Cosme Rímoli Dudu sabe. Com Tite, não há esperança de disputar a Copa

Dudu sabe. Com Tite, não há esperança de disputar a Copa

O atacante palmeirense acredita, há muito tempo, que mesmo jogando muito bem, como ontem contra o São Paulo, ele não terá chance na seleção brasileira. Não com Tite

  • Cosme Rímoli | Do R7

Dudu foi espontâneo em 2020. "Tite tem os jogadores dele. Da Europa"

Dudu foi espontâneo em 2020. "Tite tem os jogadores dele. Da Europa"

CBF

São Paulo, Brasil

"Sei que ele (Tite) tem os jogadores dele também. A prioridade dele às vezes é chamar os jogadores da Europa. Mas, quando ele convoca alguns do Brasil, ele não me convoca. A gente fica triste, mas não tenho essa gana, não tenho esse pensamento de ‘não ir para a seleção é um desastre"

"Isso (Dudu não ser convocado) é o treinador que tinha que explicar. De 2015 para cá, eu venho sendo um dos destaques do Brasil, aí sempre chega um jogador que se destaca um, dois, três meses e ele tem chance na seleção, enquanto a gente aqui do Palmeiras não tem (chance)”

"Às vezes falam que é porque eu não faço muitos gols, mas, no ano passado, fui o artilheiro da equipe e terminei como jogador que mais deu assistências no Brasil. De 2015 para cá, estou sempre nas seleções dos campeonatos. Então, a gente deixa essa resposta para o treinador."

Dudu, ao Esporte Interativo, em fevereiro de 2020.

"Nem sempre vão os melhores."

Dudu, nas redes sociais de Marinho, que vivia fase espetacular e não fora convocado por Tite.

O sorriso de Dudu, que teve mais uma grande atuação na carreira, ontem, diante do São Paulo, sempre desaparece quando o assunto é seleção brasileira.

Aos amigos, ele nunca escondeu que um dos maiores sonhos de sua vida seria disputar uma Copa do Mundo. Seria, porque ele sabe não irá acontecer.

Ele foi até o Qatar para tentar realizar esse desejo.

O atacante tem a certeza que não será levado por Tite ao Mundial de 2022, faça o que fizer em campo.

Foi chamado duas vezes pelo treinador. A primeira em um amistoso contra a Colômbia, em janeiro de 2017. E naquele mesmo ano foi chamado como substituto de Douglas Costa, nos jogos diante Uruguai e Paraguai, pelas Eliminatórias. Não entrou sequer um minuto em campo.

Ele até fez parte da lista de reservas dos reservas dos reservas na Copa do Mundo de 2018.

Mas jamais teve esperanças reais.

Dudu sabe: não conta com a simpatia de Tite.

Ele acredita mesmo que a prioridade do treinador é chamar jogadores da Europa.

Foi um dos motivos que o fez aceitar, entusiasmado, o empréstimo para o Al Duhail, do Qatar.

Acertou tudo no ano passado, antes da legislação da Fifa mudar e exigir que um atleta resida por pelo menos cinco anos no país que atue, para que possa ser naturalizado. E disputar a Copa do Mundo pelo país que não nasceu.

Dudu ficou desolado no Qatar ao saber a alteração.

Dudu já escreveu, sem medo, a Marinho. "Nem sempre vão os melhores (para a Seleção)"

Dudu já escreveu, sem medo, a Marinho. "Nem sempre vão os melhores (para a Seleção)"

Cesar Greco/Palmeiras

Já de volta ao Brasil, ele está entusiasmado com o potencial do Palmeiras, que melhorou muito desde o ano que passou fora. Principalmente com a visão diferenciada de Abel Ferreira.

"Agora com o Abel, jogo como um meia-esquerda, já que temos o Raphael Veiga na direita. Estamos nos entrosando e conseguindo desenvolver o jogo com os outros meias. Fico feliz por isso e pela confiança do Abel. Espero continuar evoluindo", disse o jogador à ESPN.

Mas Dudu sabe e nem se aprofunda mais no tema.

Não há nem porque sonhar com a seleção brasileira.

Tudo o que Dudu quer é conseguir o máximo de títulos pelo Palmeiras até o meio de 2022.

E em vez de sonhar com a Copa do Qatar, buscar uma última grande negociação na carreira.

Isso se a nova diretoria permitir.

Porque seu contrato termina em dezembro de 2023.

E ele segue sendo o maior ídolo do clube.

Por exemplo para Leila Pereira, favorita à presidência...

Veja imagens da vitória do Palmeiras sobre o São Paulo

Últimas