Cosme Rímoli Euforia de Tite com os veteranos Thiago Silva, Fernandinho e Daniel Alves

Euforia de Tite com os veteranos Thiago Silva, Fernandinho e Daniel Alves

A chegada do Chelsea e do City à final da Champions e a recuperação do São Paulo dão fôlego ao técnico do Brasil. Em apostar na redenção dos veteranos

  • Cosme Rímoli | Do R7

É importante para Tite a chegada de Thiago Silva à segunda final de Champions consecutiva

É importante para Tite a chegada de Thiago Silva à segunda final de Champions consecutiva

Lucas Figueiredo/CBF

São Paulo, Brasil

Gratidão é um sentimento nobre.

Mas muito perigoso para um treinador de futebol.

Pode ser venenoso para seu trabalho.

Pessoas ligadas a Tite, no Rio Grande do Sul, garantiram que ele está exultante, entusiasmado.

Por três motivos.

Dois deles têm 36 anos.

Um, 38 anos.

Seus nomes são Thiago Silva, Fernandinho e Daniel Alves.

Desde 2003, a personalidade de gratidão e desejo de recompensar os jogadores que acreditaram no seu projeto, mergulharam de corpo e alma nos seus planos, não têm do que se arrepender.

Terão a chance de uma reviravolta, quando as coisas não derem certo.

Foi o que diagnosticou a direção do Grêmio, há 18 anos, em relação ao time que havia conquistado a Copa do Brasil, com Tite, em 2001, humilhando o badalado Corinthians de Vanderlei Luxemburgo, em pleno Morumbi.

Fernandinho se impôs. Fundamental na chegada do City à final da Champions

Fernandinho se impôs. Fundamental na chegada do City à final da Champions

Reprodução/Twitter Fernandinho

Dois anos depois, a equipe decepcionava, sofria o ataque pesado da imprensa e torcedores gaúchos. Mas Tite defendia os atletas que lhe deram o título que trouxe destaque nacional.

Anderson Lima e Luís Mário estavam na vitória inesquecível, em junho de 2001, por 3 a 1. Rodrigo Fabri recusou outras propostas para aceitar o convite de Tite e chegou no mesmo ano, para disputar a Libertadores.

Em 2003, o jornal Zero Hora flagrou uma conversa entre o então presidente gremista Flavio Obino com dirigentes do clube. O dirigente não desligou o telefone ao falar com o repórter Luiz Henrique Benfica. E falou aos dirigentes do clube que Tite não abandonava sua teimosia ao escalar jogadores que não rendiam. Citou Anderson Lima, Luís Mario e Rodrigo Fabri, a quem chamou de 'ovelhinhas do Tite'.

O clima ficou insuportável no clube e o técnico foi demitido logo após eliminação da Libertadores.

Tite repetiu o mesmo comportamento ao manter a base do time campeão da Libertadores e Mundial de 2012, em 2013. Ele defendeu com unhas e dentes sua equipe, a cada fracasso em 2013. Não queria ouvir falar em reformulação, se sentia em dívida com os atletas.

Sempre deixou claro aos jogadores, inclusive, que não concordava com a chegada de Alexandre Pato, que roubava a atenção do time bicampeão mundial.

Thiago Silva segunda final da Champions seguida. Depois de dispensa do PSG

Thiago Silva segunda final da Champions seguida. Depois de dispensa do PSG

Reprodução/Instagram Chelsea

Pior para o Corinthians e para o treinador, que não teve o contrato renovado em 2014.

Tite jamais esqueceu a sensação das Eliminatórias para a Copa de 2018. Foi tratado como enorme reverência pela imprensa brasileira, que tinha a certeza que o time venceria o Mundial. Jornalistas se deixaram encantar por vitórias diante de enfraquecidas seleções sul-americanas. 

Ele chegou a ser tão procurado como Neymar para propagandas. Pela imagem de credibilidade, certeza de vitória, que transmitia.

Mas veio a Copa e o fracasso na Rússia.

Os atletas que fizeram o Brasil brilhar nas Eliminatórias acabaram escurraçados. 

