputar uma competição com a obrigação de vencer.

Mas hoje houve uma mudança significativa nesta falta de vontade do time brasileiro em disputar a competição.

O presidente Rogério Caboclo foi afastado, acusado de assédio sexual e moral a uma funcionária. O Comitê de Ética da entidade, depois de avaliar as provas, considerou que ele precisava deixar o cargo para ser julgado. Com enorme chance de perder o cargo definitivamente.

Os jogadores e Tite estavam revoltados pelo tom totalitário, ditatorial que Caboclo usou com eles, na reunião que soube da decisão dos atletas.

Ele invocou a hierarquia, tratou a todos como subalternos, que teriam de se submeter às ordens do presidente.

Situação que provocou reação imediata no elenco que vale bilhões de reais. Os jogadores não quiseram se dobrar a um dirigente brasileiro. Eles não têm obrigação alguma com a CBF. Não há contrato algum. Apenas as convocações. Que os atletas aceitam se quiserem.

O medo dos jogadores em seguir não aceitando jogar a Copa América era uma ameaça velada de serem deixados de lado na Copa do Mundo.

Medo que sumiu com Rogério Caboclo sem poder algum.

Com ele fora da CBF, a postura dos jogadores pode mudar.

E até acontecer a reviravolta.

Com o time disputando a competição, sob protesto.

Mas sem se submeter aos gritos de Caboclo, de dirigente algum.

O relacionamento entre o time e o presidente da CBF ficara insustentável.

Tite tem todas as condições de costurar um acordo com os atletas e o presidente interino, Antônio Nunes.

E o Brasil ter seu melhor time na Copa América.

O que seria o sonho dos patrocinadores da CBF.

Da Conmebol.

O que mostra o quanto Caboclo estava atrapalhando...

CR7 passeia de Bugatti exclusivo. Veja esse e outros carrões do astro

Últimas