Cosme Rímoli Com pacto 'anti-balada', Corinthians tem ótimo reforço. Cazares

Com pacto 'anti-balada', Corinthians tem ótimo reforço. Cazares

Andrés foi direto com equatoriano. Exige comprometimento e nada de farras durante os campeonatos. E acertou a contratação por um ano

  • Cosme Rímoli | Do R7

Cazares tem grande potencial. Desde que se dedique à carreira, seja profissional

Cazares tem grande potencial. Desde que se dedique à carreira, seja profissional

Agência Galo/Atlético

São Paulo, Brasil

O Corinthians não tem diretor de futebol.

Há duas semanas, Duílio Monteiro Alves deixou o cargo.

Se assumiu candidato da situação à presidência.

O futebol foi assumido oficialmente por quem sempre teve o domínio do esporte no Corinthains.

Andrés Sanchez seguiu tomando todas as decisões.

Foi ele quem decidiu contratar Cazares.

O clube já desejava o equatoriano há pelo menos um ano.

Habilidoso, driblador, com personalidade, era desejado até por seu contrato terminar com o Atlético Mineiro no final deste ano.

Houve sondagem.

E ótima receptividade.

Andrés soube que o Palmeiras também tinha tido interesse e desistido do meia-atacante.

Pelo menos motivo que o Atlético Mineiro de renovar, com recomendação de Jorge Sampaoli. O argentino não quis de maneira alguma seguir com o jogador no elenco em 2021. 

O motivo são as farras, as confusões que Cazares aprontou.

Em Belo Horizonte ele se perdeu em baladas.

Chegou a ser acusado de agredir mulheres em uma 'festinha particular' na sua casa.

Cazares, de máscara, se explicando para a polícia mineira. Farras e acusação de agressão

Cazares, de máscara, se explicando para a polícia mineira. Farras e acusação de agressão

Divulgação/ Polícia Belo Horizonte

Acabou no noticiário policial.

Por conta de suas noitadas barulhentas foi várias vezes advertido.

Mas elas seguiam cada vez mais repletas de convidados.

Em plena pandemia.

Até que a Vigilância Sanitária de Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, se cansou das advertências e idas ao luxuoso condomínio Boulevard, na casa do equatoriano.

Ele foi multado em R$ 130 mil.

Atrasos nos treinamentos, rendimento físico abaixo do esperado, falta de comprometimento.

A direção do clube mineiro se arrependeu por não ter vendido o jogador em janeiro. Por 3 milhões de dólares, cerca R$ 16,3 milhões, o Al-Ain dos Emirados Árabes, o queria levar.

Veja mais: "Chinês de merd": Neymar é acusado de racismo contra japonês

Em julho, o Al Ittihad Kalba, também dos Emirados, ofereceu a metade, 1,5 milhão de dólares, cerca de R$ 8 milhões. O Atlético aceitou. E foi o atleta quem não quis ir.

Em março deste ano, percebendo a falta de confiança de Jorge Sampaoli e da diretoria atleticana, Cazares resolveu implodir de vez seu ambiente.

Em uma entrevista ao "Canal do Futebol", no Equador, ele disparou.

"Sim (gostaria de jogar pelo Corinthians). É uma equipe muito grande do Brasil. Uma equipe muito forte. Flamengo e Corinthians são os mais poderosos daqui (do Brasil).

"Como não vou gostar de vestir a camisa de uma equipe tão grande é o Corinthians?"

Aos 28 anos, ele sabia o que estava fazendo.

Rompeu de vez os laços com o Atlético.

Duílio Monteiro Alves tratou de avisar Andrés que o jogador era 'problemático' demais. E não recomendava sua contratação, apesar do potencial.

A falta de comprometimento em Belo Horizonte o tirou da Seleção do Equador

A falta de comprometimento em Belo Horizonte o tirou da Seleção do Equador

Reprodução/Twitter

Mas o presidente corintiano viu em Cazares uma grande oportunidade.

O Corinthians, apesar dos R$ 300 milhões que conseguiu de naming rights para o estádio do clube, as dívidas seguem maiores.

E viu a possibilidade de contratar o jogador.

Primeiro, com a liberação da diretoria atleticana, acertou os salários e fez a proposta até o final de 2021.

Ele aceitou.

Depois, houve uma conversa importante de Andrés com o jogador e seus representantes.

Disse que exigiria respeito e profissionalismo no Corinthians.

E, em caso de falta de comprometimento, como farras no período de campeonatos, ele seria dispensado.

Nas férias, fizesse o que desejasse.

Mas durante a temporada de jogos, não.

Cazares aceitou a condição imposta por Andrés.

E disse que houve exagero com o que aconteceu em Belo Horizonte.

Depois, desta conversa, Andrés se acertou com o presidente Sergio Sette Câmara.

Durante o contrato com o Corinthians, até o final de 2021, o Atlético seguirá com 20% dos direitos do jogador.

A metade dos direitos do meia foi comprada em 2015 pelo clube mineiro, junto ao Independiente del Valle.

O preço: 1,5 milhão de dólares, cerca de R$ 8 milhões.

Cazares ficou quatro temporadas e meia. Quebrou o recorde de número de jogos que um estrangeiro fez pelo Atlético: 205. E ainda marcou 41 gols, ficando atrás apenas do argentino Pratto, com 42.

O meia-atacante abrirá mão de salários e direitos de imagens atrasados, que chegariam a um total de R$ 4 milhões.

A negociação deverá ser anunciada nas próximas horas.

Cazares: farras  nas redes sociais, em Minas. Revolta dos torcedores atleticanos

Cazares: farras nas redes sociais, em Minas. Revolta dos torcedores atleticanos

Reprodução/Instagram

Com Andrés exigindo algo mais do que dedicação nos treinos e nos jogos.

Talvez algo até mais difícil para o equatoriano.

Ficar longe das baladas em São Paulo.

Respeitar o clube.

O presidente vai cobrar.

Assim como as torcidas organizadas corintianas.

É bom Cazares não se esquecer...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Como ficam dívidas do Corinthians após venda do nome da Arena

Últimas