Seleção brasileira

Cosme Rímoli Depois da Polícia Civil, oficial de Justiça na concentração da seleção

Depois da Polícia Civil, oficial de Justiça na concentração da seleção

A concentração da seleção brasileira de futebol não é a mesma. Depois de viatura da Polícia Civil ir atrás de Neymar, em 2019, agora, um oficial de Justiça vai atrás de Richarlison

  • Cosme Rímoli | Do R7

Neymar e Richarlison fizeram a Polícia Civil e oficial de Justiça entrarem na concentração brasileira

Neymar e Richarlison fizeram a Polícia Civil e oficial de Justiça entrarem na concentração brasileira

Reprodução/Facebook Richarlison

São Paulo, Brasil

A concentração da seleção brasileira não é a mesma.

Os tempos mudaram, deixaram a Granja Comary, em Teresópolis, dominada pela tecnologia. Os treinamentos são filmados, os vídeos analisados, as jogadas ensaiadas são vistas à exaustão nos celulares dos atletas.

Mas não é só a cibernética que alterou os rumos da concentração.

Ela virou um local de fácil acesso para a Justiça.

Foi assim que, no dia 2 de junho de 2019, uma viatura da Polícia Civil foi até Teresópolis. Entrou na Granja Comary. Não chegou para proteger os atletas. Mas para buscar Neymar.

Ele enfrentava, na época, uma acusação de estupro, por parte de Najila Trindade. O jogador acabou sendo inocentado. 

Mas a Polícia Civil do Rio queria esclarecimentos sobre a divulgação de um vídeo em que Najila aparecia nua. Funcionários do jogador foram responsabilizados pela exposição do corpo da modelo.

Mas a imagem da viatura entrando na concentração ficará para sempre, manchando a história da seleção.

E a CBF não divulgou.

Mas a notícia acabou vazando hoje.

Um oficial de justiça esteve na concentração da seleção brasileira, na última sexta-feira, dia 25.

E encontrou quem ele desejava.

Richarlison.

Viatura da Polícia Civil atrás de Neymar na concentração da seleção brasileira, em 2019

Viatura da Polícia Civil atrás de Neymar na concentração da seleção brasileira, em 2019

Reprodução/ESPN

Ele foi notificado oficialmente de um processo de R$ 19,6 milhões, movido por seus ex-agentes Ricardo Mendes e Luciano Martins.

Mendes e Martins alegam terem feito parceria com Luca Bertolucci, filho do empresário Giuliano Bertolucci, e Renato Velasco.

E que não receberam porcentagem nas negociações do América Mineiro com o Fluminense. E do Fluminense para o Watford. E do Watford para o Everton. Mais parte dos salários do atleta.

A assessoria do atacante diz que o problema é entre empresários. E o jogador nada tem a ver com isso.

Richarlison é peça fundamental neste processo.

O jogador ficou surpreso.

E acabou pedindo desculpas a Tite pela situação.

Tudo foi relevado pelo treinador.

Ex-agentes de Richarlison cobram comissões e parte dos salários do jogador

Ex-agentes de Richarlison cobram comissões e parte dos salários do jogador

CBF

Mas pessoas ligadas ao ex-empresários vazaram a ida do oficial de Justiça à concentração da seleção, em plena disputa da Copa América.

Mais um vexame em Teresópolis

Jogadores sendo procurados pela Polícia, por oficiais de justiça.

Realmente, a Granja Comary mudou.

Só a neblina, que inviabiliza inúmeros treinos, segue a mesma...

Ucrânia bate Suécia na prorrogação e será rival dos ingleses nas quartas

Últimas