Cosme Rímoli Depois do 3 a 0. A confiança do Palmeiras. Medo no São Paulo

Depois do 3 a 0. A confiança do Palmeiras. Medo no São Paulo

A definição do time paulista classificado para semifinal da Libertadores traz consequências. O 3 a 0 deu mais convicção ao poderoso elenco de Abel. E traz medo do futuro, no São Paulo que ainda se reconstrói

  • Cosme Rímoli | Do R7

Abel comemora a chegada do Palmeiras à semifinal. Atrás dele, desolado, Crespo

Abel comemora a chegada do Palmeiras à semifinal. Atrás dele, desolado, Crespo

Conmebol

São Paulo, Brasil

Abel Ferreira e Hernán Crespo deram o tom.

Sobre as consequências.

Da vitória e classificação do Palmeiras à semifinal da Libertadores.

E da derrota e eliminação do São Paulo da competição mais desejada em 2021.

“Chegamos em uma instância que o clube não chegava há cinco, seis anos. Todos sabemos que estamos em um período de reconstrução.

"Não há nada que eu possa falar para acalmar a dor."

Crespo foi inteligente. Para evitar maiores cobranças por ter sido realmente superado por Abel Ferreira e seu time acabar humilhado pelo rival, ele escolheu falar a verdade. Que o São Paulo enfrentava um jejum de nove anos sem títulos. E venceu o Paulista. Chegou às quartas da Libertadores.

E que terá de seguir com seu processo de 'reconstrução', de resgatar o prestígio que perdeu com derrotas, fracassos. O treinador argentino enfrenta sua primeira eliminação. 

Crespo precisa recuperar psicologicamente seus jogadores.

E ele também precisa superar, esquecer a Libertadores.

Por dois motivos óbvios. 

O primeiro é o Campeonato Brasileiro, no qual seu time está a três pontos da zona do rebaixamento, depois de 16 rodadas. No domingo já terá o Sport, desesperado, em Recife. 

Já na quarta-feira, daqui a uma semana, começa outra decisão, contra o Fortaleza, pelas quartas-de-final da Copa do Brasil, no Morumbi.

Daniel Alves tem R$ 12 milhões para receber do São Paulo. Está insatisfeito com o clube

Daniel Alves tem R$ 12 milhões para receber do São Paulo. Está insatisfeito com o clube

Conmebol

Há quatro problemas importantes no elenco.

Daniel Alves, que tem a receber milhões de salários atrasados. Cerca de R$ 12 milhões.

O segundo é Reinaldo, líder do elenco, que foi sacado do time nos jogos decisivos da Libertadores.

O terceiro, Benítez, jogador importantíssimo, mas que não consegue se recuperar de contusões musculares.

O quarto é o absurdo número de jogadores contundidos. Desde que o ano começou foram mais de 20 atletas.

O esforço para vencer o Paulista não serve mais como desculpa. Porque as contusões não param de acontecer.

A Libertadores era o sonho de toda a diretoria. Com a eliminação e com dívidas de mais de R$ 600 milhões, o São Paulo terá de vender atletas para tentar deixar as finanças mais equilibradas.

A situação não é nada confortável.

Ao contrário do Palmeiras. 

Abel Ferreira sabe o impulso que deu vencer o rival. E também o argentino Crespo, que estava organizando seu time melhor que o português, nos clássico entre os dois.

Agora, o foco é fazer de tudo para vencer a Libertadores.

E recuperar o time no Brasileiro, não deixar escapar o Atlético Mineiro que já abriu cinco pontos de vantagem.

Dudu e Patrick celebram não só a vitória. Mas a certeza da força para buscar o tri da Libertadores

Dudu e Patrick celebram não só a vitória. Mas a certeza da força para buscar o tri da Libertadores

Cesar Greco/Palmeiras

A confiança que trouxe eliminar o São Paulo fez o treinador desafiar a própria torcida palmeirense.

"Tenho que fazer um desafio a nossa torcida, seja ela organizada ou não. Hoje, gostei muito de ver a decoração de nosso estádio, estava impecável. É muito melhor apoiar a equipe e decorar o estádio do que pintar muros e falar mal dos nossos jogadores.

"Ninguém quer ganhar mais do que nós. Não vamos ganhar sempre, mas ninguém quer ganhar mais do que nós. Eu sei que a torcida é muito exigente comigo e com os nossos jogadores, mas nós também temos que ser exigentes com a torcida, temos que mudar a mentalidade dela", pontuou Abel.

"Eu não preciso que me apoiem depois de ganhar de 3 a 0 contra o São Paulo, depois de fazermos história novamente. Os jogadores vão todos contentes para casa, com muito orgulho. Vocês, que estão em casa, podem fazer a diferença nos momentos ruins. Aí que quero ver se somos torcedores do Palmeiras ou de vitórias."

Abel Ferreira terá de controlar a ansiedade dos jogadores, que festejaram a eliminação do São Paulo como se fosse uma final.

E também lidar com Gustavo Scarpa, Luiz Adriano, titulares absolutos, deixados de lado contra o rival do Morumbi.

A diretoria ainda tem esperança de vender algum atleta do time titular. Para equilibrar o caixa. 

Abel sabe disso. 

E não vai protestar.

Ele quer é celebrar Dudu, o reforço inesperado que o treinador português ganhou.

A vitória sobre o São Paulo fez o elenco do Palmeiras acreditar profundamente no tricampeonato da Libertadores.

Por isso a alegria de Abel Ferreira ao dissecar o clássico que venceu por 3 a 0.

"Os nossos jogadores foram bravos em todos os níveis, mentalmente fortes. É uma coisa que o brasileiro tem de evoluir, o lado mental. Tecnicamente a equipe foi perfeita, esteve no seu melhor, colocaram em campo a qualidade individual e coletiva. Taticamente foram perfeitos, conseguiu responder e bloquear nosso adversário. E fisicamente demos uma resposta. Deixei oito a descansar, a vida é feita de riscos. Com estes jogadores se tiver de assumir riscos não tem problema nenhum", avisou o técnico, entusiasmadíssimo...

Veja imagens da vitória do Palmeiras sobre o São Paulo

Últimas