Cosme Rímoli Como Leila derrotou Nobre e Mustafá. Caminho livre à presidência

Como Leila derrotou Nobre e Mustafá. Caminho livre à presidência

Palmeiras nunca esteve tão calmo politicamente. Leila e Galiotte trabalharam de forma inclemente. Travaram inimigos. Primeira mulher pronta para ser presidente

  • Cosme Rímoli | Do R7

Palmeiras se rende à força econômica e ao trabalho intenso de Leila, na busca da presidência

Palmeiras se rende à força econômica e ao trabalho intenso de Leila, na busca da presidência

Paulo Vitale/Divulgação

São Paulo, Brasil

Não dar a menor chance a Paulo Nobre.

Ou a qualquer opositor que possa atrapalhar o caminho de Leila Pereira à presidência do Palmeiras.

A articulação para fazer da dona da Crefisa, a nova comandante do clube segue seu rumo nos bastidores do clube.

De forma inédita.

Como uma avalanche.

Quem pavimenta essa estrada é o presidente Mauricio Galiotte, o presidente do Conselho Deliberativo, Seraphim del Grande, e o presidente de honra da Mancha Verde, Paulo Serdan.

Cada um na sua área.

Galiotte valoriza muito o maior patrocínio da América Latina, da Crefisa. 

Mesmo com a pandemia, foram mantidos os R$ 81 milhões em 2020.

O dinheiro deve alcançar R$ 400 milhões até janeiro de 2022, no contrato de três anos, colocado em prática, em 2019.

Somado o auxílio no pagamento de alguns atletas.

Desde que o patrocínio começou, em 2015, são mais de R$ 800 milhões que a empresa de Leila colocou no clube.

Está claro que para o desejo de Leila, os resultados dentro do campo precisam ser satisfatórios.

Galiotte trabalha a candidatura da empresária junto à sua diretoria e às maiores lideranças da situação. E também dos sócios.

Seraphim del Grande conseguiu a esmagadora maioria dos conselheiros, que arregimentam votos fundamentais na eleição.

E Paulo Serdan convenceu aos inúmeros membros da Mancha Verde, que se associariam ao Palmeiras, com direito a voto, portanto, a votarem na dona da Crefisa, até por todo o apoio dado pela empresária nos carnavais e ações sociais da torcida organizada.

A situação de Leila é confortável, mas ela segue obstinada.

O passo fundamental será a eleição dos conselheiros, no dia 6 de fevereiro de 2021. Ela está em campanha para sua reeleição há pelo menos três meses. Leila foi a mais votada conselheira da história palmeirense, com 248 votos, em 2017. Ela quer quebrar o próprio recorde.

A dona da Crefisa sabe que seu principal adversário não tem mais influência alguma no Palmeiras.

Mustafá Contursi.

O ex-presidente chegou a ser condenado, em maio, por cambismo, venda ilegal de ingressos, em jogos da equipe. A pena: três anos e dez meses de reclusão. Mas, por não ter antecedentes criminais e não apresentar perigo à sociedade, em vez de prisão, ele teria apenas de pagar uma multa de 25 salários mínimo, cerca de R$ 26 mil.

Mustafá foi o mentor e o articulador de Leila no Palmeiras. 'Caso' com ingressos os afastaram

Mustafá foi o mentor e o articulador de Leila no Palmeiras. 'Caso' com ingressos os afastaram

Reprodução/Twitter

Mustafá ganhava cerca de 70 ingressos, no Allianz Parque, que a própria Leila tem direito por ser a patrocinadora palmeirnese. E estas entradas, de acordo com a Justiça, estariam sendo vendidas.

Em novembro, a senteça foi anulada pelo Superior Tribunal de Justiça. Pelo juiz que determinou a sentença não pertencer à Vara Especializada do Torcedor. Haverá novo julgamento.

Mas todo esse processo acabou com a força política de Mustafá, inimigo declarado de Leila. A ironia está no fato dele ter sido o mentor da empresária, que sempre sonhou em presidir o clube.

