Seleção brasileira

Cosme Rímoli Jogadores da Seleção deverão ser liberados. Para furar a fila da vacina

Jogadores da Seleção deverão ser liberados. Para furar a fila da vacina

O Ministério da Saúde liberará hoje os atletas que vão disputar a Olimpíada. A CBF acredita que os jogadores da Seleção, que estão nas Eliminatórias e Copa América, terão o mesmo direito

  • Cosme Rímoli | Do R7

Há a certeza na CBF, o Ministério da Saúde liberará a vacinação nos jogadores da Seleção

Há a certeza na CBF, o Ministério da Saúde liberará a vacinação nos jogadores da Seleção

CBF

São Paulo, Brasil

A CBF já tem o amparo que precisava.

Embora tenham, em média, entre 22 e 35 anos, os jogadores da Seleção serão vacinados contra a Covid-19.

Vão furar a fila que os demais brasileiros são obrigados a seguir.

Embora não trabalham na saúde, nem tenham doenças crônicas, nem atuem em profissões prioritárias.

A CBF acaba de ganhar o escudo do Ministério da Saúde, que acabou de aceitar a doação de vacinas para 1.500 pessoas, entre atletas, dirigentes até jornalistas, do Comitê Olímpico Internacional. Por conta da Olimpíada de Tóquio.

As vacinas foram doadas pela China.

Doar vacinas para atletas de todos os países é uma saída que o COI investe para garantir, pelo menos a presença das delegações no Japão, entre 23 de julho e 8 de agosto. 

Entre os atletas que serão vacinados pelo Comitê Olímpico Brasileiro estão os do futebol masculino e feminino.

Seguindo essa mesma lógica, o presidente da CBF, Rogério Caboclo, tem a certeza que o Ministério da Saúde liberará a vacinação para os jogadores da Seleção Brasileira. Para que possam disputar as Eliminatórias Sul-Americanas. E também a Copa América, na Colômbia e Argentina.

Marta, 35 anos, já tomou a vacina anti Covid-19. Nos Estados Unidos

Marta, 35 anos, já tomou a vacina anti Covid-19. Nos Estados Unidos

Orlando Pride

A liberação para os atletas olímpicos acontecerá hoje. 

Haverá uma coletiva em Brasília.

O ministro da Saúde Marcelo Quiroga confirmará a liberação.

E a ordem é começar a vacinar já na sexta-feira, para que dê tempo de embarcar para o Japão, já imunizados, depois de tomar a segunda dose do imunizante.

Por uma questão política, para tentar amenizar as críticas, para cada dose dada aos atletas, duas serão doadas à população em geral. Entregues ao Sistema Único de Saúde, o SUS.

Se o Comitê Olímpico Internacional cedeu as vacinas para os atletas, a Conmebol garante os imunizantes aos jogadores de futebol. Não só da Seleção Brasileira. Como dos jogadores que disputam a Libertadores e a Copa Sul-Americana.

A expectativa é que acabe a rejeição da população, como aconteceu com a delegação do Atlético Goianiense, que se vacinou no Paraguai, na semana passada.

Cerca de 100 atletas olímpicos já teriam sido vacinados fora do país.

Assim como vários jogadores de futebol.

A fila não está sendo furada por nada.

Há muito dinheiro envolvido.

Se a Olimpíada fosse cancelada, como grande parte da população de Tóquio defende, os prejuízos para o governo japonês e para o Comitê Olímpico Internacional chegariam a mais de 5 bilhões de dólares, cerca de R$ 26,1 bilhões. O seguro que garante a competição pagaria 'apenas' 1,5 bilhão de dólares, cerca de R$ 7,8 bilhões.

O presidente do COI, o alemão Thomas Bach, pressiona os países. Para a disputa da Olimpíada

O presidente do COI, o alemão Thomas Bach, pressiona os países. Para a disputa da Olimpíada

COI

A poderosa NBC, dona da retransmissão para os Estados Unidos, também pressiona para que aconteçam os Jogos Olímpicos. Ela pagou, em 2014, exatos US$ 7,65 bilhões, R$ 40 bilhões ao COI. Para ser a dona da transmissão das Olimpíadas até 2032.

A Fifa já perdeu 683 milhões de dólares, com a Covid-19, em 2020, cerca de R$ 3,5 bilhões. E é ela quem pressiona as confederações do mundo inteiro que o futebol continue. As Eliminatórias da Copa do Catar, a Copa América, a Eurocopa. 

A Comnembol também perdeu muito dinheiro. Daí a determinação para que os países vacinem seus atletas para a disputa da Copa América, Libertadores e Copa Sul-Americana.

No Brasil, são mais de 195 milhões de pessoas 'comuns' esperando serem vacinadas

No Brasil, são mais de 195 milhões de pessoas 'comuns' esperando serem vacinadas

Cosme Rímoli/R7

Com a liberação do Ministério da Saúde para a vacinação dos atletas olímpicos, os jogadores de futebol que estarão em Tóquio têm a permissão para receber o imunizante. Viraram 'prioritários'.

No país, 17 milhões receberam a primeira dose da vacina. E 18 milhões tomaram as duas recomendadas. Ou seja, 35 milhões de pessoas estão imunizadas. Restam cerca de 195 milhões na fila.

Mas ela será furada oficialmente.

Por atletas e jogadores de futebol...

Lionel Messi Hotel: Craque adquire resort com pista de esqui

Últimas