Cosme Rímoli Diniz nega realidade. Empate complica São Paulo na Libertadores

Diniz nega realidade. Empate complica São Paulo na Libertadores

O time foi dominado pelo River Plate no Morumbi. Mas teve a ajuda da sorte para empatar em 2 a 2. A tabela, no entanto, é perigosa para o São Paulo

  • Cosme Rímoli | Do R7

River Plate dominou, chegou a estar vencendo o jogo, mas fez dois gols contra

River Plate dominou, chegou a estar vencendo o jogo, mas fez dois gols contra

Fernando Bizerra/EFE - 17.9.2020

São Paulo, Brasil

O São Paulo está em uma situação difícil na Libertadores.

Depois do empate em 2 a 2, contra o River Plate, no Morumbi, o clube está na terceira posição no grupo D.

O time de Fernando Diniz terá duas partidas fora de casa e apenas uma no Morumbi.

Depois do fraco futebol ontem, dominado pelo River Plate, que não fazia uma partida oficial há seis meses, o clima é de muita preocupação no clube.

E poderia ter perdido a partida, se não fossem os dois gols contra da equipe argentina.

Além de ser dominado taticamente, os jogadores do São Paulo não demonstraram vibração, intensidade.

Agiram como se estivessem conformados com o empate, com a vaga em risco na Libertadores.

O treinador Fernando Diniz, que também é psicólogo, segue sua cartilha.

Desmente o óbvio.

O que chega a ser sua obrigação, como técnico que tem um resultado comprometedor em casa.

 Diniz segue negando a realidade após os jogos. Medo de eliminação é grande no Morumbi

Diniz segue negando a realidade após os jogos. Medo de eliminação é grande no Morumbi

Reprodução/Premiere

Ele, que já foi flagrado xingando o atacante Luciano, fez questão de elogiar seu time. Até porque precisa de um time de atitude confiante, terça-feira, no Equador, contra a LDU.

"Achei que o time correu, não faltou entrega, deveria ter jogado melhor e poderia ter vencido. Não faltou espírito de luta. Faltou um pouco mais de calma nos lances que a gente teve, e não vacilar nos gols do River.

"É um time que temos de ponderar que foi semifinalista em 2017, campeão em 2018, e em 2019 foi vice jogando melhor do que o Flamengo, tem o mesmo treinador há seis anos, a mesma base e só enriquecendo o elenco nos últimos três anos. Não é algo para desconsiderar.

"Tínhamos de ter vencido e jogamos para vencer, só que a gente não jogou contra qualquer time e acho que tivemos mais chances do que o River."

O treinador usou seu conhecimento como psicólogo para incentivar seus atletas para o jogo decisivo contra a LDU. Uma derrota pode encaminhar a eliminação.

"Acho que o primeiro jogo (na Libertadores) é o que mais pesa. Tivemos uma partida praticamente ganha nas nossas mãos contra o Binacional.

"Naquele jogo, sim, por causa de concentração, e um certo relaxo que tivemos, levamos a virada em Juliaca. Contra a LDU fizemos um dos melhores jogos sob o meu comando."

O único jogador a falar sobre o empate com o River Plate, Igor Gomez, seguiu pela cartilha de Diniz.

Negou o óbvio domínio dos argentinos.

"Acho que é importante ressaltar que pecamos em algumas oportunidades que criamos. Tivemos mais chance de ganhar, do que eles, acredito eu. Acho importante ressaltar que o time deles ficou parado agora, mas eles estão há quase três anos juntos.

"Não posso tirar a responsabilidade de ganhar o jogo, mas faltou talvez um pouco de lucidez para fazer os gols."

A pressão é imensa no Morumbi.

Assim como o medo.

River Plate foi muito melhor com a bola e na entrega. Empate injusto aos argentinos

River Plate foi muito melhor com a bola e na entrega. Empate injusto aos argentinos

Fernando Bizerra/EFE

A diretoria exige a classificação para o mata-mata da Libertadores.

Mas o time segue jogando mal.

Inseguro.

Sem postura tática definida.

E com Fernando Diniz desmentindo a realidade...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Flamengo é alvo de zoeiras após derrota por 5 a 0 na Libertadores

Últimas