Leila deu a estocada final, dizendo não ter mais qualquer relação com Contursi.

Paulo Nobre, inimigo mortal de Leila, nunca esteve tão enfraquecido politicamente. Ele viu seu também adversário, Galiotte, tomar quase todos seus aliados. O ex-presidente ficou muito abalado com o 'caso Black Star', que seria uma empresa que investiria R$ 1 bilhão no clube, em dez anos, caso o ex-vice do próprio Galiotte, Genaro Marino, vencesse as eleições em 2018.

O Palmeiras alegou que os documentos que comprovariam a existência da empresa seriam 'falsos'.

Marino não só perdeu a eleição, como ficou suspenso do clube por um ano.

E Nobre, que deu seu aval à Black Star, foi desmoralizado e advertido.

O bilionário decidiu então renunciar ao cargo de conselheiro vitalício.

Leila e Galiotte trabalharam pela punição ao ex-presidente.

Ou seja, não há qualquer figura política no Palmeiras com força sequer para tentar concorrer com Leila, na sucessão de Galiotte, em dezembro do próximo ano.

Exilado politicamente, Paulo Nobre sabe. Não tem força para enfrentar sua inimiga, Leila

Exilado politicamente, Paulo Nobre sabe. Não tem força para enfrentar sua inimiga, Leila

Reprodução/Instagram

A situação escancarada.

O Conselho Deliberativo atual tem 300 membros.

148 vitalícios.

Cerca de 120 apoiam Galiotte e Leila.

152 têm mandato de quatro anos. 

Cerca de 110 estão do lado da situação.

Ou seja, dos 300 conselheiros, no máximo, 80 são da oposição.

Ou indecisos.

220 são da situação.

E a maioria deles atuante.

Leila segue incansável, quer mais apoio.

Não dar o mínimo oxigênio para Nobre sequer pensar em voltar.

Porque ele tem essa possibilidade.

Para concorrer à presidência, a única exigência é dois mandatos como conselheiro.

Nobre tem quatro.

E Leila, vencendo a eleição do dia 6 de fevereiro, chegará a dois, quando houver a disputa presidencial.

A situação está tão desequilibrada que no Palmeiras já há quem garanta que Leila poderá nem ter adversário no pleito.

Ou então, um candidato que disputará de forma simbólica, sem chance, como protesto.

Leila Pereira. Apoio financeiro ao Carnaval da Mancha Verde. Sem segredos

Leila Pereira. Apoio financeiro ao Carnaval da Mancha Verde. Sem segredos

Reprodução/Instagram

A maneira com que Leila Pereira consolida sua candidatura à presidência é impressionante.

Há a promessa, nem tão velada, se a bilionária for eleita, de um esquadrão para brigar pelo domínio do futebol na América do Sul, dentro do gramado. Com a inteligente utilização também dos talentos da base, algo que a Parmalat na década de 90 não fez.

Para as empresas de Leila, a Crefisa e a Faculdade das América, também seria ótima a eleição.

Pela relação direta com um público de cerca de 20 milhões de torcedores.

Atualmente, todo sócio-torcedor do Palmeiras, tem desconto de 10% na maioria dos cursos da FAM. Mesmo se a pessoa for torcedora de outra equipe. Basta pagar o plano mínimo de sócio-torcedor palmeirense.

Galiotte e Leila estão afinados, parceiros.

Seraphim e Galiotte. Em plena pandemia, apoiando Leila como conselheira

Seraphim e Galiotte. Em plena pandemia, apoiando Leila como conselheira

Reprodução/Twitter

A força econômica e um trabalho incansável nos bastidores deram resultados.

Galiotte poderá até a seguir comandando o futebol, com a dona da Crefisa eleita.

O Palmeiras jamais esteve tão calmo politicamente.

Com o caminho aberto.

Para a primeira mulher na presidência...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Últimas