Flamengo

Cosme Rímoli Fla apela para o MP. Bilionário recua. Sem dinheiro ao São Paulo

Fla apela para o MP. Bilionário recua. Sem dinheiro ao São Paulo

A direção do Flamengo resolveu apelar para o MP e para a Polícia. Pelo dinheiro que Elusmar Maggi prometia dar ao São Paulo para vencer o time carioca

  • Cosme Rímoli | Do R7

Elusmar dentro do seu jato particular. Teve de voltar atrás. Nada de dinheiro ao São Paulo

Elusmar dentro do seu jato particular. Teve de voltar atrás. Nada de dinheiro ao São Paulo

Reprodução/Instagram

São Paulo, Brasil

Elusmar Maggi Scheffer pode ser bilionário.

Mas conheceu a força do Flamengo.

O homem que tem patrimônio maior do que R$ 4,7 bilhões, havia decidido interferir no Campeonato Brasileiro.

Usando como arma seu dinheiro.

Para ajudar seu clube 'do coração', o Internacional.

Primeiro, deu R$ 1 milhão para que o clube pudesse pagar multa para que o jogador, que pertence ao Flamengo e atua emprestado no time colorado, pudesse enfrentar o dono dos seus direitos.

E ele jogou ontem no Maracanã.

Foi expulso aos três minutos do segundo tempo, comprometendo seu time, na partida importantíssima, vencida pelo clube carioca.

Ontem mesmo,  Elusmar Maggi Scheffer voltou a ser o centro de atenções, garantindo que 'enjetaria dinheiro no São Paulo" para vencer o Flamengo, no Morumbi. Com esse resultado, bastaria o Internacional derrotar o Corinthians, em Porto Alegre, que seria campeão brasileiro, depois de 41 anos.

A direção do Flamengo não deixou por menos.

"Futebol profissional é coisa séria. Não tem espaço para oportunistas de plantão que querem aparecer. A oferta de vantagem patrimonial para interferir em resultado esportivo é crime. Esse Maggi está manchando o nome da família dele.

Rodrigo Dunshee prometeu acionar o MP e a Polícia se o dinheiro fosse pago ao São Paulo

Rodrigo Dunshee prometeu acionar o MP e a Polícia se o dinheiro fosse pago ao São Paulo

Flamengo

"Estamos oferecendo notícia crime, embora tenhamos plena consciência de que nenhum clube estaria à venda. Isso é palhaçada de quem quer aparecer", disse o vice presidente geral do Flamengo, Rodrigo Dunshee de Abranches.

Ele garantiu que iria recorrer ao Ministério Público e à Polícia.

Fora isso, foram milhares de torcedores do Flamengo atacando o empresário.

Inúmeros conselheiros do São Paulo ficaram revoltado com a promessa do bilionário.

Ele foi tema em vários programas esportivos de debate.

A sua atitude antiética foi muito criticada.

Até mesmo entre torcedores do Internacional, que acreditavam que a atitude poderia manchar um eventual título colorado.

Diante de tanta pressão, Elusmar Maggi Scheffer decidiu recuar.

Divulgou nota oficial garantindo que não dará dinheiro algum ao São Paulo.

"Envolto em emoção, afirmei que poderia participar da última rodada com aporte financeiro ao São Paulo, algo que considero equivocado.

"Sei que não é ético, aceitável, nem necessário este tipo de coisa, já que o São Paulo, como grande clube que é, não precisaria de qualquer incentivo para tentar a vitória. Peço desculpas pelas palavras ditas 'no calor do momento'", justificou ao ge.

A direção do Flamengo promete não se desarmar.

Seguirá acompanhando de perto os acontecimentos.

Se souber se houve qualquer doação do bilionário ou de sua empresa para o São Paulo, entrará imediatamente na justiça.

Até o presidente do Internacional, Alessandro Barcellos, estava incomodado com a 'doação'

Até o presidente do Internacional, Alessandro Barcellos, estava incomodado com a 'doação'

Internacional

O recuo de Elusmar Maggi Scheffer é significativo.

O futebol profissional deste país não ser refém de bilionários torcedores.

Uma pena a omissão da CBF.

E do STJD.

Mas o Flamengo não precisou de ninguém para defendê-lo.

A não ser seus dirigentes.

E seus torcedores.

Prevaleceu a justiça esportiva...

Últimas