Seleção brasileira

Cosme Rímoli Brasil vence o frágil Peru. E, suspenso, Neymar exige respeito da imprensa

Brasil vence o frágil Peru. E, suspenso, Neymar exige respeito da imprensa

Neymar conseguiu estragar a monótona festa do Brasil nas Eliminatórias. 2 a 0 no Peru. Oitava vitória em oito jogos, contra os fracos rivais. Jogador foi suspenso e quer respeito. Deveria pensar nas suas atitudes

  • Cosme Rímoli | Do R7

São Paulo, Brasil

O Peru não fez frente à Seleção. Time muito fraco e montado ofensivamente pelo argentino Gareca. O que só facilitou tudo para a equipe de Tite. Estava claro para os jogadores que a partida estava decidida no primeiro tempo, quando o Brasil já vencia por 2 a 0, gols de Everton Ribeiro e Neymar.

No segundo tempo, o ritmo lento, seguia sem emoção.

Até que Neymar deu uma cotovelada em Callens, recebeu cartão amarelo, e foi suspenso. Não atuará contra a Venezuela, em Caracas.

Foi um confronto que não testou absolutamente nada. Seria mais difícil um coletivo contra os reservas.

O Brasil segue fazendo a festa contra os pobres rivais sul-americanos. Foi a oitava vitória consecutiva nas Eliminatórias, em oito jogos. A equipe de Tite chegou a 24 pontos, 19 gols a favor e dois contra.

Neymar se tornou o brasileiro a mais gols na história das Eliminatórias. Chegou a 12 gols, passou Zico e Romário, que marcaram 11.

Enquanto isso, o Peru pena no sétimo lugar, com duas vitórias, dois empates e cinco derrotas, correndo sério risco, com essa geração de jogadores não conseguir repetir o feito de 2018. E não chegar à Copa do Catar.

Mas Neymar além de tomar um cartão infantil e ser suspenso, no final do jogo, fez questão de atacar a imprensa. Pedir respeito.

"Óbvio que o coletivo é o mais importante. Fico muito contente de ser goleador máximo de Eliminatórias, maior assistente pela seleção e logo menos, se tudo caminhar bem, vai ser uma honra passar o Pelé (em número de gols).

"Não sei mais o que eu faço para a galeira respeitar. Isso é normal, vem há muito tempo. Repórteres, comentaristas e outros também.

"Às vezes eu nem gosto mais de falar em entrevista, mas em momento importante eu venho aparecer.

"(São)Todos os tipos (de desrespeito). Deixo para a galera pensar um pouco."

Neymar dá chilique contra o árbitro Roldan, em Pernambuco, por não ter apitado falta

Neymar dá chilique contra o árbitro Roldan, em Pernambuco, por não ter apitado falta

Ricardo Moraes/Reuters - 9.9.2021

Falou e não teve firmeza para dizer no que se sentiu desrespeitado.

Segue agindo como um menino, a caminho dos 30 anos.

Neymar conseguiu outra vez roubar a cena da Seleção.

E tirar a paz da equipe de Tite.

Continua a mesma coisa, desde o início da carreira.

Jogador sensacional com a bola nos pés.

Basta o jogo acabar e vai buscar problemas.

Se ele quer respeito, ele precisa se dar ao respeito.

Quanto ao jogo, Tite repetiu a equipe que enfrentaria a Argentina. Com Gerson e Everton Ribeiro no meio-campo, dando mais criatividade e agilidade na parte ofensiva. Uma pena que o treinador, mesmo diante da fraquíssima seleção peruana, insistiu nos defensivos Danilo e Alex Sandro. Só a falta de ousadia do técnico que fez Daniel Alves e Guilherme Arana seguirem fora do time.

Tite apostou no 4-1-4-1, que tanto gostava de usar no Corinthians. Contra os peruanos, que Gareca apostou no 4-3-3. O Brasil com mais talento e superioridade numérica nas intermediárias, dominou o jogo. Impôs o ritmo que quis.

E decidiu o jogo no primeiro tempo. 

Logo aos 13 minutos, Neymar tomou a bola de Santamaria e tocou para Gabigo, mas a bola chegou em Everton Ribeiro, que não perdoou. Bateu forte, sem chance para Gallese, Brasil 1 a 0.

Os peruanos, muito mal na tabela de classificação, perdendo o jogo, se abriram ainda mais. E a Seleção, se tivesse Gabigol menos tenso, afobado, poderia ter marcado mais gols. Ele desperdiçou vários ataques.

Aos 39 minutos, Everton Ribeiro chutou, a bola desviou em Santamaria e chegou livre para Neymar tocar para as redes. 2 a 0.

O jogo estava decidido. As duas equipes sabiam disso.

Finalmente Tite acordou. E decidiu dar chance para Gerson. Criatividade e marcação

Finalmente Tite acordou. E decidiu dar chance para Gerson. Criatividade e marcação

Ricardo Moraes/Reuters - 9.9.2021

E no segundo tempo, o Brasil estava satisfeito com a vitória e não forçou. Diminuiu o ritmo. Enquanto o já lento Peru se contentava por não ser goleado.

Mesmo nesse clima, Neymar ainda conseguiu ser suspenso.

Se o árbitro Wilmar Roldan não estivesse tão disposto a fazer média e não expulsar ninguém, Neymar tomaria cartão vermelho pelo lance infantil, pela cotovelada em Callens.

E o camisa 10 de Tite ainda faria mais.

Ao final do jogo pediu respeito à imprensa...

Confira imagens da vitória do Brasil sobre Peru pelas Eliminatórias 2022

Últimas