Cosme Rímoli Fernando Diniz mostra para Sampaoli quem é o líder

Fernando Diniz mostra para Sampaoli quem é o líder

Vitória simbólica. O líder São Paulo venceu o vice líder, Atlético Mineiro, por 3 a 0. Abre sete pontos no primeiro lugar do Brasileiro. Encaminha fim do jejum

  • Cosme Rímoli | Do R7

Igor Gomes comemora o belíssimo gol que abriu o caminho da vitória

Igor Gomes comemora o belíssimo gol que abriu o caminho da vitória

Van Campos/OFotográfico) (Foto: Van Campos/Ofotográfico/Folhapress 16.12.20

São Paulo, Brasil

Fernando Diniz aprendeu a defender.

E conseguiu uma vitória importantíssima, no Morumbi.

Que tem tudo para ser fundamental na luta do clube paulista para tentar acabar com o jejum de oito anos sem títulos.

Com um belíssimo gol de Igor Gomes, outro gol coletivo, de Gabriel Sara, e outro muito bonito, de Toró, o São Paulo não só venceu o Atlético de Jorge Sampaoli, por 3 a 0.

Abriu sete pontos na liderança do Brasileirão, justamente do time mineiro.

São 53 pontos contra 46 pontos.

"A importância da vitória é gigantesca, eles fazem excelente campanha. Vice-líder. Treinamos bastante. Ficamos um pouco abaixo no domingo, clássico é detalhe. Saímos atrás, não conseguimos buscar, mas ficamos muito felizes pela vitória."

"O Atlético foi um time que nos dificultou muito, mesmo com um a menos. É comemorar e amanhã voltar ao trabalho."

O clube conseguiu se recuperar psicologicamente da derrota para o Corinthians, no domingo.

Fernando Diniz tomou a decisão fundamental de escolher Tchê Tchê no lugar de Luciano, contundido.

Não foi pelo caminho fácil de colocar Pablo.

Com isso, ele preencheu as intermediárias.

E ainda segurou Juanfran e Reinaldo nas laterais, marcando, travando Keno e Savarino.

O Atlético Mineiro não teve jogadas pelos lados do campo, como tanto gosta, necessita.

Igor Gomes marcou o primeiro gol, em um chute impressionante

Igor Gomes marcou o primeiro gol, em um chute impressionante

Rubens Chiri/São Paulo

O São Paulo atuou de maneira muito consciente.

Pronto para preencher os espaços, não se expondo, apesar de atuar em casa.

Decisão correta e inesperada de Diniz, que gosta tanto de atacar.

O São Paulo estava seguro, firme, sem a posse de bola.

Os contragolpes do Atlético Mineiro eram mortos no início, com Luan, Tchê Tchê e Daniel Alves marcando muito. Auxiliado por Igor Gomes e Gabriel Sara. Até mesmo Brenner estava mais recuado.

Sampaoli errava feio ao deixar apenas o descontrolado Allan e Calebe como marcadores nas intermediárias.

O clube mineiro oferecia os contra-ataques, o que poderia parecer surreal antes da partida.

E foi assim que o São Paulo saiu na frente no placar.

Em uma arrancada de Tchê Tchê, que serviu Igor Gomes na entrada da área. A batida foi forte, cruzada, com a bola indo veloz para o canto direito, escapando de Everson.

1 a 0 São Paulo, aos 24 minutos.

O primeiro tempo seguiu com o Atlético Mineiro se debatendo, buscando espaço para atacar. E o São Paulo muito bem postado. 

Sampaoli sabia que a derrota seria terrível para o cenário do clube que deseja voltar a ser campeão do Brasil, situação que não acontece há 49 anos.

Gabriel Sara marcou o segundo gol. Desfecho de uma jogada coletiva, treinada

Gabriel Sara marcou o segundo gol. Desfecho de uma jogada coletiva, treinada

Rubens Chiri/São Paulo

E também para ele, responsável pelos dirigentes investirem R$ 160 milhões, na formação da equipe, a pedido de Sampaoli.

O argentino tratou de colocar sua equipe ainda mais à frente.

Adiantou suas linhas, a ordem era travar a saída de bola rival. 

Mas o São Paulo seguiu seguro, compacto, firme, seguro.

Quando a partida estava equilibrada, Allan sabotou o Atlético.

Já com cartão amarelo, ele deu uma entrada tão violenta quanto desnecessária em Daniel Alves. Foi expulso, aos 29 minutos. 

Contra dez, o São Paulo de Fernando Diniz encontrou muito mas espaço. 

E aos 37 minutos, Vitor Bueno recebe passe de Igor Gomes e cruza, rasante. A bola chega nos pés de Gabriel Sara, 2 a 0.

O jogo estava decidido.

Os atleticanos irritados, frustrados.

Quando, aos 45 minutos, Toró recebe passe diante da zaga. Ele cortou da esquerda para a direita e chutou cruzado. Outro chute indefensável para Everson.

3 a 0 São Paulo.

Toró, com espaço, não teve dificuldade para marcar o terceiro gol do São Paulo

Toró, com espaço, não teve dificuldade para marcar o terceiro gol do São Paulo

Rubens Chiri/São Paulo

A festa enorme dos jogadores indicava.

O time ganhou confiança.

E tem mostrado futebol, e tática, para ser campeão...

Neymar faz três novas tatuagens e tem quase corpo todo desenhado

Últimas