Cosme Rímoli 'Camisa limpa' é desculpa. São Paulo não consegue novos patrocinadores

'Camisa limpa' é desculpa. São Paulo não consegue novos patrocinadores

Oito anos sem títulos. Revolta e até violência da torcida. Patrocinadores fogem do São Paulo. Dívida de R$ 580 milhões. Situação complicada

  • Cosme Rímoli | Do R7

São Paulo sofre. Dívidas de R$ 580 milhões. Oito anos de jejum. Patrocinadores desistem

São Paulo sofre. Dívidas de R$ 580 milhões. Oito anos de jejum. Patrocinadores desistem

Rubens Chiri/São Paulo

São Paulo, Brasil

Oito anos sem títulos.

Decepção, atrás de decepção.

A última delas, a liderança no Brasileiro, com sete pontos de vantagem.

E terminar na quarta colocação, cinco pontor atrás do Flamengo campeão.

Críticas, desalento, revolta.

Rejeição a tudo relacionado com o clube.

Protestos dos torcedores contra os jogadores.

Vândalos fazendo tocaia e apedrejando o ônibus dos atletas.

Pipocas cor-de-rosa atiradas contra os jogadores.

Que empresa se animaria, gostaria de ter seu nome vinculado a esse cenário?

O São Paulo já teve a resposta.

Acaba de perder seu patrocinador master na camisa.

O Banco Inter desistiu de seguir no peito dos jogadores tricolores.

Mesmo pagando um preço baixo, em relação aos clubes grandes da mesma envergadura, infraestrutura.

O acordo previa o pagamento de R$ 1 milhão por mês.

Além da desistência da instituição financeira, MRV, SPFC Chip, Urbano Alimentos e BetSul também não quiseram seguir com o clube. 

Não renovaram e saíram no final de fevereiro.

Restaram Cimento Kaue, Cartão de Todos, Konami e Gazin.

O clube tentou divulgar que a situação era outra.

Daniel Alves, marcando soteldo. Nem veterano consegue motivar empresas a investir

Daniel Alves, marcando soteldo. Nem veterano consegue motivar empresas a investir

Divulgação/Santos

Que o São Paulo 'limpou' a camisa para atrair outros patrocinadores.

Na verdade, o clube está encontrando forte resistência no mercado.

Com a falta de público nos estádios por conta da pandemia do Covid-19.

Pela crise enfrentada pelas empresas.

Não ter um jogador convocado para as Eliminatórias da Copa do Mundo.

Mas o principal motivo são os fracassos seguidos.

Oito anos frustrantes.

Sem festejar um título.

O desejo da direção do clube é conseguir, pelo menos R$ 36 milhões com patrocínios na camisa, em 2021.

O que dá uma média de R$ 3 milhões por mês.

Não está nada fácil.

O departamento de marketing do clube tem buscado, de forma árdua, empresas nacionais e multinacionais.

Mesmo tendo veteranos de currículos importantes, como Daniel Alves, Miranda, Hernanes, o que pesa é o atual jejum de conquistas e desilusão dos próprios torcedores.

A nova direção aposta que vitórias Campeonato Paulista sirvam para atrair os patrocinadores.

Este é um dos motivos que Hernán Crespo siga escalando seus principais jogadores, em poupar ninguém.

A esperança é que a empolgação supere uma análise fria do baixo nível da competição estadual.

O novo presidente, Julio Casares, sabe a 'herança maldita' de cinco anos de Leco no poder.

A dívida do São Paulo é de R$ 580 milhões...

Não é só o Crespo! Técnicos 'sub-50' entram de vez no futebol brasileiro

Últimas