Cosme Rímoli Em vez de comemorar a medalha, Daniel Alves ataca o São Paulo

Em vez de comemorar a medalha, Daniel Alves ataca o São Paulo

O capitão da seleção olímpica aproveitou os holofotes e se defendeu por ter ido para o Japão, abandonando o São Paulo na zona do rebaixamento. Atacou o clube que lhe deve R$ 12 milhões em salários

  • Cosme Rímoli | Do R7

Daniel Alves mostra a medalha. E com todos os holofotes, critica o São Paulo

Daniel Alves mostra a medalha. E com todos os holofotes, critica o São Paulo

Tiziana FABI / AFP - 07.08.2021

São Paulo, Brasil

"O São Paulo falhou muito comigo, e era um momento que eu tinha de escolher pelo São Paulo e por defender meu país, e sempre vou representar meu país e por tabela representar o time. As pessoas falam porque não conhecem minha dedicação, entrega e respeito com o São Paulo, sendo que o São Paulo muitas vezes falhou comigo, e eu não falho com o São Paulo"

"Não acho que abandonei o São Paulo, muito pelo contrário, estou representando o São Paulo também. Quando cheguei ao São Paulo, deixei bem claro que ia devolver o São Paulo para o mundo. O mundo ia começar a falar do São Paulo, porque o mundo me tinha, ou porque o São Paulo me tinha. Eu sou um atleta do mundo, e sempre representando os clubes em que estou.

"O São Paulo tem pendências comigo, e não fui à imprensa falar disso, porque respeito o momento do clube, respeito o que o São Paulo está atravessando, mas também gostaria que o São Paulo e os são-paulinos me respeitassem também, porque tudo que se fala são inverdades. É muito difícil estar no São Paulo, representando o São Paulo, sendo que o São Paulo não se comporta como eu me comporto.

"A única coisa que eu quis foi realizar meu sonho de jogar no São Paulo. Quando a torcida foi me receber, e sou muito grato a tudo isso, a única coisa que falei é que nós, juntos, íamos tirar o São Paulo da fila, e nós, dentro do São Paulo, conseguimos tirar o São Paulo da fila. Assim como eu respeito o São Paulo, peço que o São Paulo me respeite, porque tudo que eu faço pelo São Paulo não está ao alcance do que o São Paulo faz por mim."

Daniel Alves beijando o troféu de campeão paulista. Fim do jejum de nove anos do São Paulo

Daniel Alves beijando o troféu de campeão paulista. Fim do jejum de nove anos do São Paulo

Rubens Chiri/São Paulo

O lateral e capitão do São Paulo, Daniel Alves, em vez de comemorar a medalha de ouro, inédita na sua carreira, a 43ª conquista do jogador que mais ganhou títulos importantes na história do futebol, decidiu aproveitar os holofotes.

E desabafou para as milhares de cobranças que teve nas redes sociais, por deixar o seu clube na zona do rebaixamento, com partidas eliminatórias pela Libertadores, para ter o prazer de disputar a Olimpíada. 

O São Paulo poderia ter impedido sua ida. A liberação não é obrigatória, porque a Olimpíada não é data Fifa. Mas o presidente Julio Casares decidiu fazer a vontade do jogador. Não perguntou para o técnico Hernán Crespo. Apenas comunicou.

O motivo é que, desde o ex-presidente, o inseguro Leco, o São Paulo não consegue pagar em dia o salário do jogador. São R$ 1,5 milhão a cada 30 dias. Leco e o ex-executivo Raí imaginavam que empresas fariam fila para ter o jogador como garoto-propaganda e não só pagariam seu salário. Como ainda dariam dinheiro ao clube. Erraram feio. Não surgiu empresa alguma.

A dívida com o atleta de 38 anos passa dos R$ 12 milhões.

O São Paulo deve mais de R$ 600 milhões ao mercado.

Daniel Alves foi capitão da Seleção Olímpica. Foi bicampeão e provou a Tite. Pode estar na Copa

Daniel Alves foi capitão da Seleção Olímpica. Foi bicampeão e provou a Tite. Pode estar na Copa

Lucas Figueiredo/CBF

Ele quis ir à Olimpíada pelo ineditismo. Mas também para provar a Tite que pode ir para o Catar. E ser o capitão que o treinador quer para a seleção principal. 

O desabafo ao Uol se justifica pelas críticas dos torcedores que recebeu. Daniel Alves queria que a direção do clube o defendesse. O que não aconteceu.

O jogador viajará do Japão para o Brasil na madrugada deste domingo. A previsão de chegada é na madrugada da segunda-feira.

A emoção do capitão do Brasil com o ouro olímpico

A emoção do capitão do Brasil com o ouro olímpico

Conmebol

Crespo acredita que ele estará ao menos no banco de reservas, na terça-feira, contra o Palmeiras, pelas quartas-de-final da Libertadores.

A direção do São Paulo não quis o confronto com seu capitão.

Apenas parabenizou Daniel Alves.

Até porque sabe da enorme dívida com o jogador...

Daniel Alves, medalha de ouro: veja as 42 conquistas do 'papa-títulos'

Últimas