Cosme Rímoli Ele voltou! E o melhor: o São Paulo precisa de Calleri. Mas Calleri precisa do São Paulo

Ele voltou! E o melhor: o São Paulo precisa de Calleri. Mas Calleri precisa do São Paulo

O atacante argentino voltou, depois de cinco anos. O São Paulo fechou contrato de empréstimo de Calleri até dezembro de 2022. Chegou o artilheiro vibrante que Crespo desejava

A apresentação da volta de Calleri ao Morumbi, feita pelo São Paulo. Já mostra a devoção

A apresentação da volta de Calleri ao Morumbi, feita pelo São Paulo. Já mostra a devoção

São Paulo

São Paulo, Brasil

"Nunca tinha recebido tanto carinho assim. Quando eu parti, sabia que um dia iria voltar. Quando fui embora, vocês não me abandonaram.

"Sonhei inúmeras vezes com esse reencontro com o Morumbi.

"E esse sonho virou realidade."

Foi um caso de amor fugaz.

Durou de 28 de janeiro a 13 de julho de 2016.

Bastaram 31 partidas e 16 gols.

E ele foi embora, tentar seu sonho europeu.

Que fracassou, mas ele está de volta.

Jonathan Calleri assinou contrato com o São Paulo até dezembro de 2022.

E desta vez há possibilidade de compra.

Mas qual foi o fascínio que fez com que este argentino não fosse esquecido?

Calleri mostrou raça, oportunismo, vibração, velocidade e muita personalidade diante dos times adversários. Supera o que não tem de técnica com uma vontade acima do normal. Parecia um torcedor dentro do gramado. Característica que encantou os são paulinos.

Ele também representou a esperança de o clube voltar a ser campeão da Libertadores, depois de 11 anos do tricampeonato. O time com Calleri chegou à semifinal, perdendo para o Atlético Nacional, campeão do torneio aquele ano.

Hernán Crespo detectou que seu time foi até campeão paulista. Mas precisava de um atacante agudo, artilheiro, forte fisicamente e com técnica suficiente para fazer o pivô, cabecear. Mais participativo do que Pablo. Que 'brigasse' com os zagueiros e oferecesse mais espaço ao habilidoso Luciano.

Calleri retorna ao Morumbi diferente. Não mais esperançoso de obter espaço na Europa. Ele entendeu seu potencial. Ele é ótimo para a América do Sul. Não para o seletivo futebol europeu. 

Não se firmou nos pequenos West Ham, Las Palmas, Alavés, Espanyol e Osasuna. Para decepção do grupo de investidores, que o compraram do Boca Juniors, acreditando que havia feito um negócio excepcional, em 2015.

E há seis anos, o estão emprestando, esperando que vingue.

Ele só não ficou na Europa por pura falta de interessados.

O clube no qual Calleri se impôs, foi o São Paulo. Deveria ter ficado, dado sequência. Mas seu sonho dourado era a Europa. 

Agora o foco será todo no time tricolor.

O São Paulo é um clube de retornos.

Kaká, Luís Fabiano, Hernanes foram alguns dos mais marcantes.

A esperança da direção é enorme.

Porque o São Paulo precisa de Calleri.

Mas Calleri precisa do São Paulo...

Últimas