Seleção brasileira

Cosme Rímoli Empoderamento. Mulheres se livram das estrelas masculinas na seleção

Empoderamento. Mulheres se livram das estrelas masculinas na seleção

Demonstrando dignidade, a seleção feminina do Brasil abdica de vez das cinco estrelas no distintivo. Elas foram conquistadas pelos homens

  • Cosme Rímoli | Do R7

Debinha e Bia assumem, com prazer, a camisa sem as estrelas da seleção masculina

Debinha e Bia assumem, com prazer, a camisa sem as estrelas da seleção masculina

Divulgação/Nike

São Paulo, Brasil

Empoderamento.

Dignidade.

Tomada de postura.

Finalmente, a seleção brasileira feminina de futebol assume vida própria.

E lança sua camisa sem as estrelas da seleção masculina.

Situação mais do que justa.

Não era mais possível, em pleno 2020, as comandadas da sueca Pia Sundhage, viver à sombra das conquista masculinas de 1958, 1962, 1970, 1994 e 2002.

Estava mais do que na hora de assumir a briga pelo primeiro mundial, pelas estrelas que sejam suas.

Marta, com as estrelas que os homens conquistaram. Situação incabível

Marta, com as estrelas que os homens conquistaram. Situação incabível

CBF

A coleção, lançada em 2019, tinha como mote "Mulheres Guerreiras do Brasil".

E não tinha cabimento seguir assumindo conquistas dos homens.

A CBF acerta em cheio.

A decisão agradou Pia.

E também suas comandadas.

Pesado segue sendo o preço.

R$ 299,00.

Com.

Ou sem estrelas...

Timão gastou R$ 2,6 bi. Veja times com maiores despesas na década

Últimas