Cosme Rímoli Covardia tática de Diniz. São Paulo sofre, mas elimina o Fortaleza

Covardia tática de Diniz. São Paulo sofre, mas elimina o Fortaleza

Ceni conseguiu vencer, mesmo com seu time caindo diante do São Paulo. O Fortaleza empatou o jogo em 2 a 2. E saiu nos pênaltis da Copa do Brasil

  • Cosme Rímoli | Do R7

Léo Pelé comemora pênalti decisivo. Sufoco desnecessário do São Paulo. Covardia

Léo Pelé comemora pênalti decisivo. Sufoco desnecessário do São Paulo. Covardia

Rubens Chiri/São Paulo

São Paulo, Brasil

Rogério Ceni tem motivo para, mais uma vez, sair orgulhoso do Morumbi.

Mesmo com elenco bem pior do que o de Fernando Diniz, o Fortaleza foi melhor do que o São Paulo.

Empatou o jogo em 2 a 2, encurralando o time paulista, que estava amedrontado, fechado na defesa.

Com quatro zagueiros e dois laterais.

Mas caiu na decisão por pênaltis.

Volpi defendeu a cobrança de Gabriel Dias.

E Léo Pelé deslocou Max Walef, classificou o São Paulo para as quartas-de-final da Copa do Brasil. 

Mas, em meio à celebração, a confirmação de quando o time de Fernando Diniz é inconstante, sem confiança.

E cada vez mais, os dois candidatos à presidência do São Paulo, Julio Casares e Roberto Natel, querem outro treinador em 2021.

Quem vencer vai tentar Rogério Ceni.

"Eu acho que serve como aprendizado muito grande.

"Saímos muito contentes pela classificação, mas não podemos sofrer como sofremos hoje, com um jogo sob domínio.

"Acabamos dando oportunidade para o Fortaleza empatar, e no final quase custou caro nossa classificação", disse, de forma consciente, o goleiro Volpi.

Ele se referia ao comportamento bipolar do São Paulo.

A primeira partida das oitavas, em Fortaleza, havia terminada empatada em 3 a 3.

O time de Diniz tinha a vantagem de definir a vaga no Morumbi.

Ele montou seu time para tentar ganhar o jogo, se impor desde o início, não chance ao rival nordestino.

São Paulo passou por sufoco desnecessário no Morumbi. Classificação amarga

São Paulo passou por sufoco desnecessário no Morumbi. Classificação amarga

Rubens Chiri/São Paulo

O treinador tinha a certeza de quanto seria simbólica a partida.

Precisava derrotar, e bem, o time de Rogério Ceni, que tem tudo para ficar com seu emprego.

Com elenco bem melhor, tratou de adiantar as linhas, tentar pressionar o time cearense no seu campo.

E abriu o placar, com gol de Brenner.

Daniel Alves, em uma das pouquíssimas coisas que fez com acerto no jogo, foi cruzar a bola, Igor Gomes conseguiu desviar a bola de cabeça, que sobrou para Brenner dominar e marcar de virada, pelo alto.

São Paulo 1 a 0, aos dez minutos.

A impressão que seria um jogo fácil, com direito a goleada, continuou. Com o Fortaleza nervoso, desconcentrado por tomar o gol cedo. A primeira etapa era a chance de o São Paulo 'matar' o jogo.

Deu sete arremates a gol, contra um só do rival.

No intervalo, Rogério Ceni trocou o volante Ronald pelo atacante Yuri César. Adiantou sua equipe. Ganhou velocidade.

O São Paulo tinha um problema crônico no meio de campo.

Daniel Alves fazia péssima partida.

Não marcava, não articulava, errava passes fáceis.

Mas ele é intocável.

Não sai, por pior que esteja jogando.

Quando o Fortaleza pressionava e merecia o empate, tomou o segundo gol.

Gabriel Sara levantou para a área, Bruno Alves disputou pelo alto e a bola sobrou para o sem pulo de Brenner. Outro gol do jovem atacante. 2 a 0, São Paulo, aos 26 minutos do segundo tempo.

A vaga parecia decidida.

Até que o São Paulo recuou de vez.

Brenner conseguiu marcar, quando o São Paulo estava encurralado pelo Fortaleza

Brenner conseguiu marcar, quando o São Paulo estava encurralado pelo Fortaleza

MAURO HORITA/ESTADÃO CONTEÚDO - 25.10.2020

Diego Costa errou um passe infantil no meio de campo. Yuri César pegou a defesa desarmada e serviu para David. Gol do Fortaleza, aos 35 minutos.

O São Paulo de Diniz se acovardou de vez.

Tratou de colocar os zagueiros Léo Pelé e Arboleda. Saíram Gabriel Sara e Igor Gomes.

Tudo que o São Paulo fez foi atrair o time nordestino para sua área.

Tomou um sufoco incrível.

Até que, aos 46 minutos, Roger Carvalho levou a decisão para os pênaltis.

Tensão no Morumbi.

Medo.

Reinaldo, Tchê tchê, Daniel Alves, Pablo, Vitor Bueno, Tiago Volpi, Bruno Alves, Arboleda, Diego Costa e Léo Pelé marcaram.

Juninho, Wellington Paulista, Bruno Melo, Marlon, Max Walef, Yuri César, Paulão, Osvaldo e Roger Carvalho fizeram para o Fortaleza.

E Volpi defendeu a cobrança de Gabriel Dias.

São Paulo classificado para as quartas.

Mas sem passar confiança.

O primeiro gol do São Paulo deu uma falsa impressão. Time bipolar. Técnico medroso

O primeiro gol do São Paulo deu uma falsa impressão. Time bipolar. Técnico medroso

Rubens Chiri/São Paulo

O Fortaleza deixou o Morumbi de cabeça erguida.

Principalmente Rogério Ceni.

Ele conseguiu, mesmo perdendo, ganhar o duelo com Diniz.

O caminho da volta para o São Paulo está aberto.

Com todo merecimento...

Ex de Conca relata relacionamento abusivo: 'surtava e me humilhava'

Últimas