Tite ficou chocado com o tratamento que receberam. Inclusive sua aura vencedora foi perdida.

A rejeição à Seleção segue cada vez mais forte.

Antes mesmo da terrível pandemia, a cúpula da Globo decidiu não gastar tanto dinheiro com a cobertura de todas os jogos Eliminatórios para a Copa. Comprou apenas as partidas no Brasil e o clássico contra a Argentina, em Buenos Aires. Os demais jogos ficaram livres, para a emissora que desejasse. Também já não mostrava mais interesse nos amistosos da Seleção.

Pesquisas mostravam a rejeição do público em relação ao time de Tite.

A imprensa também passou a questionar sua estratégia e, principalmente, a escolha de jogadores.

Daniel Alves jogando na lateral direita tem volta garantida à Seleção Brasileira

Daniel Alves jogando na lateral direita tem volta garantida à Seleção Brasileira

Rubens Chiri/São Paulo

A Bélgica, que eliminou o Brasil nas quartas-de-final, mostrou toda a força física, velocidade, conjunto. 

Os jogadores mais velhos foram expostos.

Principalmente Thiago Silva e Fernandinho.

Daniel Alves teria perdido seu 'último' Mundial por conta de uma operação no joelho direito às vésperas da Copa.

Só que Tite sempre se sentiu em dívida em relação ao trio.

E com a chegada à final da Champions League, torneio mais importante de clubes do mundo, do Chelsea e do City, com Thiago Silva e Fernandinho, protagonistas nas partidas decisivas contra o Real Madrid e PSG, fez o técnico ficar com a 'alma lavada', confidencia um ex-dirigente gaúcho.

Assim como Tite já havia mostrado entusiasmo pela firmeza de Crespo em escalar Daniel Alves na lateral direita, na verdade na ala, no São Paulo. Posição que o treinador deseja levá-lo em 2022, já que não surgiu nenhum outro lateral com capacidade e personalidade na Seleção.

Thiago Silva jamais deixou de fazer parte dos planos do técnico para o Catar.

Fernandinho, rotulado pelo gol que marcou contra, na eliminação para a Bélgica, na Rússia, estava deixado de lado. Mas a vontade de redimir sua carreira continuou, pelo técnico admirar sua dedicação e empenho na Seleção.

Fernandinho no chão. Arrasado com a derrota para a Bélgica. Chance de redenção

Fernandinho no chão. Arrasado com a derrota para a Bélgica. Chance de redenção

Reprodução/Fifa

A alegria de Tite com o trio é algo que pode ter consequências.

Os aproxima da Seleção Brasileira.

Da possibilidade ir para o Catar e dar a reviravolta na frustração de 2018.

Tite adora roteiros previsíveis de filmes com finais felizes.

Onde o protagonista começa bem, mas no meio da película sofre um baque.

Mas luta, não desiste, mesmo diante da incredulidade geral.

E, no final, há a redenção.

Não foi assim no Grêmio em 2003.

Nem no Corinthians dez anos depois.

Mas seu sonho é que possa ser diferente em 2022.

A base será a mesma fracassada em 2018.

Com a possibilidade real de três 'reforços' do coração.

Lembrando que a Copa será em dezembro no Catar, por conta do calor insuportável.

Thiago Silva, terá 38 anos.

Fernandinho, 37 anos.

Daniel Alves, que faz 38 anos hoje, terá 39 anos.

Nilton Santos foi o jogador mais velho a ganhar a Copa do Mundo pelo Brasil.

Tinha 37 anos em 1962, no Chile.

Djalma Santos tinha 33 anos, Didi, 32, Zagallo 30 e Zito, 29 anos.

O que, na época, provocou muita pressão sobre o técnico Aymoré Moreira.

Mas havia Garrincha.

Pelé se machucou na primeira fase.

Em 2022, Tite terá Neymar, único jogador muito talentoso.

A geração é mediana, sem protagonistas.

Por isso a aposta de Tite nos veteranos é arriscadíssima...

Caras e bocas no salto ornamental chamam atenção em evento-teste

Últimas