Seleção brasileira

Cosme Rímoli Corinthians sofre para conseguir dinheiro. Para pagar Willian

Corinthians sofre para conseguir dinheiro. Para pagar Willian

Meia está encostado, no Arsenal não desperta o interesse de clubes europeus. O Corinthians está sozinho na busca do jogador. O problema é o salário. Willian teria de abrir mão de uma fortuna para voltar

  • Cosme Rímoli | Do R7

Willian segue afastado do Arsenal, apesar de o clube dar vexame histórico na Premier League

Willian segue afastado do Arsenal, apesar de o clube dar vexame histórico na Premier League

Reprodução/Arsenal

São Paulo, Brasil

Do celular, Duilio Monteiro Alves, ansioso, monitora a situação de Willian.

Sua torcida é pela rescisão.

O pai do jogador, Severino Vieira da Silva, é muito próximo do ex-presidente e diretor de futebol, Roberto de Andrade. E do ex-presidente Andrés Sanchez.

O combinado com a diretoria foi que, se surgir a proposta de um outro clube europeu, ele avisar. Só que até ao meia-dia e meia, deste sábado, 28 de agosto, nenhuma equipe procurou o Arsenal. E nem ao seu filho.

Ou seja, o interesse do Corinthians não despertou a concorrência.

Aos 33 anos, Willian segue treinando à parte, afastado da equipe inglesa. Descartado pelo técnico espanhol Mikel Arteta.

Dentro do atual cenário, a rescisão amigável e a vinda para o Corinthians só não aconteceria por dois motivos. Se Mikel Arteta for demitido. E chegar um novo técnico que queira contar com o brasileiro.

O segundo, o atleta não querer desperdiçar uma fortuna.

O Arsenal passou hoje por novo vexame, diante do Manchester City.

Perdeu por 5 a 0. Foi a terceira derrota no Campeonato Inglês, a Premier League, em três jogos.

O clube já havia sido derrotado pelo Brendfort, por 2 a 0, e pelo Chelsea, também por 2 a 0.  A pressão é imensa contra o espanhol e contra o executivo de futebol, o brasileiro Edu Gaspar, que abandonou a Seleção para ir trabalhar na Inglaterra.

Willian tem contrato com o Arsenal até julho de 2023. O jogador começou no Corinthians, foi para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia; depois, negociado com o Anzhi, que o repassou ao Chelsea. Foi seu auge na Europa, atuando entre 2013 a 2020.

Em 37 partidas no Arsenal, só conseguiu marcar um único gol. Acabou na mero reserva. Perdeu a confiança de Arteta. O próprio Edu Gaspar aconselhou o atleta a seguir em outro clube.

Seu salário é de R$ 700 mil. Por semana. Ele recebe R$ 2,8 milhões. A compensação financeira que o Corinthians precisa encontrar é muito grande.

Números são ditos por conselheiros, sem convicção.

Que, se o Corinthians pagar 250 mil euros por mês, cerca R$ 1,5 milhão, o jogador de 33 anos aceitaria voltar. Ou seja, abrir mão de R$ 1,3 milhão a cada 30 dias, que ganha na Inglaterra.

O departamento de marketing do clube paulista busca empresas que queiram colaborar. Não está fácil, diante da crise provocada pela pandemia. Até hoje, não conseguiu.

As contratações de Roger Guedes, Giuliano e Renato Augusto estão sendo usadas como atrativos. 

Willian sabe que há muito dinheiro em jogo. E que o Corinthians não tem condições de pagar nem a metade do que tem a receber no clube inglês. 

Não é uma transação fácil.

Longe disso.

E que vai além da vontade de o pai do atleta querer voltar a ver o filho atuando. E com chance de retornar à Seleção Brasileira, que o esqueceu desde 2019.

A janela de jogadores que atuam no Exterior fechará na segunda-feira, 30 de agosto.

Ou seja, restam dois dias para a situação se resolver.

A única certeza até agora é que o Corinthians não tem concorrente.

Ou Willian consegue a rescisão e volta, ganhando menos.

Ou segue enconstado, apenas treinando.

Mas ganhando R$ 2,8 milhões por isso.

Vale lembrar que o Corinthians deve mais de R$ 1,1 bilhão.

 Mas Duilio não para de olhar para seu celular...

Últimas