Cosme Rímoli Goleadas, só vitórias. Renato e Flamengo. O casamento perfeito

Goleadas, só vitórias. Renato e Flamengo. O casamento perfeito

Depois de um ano de sofrimento, saudade de Jorge Jesus, o Flamengo reencontra a alegria, a confiança, a ofensividade com Renato Gaúcho. O técnico certo no lugar certo

  • Cosme Rímoli | Do R7

Renato Gaúcho e Flamengo. Quatro vitórias em quatro jogos. Nada é por acaso

Renato Gaúcho e Flamengo. Quatro vitórias em quatro jogos. Nada é por acaso

Marcelo Cortes/Flamengo

São Paulo, Brasil

Quatro vitórias em quatro partidas.

1 a 0, Defensa y Justicia, Argentina.

5 a 0, Bahia, Salvador.

4 a 1, Defensa y Justicia, Brasília.

5 a 1, São Paulo, Rio de Janeiro.

15 gols marcados e dois sofridos.

Apaixonados por estatísticas mostram: o melhor início entre os 40 treinadores que comandaram o Flamengo neste século XXI.

Mas Renato Gaúcho está indo além.

O treinador conseguiu em tempo recorde fazer com que o clube mais popular do Brasil reconquistasse algo que havia perdido desde o dia 17 de julho de 2020. Dia no qual Jorge Jesus foi embora da Gávea.

Em 15 dias, o técnico de 58 anos conseguiu espantar a tensão que dominava o Ninho do Urubu desde as contratações de Domènec Torrent e Rogério Ceni.

Dirigentes, torcida, imprensa carioca e, principalmente, jogadores, esperavam um treinador com mentalidade ofensiva, de convicções firmes e esquema tático até simples, mas que conseguisse fazer com que cada um desempenhasse sua melhor função em campo. Que o time se sentisse confortável, encaixado, respeitando suas origens goleadora.

Renato Gaúcho exala confiança. O Flamengo precisava de um treinador firme, convicto

Renato Gaúcho exala confiança. O Flamengo precisava de um treinador firme, convicto

Alexandre Vidal/Flamengo

E que esse técnico tivesse convicção, autoconfiança, maturidade.

Nos últimos 21 anos foi o que Renato Gaúcho tratou de desenvolver. Contabilizados, lógico, os dois anos que passou descansando, apenas jogando futevôlei nas praias do Rio de Janeiro, que tanto ama e escolheu para morar, mesmo treinando o Grêmio, na distante Porto Alegre.

O importante é que ele confessou que passou o tempo sonhando em treinar o Flamengo, clube no qual jogou três vezes. Sabe o que significa estar no clube mais popular do país.

“Há dois, três anos atrás falei que meu sonho era treinar o Flamengo, pela grandeza. É uma satisfação. Todo treinador sonha em um dia treinar o Flamengo, e agora estou realizando esse sonho."

Renato Gaúcho sabia muito bem onde Domènec e Rogério Ceni haviam errado. Eles violentaram as características básicas dos jogadores. Em nome da 'modernidade' acabaram improvisando atletas, tentando impor funções táticas descabidas. Que só trouxeram insegurança ao time. Mesmo nas vitórias e, até títulos, a insatisfação era nítida.

O discurso e a postura de Renato Gaúcho combinam com os jogadores. E com o que os dirigentes, torcedores e imprensa querem ouvir.

Como seu discurso cheio de vontade de conquistas, vitórias, depois do 5 a 1 contra o São Paulo, ontem no Maracanã.

"Comigo vai ter (fome de vitória). Não gosto de perder nem par ou ímpar e isso coloco quase que diariamente para meus jogadores. A maior forma de você respeitar o adversário é fazendo gols sem menosprezar."

"O saldo de gols lá na frente é importante, independente da competição, então é fazer gols. E isso não é menosprezar o adversário. Não pode deixar é de querer dar um drible a mais para provocar o adversário e isso eu não vou deixar, tenho consciência."

Renato Gaúcho foi unanimidade quando a diretoria resolveu demitir Rogério Ceni

Renato Gaúcho foi unanimidade quando a diretoria resolveu demitir Rogério Ceni

Flamengo

Esperto, vivido, Renato Gaúcho aproveita esse excelente início de comando no Flamengo para deixar claro à diretoria que precisa de reforços. Ele quer mais peças de reposição. Porque entendeu a filosofia do presidente Rodolfo Landim.

O dirigente, que foi braço direito do megaempresário Eike Batista, na fase áurea, quer ganhar os três títulos que o Flamengo está disputando: Libertadores, Brasileiro e Copa do Brasil. Nessa ordem. Não é brincadeira. O vice-presidente Marcos Braz falou sério com Renato Gaúcho da obsessão de conquistas, que representam dinheiro, para Landim. Daí o pedido de reforços, mesmo com o excelente elenco que está na Gávea.

Braz está na Europa para tentar fechar com o meio-campista do Lyon, Thiago Mendes, e com o atacante do Chelsea, Kenedy. 

"Para o grupo que o Flamengo tem, acho que a exigência é muito grande e todas as competições a gente entra pra ganhar. Hoje foi o Campeonato Brasileiro e a gente vai curtir essa vitória, porque foi uma vitória importante, de virada, contra o um grande adversário. Nossa próxima partida é quinta-feira, contra o ABC, pela Copa do Brasil. Vamos curtir essa vitória. A partir de amanhã já começo a pensar no próximo adversário."

"Eu tenho três Copas do Brasil e quero a quarta. Na competição que entro, entro para vencer com meu grupo."

Essa mentalidade clara, direta, é o que faltou, por exemplo, a Rogério Ceni.

Como celebrar e ironizar as últimas nove partidas que o Flamengo não conseguia derrotar o São Paulo. Em vez do tabu, ele apontou o jejum do rival paulista.

"Um dos assuntos que eu falei na preleção era que tínhamos que esquecer isso. O Flamengo não vencia o São Paulo há tantos anos..."

"Flamengo não vinha vencendo o São Paulo, mas vem curtindo voltas olímpicas, que é o mais importante no futebol."

Renato também foi direto com os jogadores. Não toleraria reclamações por substituições

Renato também foi direto com os jogadores. Não toleraria reclamações por substituições

Alexandre Vidal/Flamengo

Renato Gaúcho conseguiu dar consistência tática, confiança e resultados.

E disciplina.

Foi claro com os jogadores, não toleraria reclamações com substituições.

Como acontecia sob o comando de Rogério Ceni.

São só as quatro primeiras partidas, com ele, o Flamengo mudou.

Voltou a impressionar, golear, vibrar.

"(Se o Flamengo tem o melhor futebol do Brasil)Isso já deu polêmica lá atrás, né? Não vou entrar no mérito se é o melhor futebol do Brasil. Procuramos sempre trabalhar para jogar bem. Apesar do pouco tempo, tenho gostado da equipe", disse sorrindo, confiante.

Em julho de 2021, não há resumo melhor para a situação.

Renato é o técnico certo.

No lugar certo, no Flamengo...

Fadinha de prata! Veja as manobras de Rayssa Leal na Olimpíada

Últimas