Novo Coronavírus

Cosme Rímoli Bolsonaro e Flamengo conseguiram. Futebol estará de volta quinta-feira

Bolsonaro e Flamengo conseguiram. Futebol estará de volta quinta-feira

Prefeito Crivella garante que Bolsonaro estará no jogo Flamengo e Bangu. Partida que, como o presidente queria, espantará a tristeza da pandemia

  • Cosme Rímoli | Do R7

O futebol voltará na quinta-feira. Como Bolsonaro tanto queria

O futebol voltará na quinta-feira. Como Bolsonaro tanto queria

Reprodução Twitter

São Paulo, Brasil

Fazer da volta do futebol, a renovação da esperança no Brasil.

Esse é o mote da partida de quinta-feira, entre Flamengo e Bangu, no modesto estádio de Moça Bonita.

Com capacidade para nove mil pessoas, as tribunas deveriam estar vazias, assim como as arquibancadas, como prevê o protocolo médico da Federação Carioca de Futebol.

Mas uma tribuna não estará.

Nela estará o presidente do país.

Jair Bolsonaro.

"O presidente Bolsonaro prometeu que vem", comemorou hoje o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, que deu a aprovação para que o futebol retorne na cidade.

Crivella confirmou o que o blog antecipou.

"Flamengo e Vasco acham que podem voltar, e a fase permite. Botafogo e Fluminense: 'Não vamos voltar'.

"Então, o acordo tem que ser feito assim: Flamengo e Vasco jogam entre si e com clubes que querem jogar, e os clubes que não querem jogar, a federação tem que ter todo o respeito e eles passam a jogar em julho."

E deverá ser esse critério que será sacramentado pela Ferj.

O Rio de Janeiro ser a primeira cidade onde o futebol retornará era um desejo de Bolsonaro.

Ele já havia deixado claro esse desejo no dia 19 de maio, quando se reuniu com o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, e o do Vasco, Alexandre Campello, em Brasília.

Como Donald Trump incentivou de todas as formas o UFC a ser o primeiro evento esportivo a voltar, em plena pandemia, Bolsonaro sabia que no Brasil teria de ser o futebol.

Ele sempre apoiou a iniciativa de Landim pela volta. 

Mesmo com grande parte da opinião pública contrária.

Daí querer estar presente no jogo.

Ele teve como maior parceiro o presidente do Flamengo.

Landim pressionou o quanto pôde o presidente da Ferj, Rubens Lopes, a não ceder. Marcar a volta do futebol para o mais rápido possível.

Foi criticado pela imprensa carioca, nacional.

Mas o dirigente não cedeu.

Fez valer a parte comercial.

O clube busca novo patrocinador master.

E precisa pagar o elenco mais caro do país.

Bolsonaro e Landim. Um contou com o apoio do outro para a volta do futebol

Bolsonaro e Landim. Um contou com o apoio do outro para a volta do futebol

Divulgação

A Ferj, os clubes e a Prefeitura do Rio deverão confirmar as datas dos primeiros jogos neste retorno do Carioca. Dia 18 - Bangu x Flamengo; dia 19 - Portuguesa x Boavista; dia 21 - Vasco x Macaé; e Madureira x Resende.

Fluminense e Botafogo deverão atuar apenas em julho.

O Rio de Janeiro tem 79.572 casos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

E 7.672 mortes.

Mesmo assim, o futebol voltará.

Daqui dois dias.

Com as arquibancadas vazias.

Mas na tribuna, o presidente da República.

Jair Bolsonaro.

O homem que mais queria esse retorno...

Bayern é octacampeão alemão e leva 1º título no retorno do futebol

Últimas