Seleção brasileira

Cosme Rímoli Drama de Branco, com a covid, dá choque de realidade à CBF

Drama de Branco, com a covid, dá choque de realidade à CBF

Rogério Caboclo não quer mais amistosos desnecessários. E vai preservar dirigentes e funcionários mais velhos da CBF. Só viajarão vacinados

  • Cosme Rímoli | Do R7

Com Covid, Branco foi parar na UTI, depois de amistoso da Seleção Sub-18, no Recife

Com Covid, Branco foi parar na UTI, depois de amistoso da Seleção Sub-18, no Recife

Divulgação

São Paulo, Brasil

O presidente da CBF, Rogério Caboclo, mandou avisar dirigentes de clubes e presidentes de Federações. 

O Brasileiro começará 'de qualquer jeito' no dia 30 de maio.

Ele dará a autorização para que, pela paralisação por causa da pandemia de Covid, os jogos dos Estaduais aconteçam só com 48 horas de intervalo, para que terminem a tempo e não atrapalhar o Brasileiro.

Caboclo, com o apoio do Ministério da Saúde, tem ajudado a buscar locais para os jogos onde os Estaduais estão suspensos, como em São Paulo.

O entrave na CBF é em relação à Seleção Brasileira principal e as de base. 

A Fifa aceitou a pressão da UEFA e permitiu que os clubes europeus não liberassem seus atletas para países da América do Sul, que estão na 'fase vermelha', a pior da Covid-19. Sem saída, as duas rodadas que aconteceriam em março, das Eliminatórias para a Copa do Catar, foram suspensas.

O Brasil enfrentaria a Colombia, em Barranquilla, e a Argentina, em Pernambuco. 

Os Sul-Americanos Sub-17 e Sub-20 foram cancelados pela Conmebol, por conta da pandemia também.

A preparação da Seleção Olímpica também está travada, porque os clubes europeus não liberam seus atletas para vir ao Brasil.

A CBF pretendia seguir com jogos da Seleção Sub-18 pelo país, para observar novos valores.

Pretendia.

O jogo contra o Santa Cruz sub-20 já não aconteceu por divergência nos exames da Covid.

E custou caro demais o amistoso dos garotos do Brasil contra o sub-20 do Retrô, em Recife, no dia 5 de março.

Se no campo, no CT da equipe pernambucana, a vitória foi fácil por 7 a 1, a derrota aconteceu para a Covid.

Dez membros da delegação foram infectados.

Entre eles, o vice-presidente da CBF, Francisco Novelletto, de 67 anos, e o treinador da Seleção Brasileira, sub-18, Dudu Patetuci.

Garotos da Seleção Sub-18 comemorando a vitória por 7 a 1, no amistoso, que contaminou dez pessoas

Garotos da Seleção Sub-18 comemorando a vitória por 7 a 1, no amistoso, que contaminou dez pessoas

CBF

Porém o caso mais grave, e simbólico, foi de Branco.

O ex-lateral, tetracampeão mundial, de 56 anos, foi internado desde 16 de março.

Foi intubado.

Teve de ir para a UTI.

Sedado e respirando com ajuda de aparelhos de ventilação mecânica.

Correu risco de morte.

Sofreu muito.

Perdeu muito peso.

Mas deixou a UTI, para alívio de muitos amigos, como seu companheiro de Copa de 1994, Ricardo Rocha.

Em novembro de 2020, a Seleção sub-17 voltou com seis casos de Covid, em Itu.

O sofrimento de Branco repercutiu na sede da CBF.

Nas Federações.

Nos clubes.

A primeira providência é só mandar chefes de delegação e membros da direção da CBF, que tiverem mais de 50 anos, se estiverem vacinados, imunizados da Covid.

A ordem imediata foi suspender amistosos das Seleções Brasileiras de base, que não têm competições marcadas.

A Seleção Brasileira principal feminina faria jogos amistosos na Europa, esse mês de abril. Mas foram cancelados, pela pandemia. O máximo que a CBF autorizou foi um período de treinamento entre que começa amanhã e vai até o dia 13, em Teresópolis, na Granja Comary.

A preparação é necessária para a disputa da Olimpíada de Tóquio, justifica a direção da CBF.

Caboclo quer que o futebol siga, de qualquer maneira, em pleno auge da pandemia.

Os clubes que cuidem dos seus atletas e diretores, presidentes.

Mas pelo menos a CBF preservará seus dirigentes do alto comando.

Como também técnico e coordenadores da entidade.

O que aconteceu com Branco foi simbólico.

Ninguém com mais de 50 anos, sem vacina, será exposto em amistosos desnecessários pelo país, lutando contra a Covid.

A esperança é que Branco deixe o hospital no Rio de Janeiro nas próximas horas.

E vá celebrar a Páscoa em casa...

Abel volta ao Brasil em avião de R$ 330 mi de parceira do Palmeiras

Últimas